Copia de maça800

No ano em que completamos 15 anos de existência (que se cumprem no próximo dia 6 de Setembro), o Geneall é hoje uma referência incontornável no mundo da Genealogia que, à escala global, o coloca entre os primeiros.

Credibilidade e visibilidade são factores determinantes de sobrevivência no espaço da internet e a dimensão e a exposição pública do Geneall têm contribuído para a nossa manutenção e afirmação ao longo destes anos. Na realidade, a construção de uma base de dados fidedigna que sirva de apoio à investigação genealógica, em Portugal ou à escala global é, desde a primeira hora, o nosso principal objectivo. Através dele, temos dado um importante contributo para o desenvolvimento desta Ciência e é por isso animador verificar que a posição relativa do Geneall o coloca entre os 100 sites mais consultados em todo o mundo.

A GenealogyInTime Magazine – uma das maiores revistas online de Genealogia do mundo - divulgou recentemente a lista dos sites mais utilizados no planeta quando se pesquisam temas relacionados com Genealogia. Com origem nos EUA, esta revista vem divulgando sistematicamente, desde 2011, a lista dos 100 sites mais visitados à escala mundial, utilizando os dados estatísticos do Alexa, um dos maiores medidores de audiências web do mundo.

A lista engloba sites de todo o tipo e, muitos deles, sem a menor semelhança entre si, tendo apenas em comum constituírem fontes de recurso para o estudo da Genealogia. Por isso mesmo, a GenealogyInTime classifica os 100 sites em vários grupos: árvores familiares, jornais, arquivos, registos, cemitérios, etc.

Se na classificação geral surgimos em 51º lugar, no grupo das "árvores familiares" onde o nosso site está naturalmente incluído, ocupamos o 13º lugar entre as bases de dados mais consultadas, sendo que 6 das bases que nos antecedem são desdobramentos regionais do My Heritage (que ocupa o primeiro lugar na sua versão americana). Se considerarmos as seis versões regionais do My Heritage apenas numa - tal como acontece no Geneall, que inclui no mesmo endereço - .net - as suas várias redes (portuguesa, espanhola, inglesa, francesa, alemã, italiana e resto do mundo) - o nosso site passaria de 13º para 8º lugar.

Acontece porém que os sete sites que nos antecedem nessa lista – My Heritage, Geneanet, Geni, WikiTree, Genealogie, MyTrees e Tribal Pages - não são, como o Geneall, uma base de dados única. São serviços de alojamento de milhares de bases de dados diferentes criadas pelos utilizadores. Por isso mesmo, nestas bases de dados, o mesmo ascendente aparecerá em tantos registos quanto o número de bases da dados em que os seus autores o incluíram como ascendente de alguém. Por exemplo: Hugo Capeto, no Geneanet, aparece em 8.819 bases de dados, enquanto no Geneall, por ter apenas registos únicos, só aparece uma vez; já George Washington, no MyHeritage aparece em 18.822 bases de dados aí alojadas, enquanto connosco, obviamente só aparece num único registo.

Com alguma dimensão, bases de dados únicas, ou seja, em que cada pessoa tem apenas um registo como no Geneall, existem muito poucas no mundo: nenhuma nos EUA, uma em França, uma na Alemanha, e duas na Austrália. Em termos de registos consultáveis, as bases de dados alemã e australianas, têm, cada uma delas, cerca de 600 mil registos. E nessa medida, apenas a francesa é comparável ao Geneall. Se por um lado revela ter mais de 5 milhões de registos, pelo facto de não divulgar dados sobre pessoas nascidas depois de 1900, mais de metade daqueles registos está indisponível ao público. Por isso mesmo, e sem surpresa, não consta sequer da lista dos 100 sites mais consultados em todo o mundo.

Resumindo: o Geneall é, como já o tínhamos afirmado noutras ocasiões, a maior base de dados genealógica do mundo. Uma excelente posição para celebrar estes 15 anos de vida.

27 Abril 2015