Famílias de Pera e Alcantarilha

Este tópico está classificado nas salas: Famílias | Regiões

Famílias de Pera e Alcantarlha

#158399 | melisa | 05 Jun 2007 00:16

Caro Nuno Inácio


Destes casais tenho alguma coisa:

Joaquim José Montes e Maria dos Santos (antes de 1770)
Não tenho nada.

José Lopes e Isabel Teresa (antes de 1770)
Também nada.

Manuel Rodrigues Andrez e Maria Fernandes (a. 1740):

Casaram em 15/4/1733,em Pera, com dispensa por consanguinidade do 3º grau sendo ele viúvo de Andreza do Nascimento, com quem tinha casado em Pera aos 5/4/1728.

Ele natural de Alcantarilha onde nasceu aos 11/9/1701 , filho de António Neto Andrez (ou Barranha), da Torre em Alcantarilha e de Maria Rodrigues.

Maria Fernandes era filha d o 2º casamento de Belchior Fernandes com Paula de Arez , casaram estes em Pera aos 27/7/1698, onde foram moradores.

Belchior Fernandes era viúvo de Brites dos Santos e morara antes do 2º casamento em Algôs.

Desconheço de quem seria filho onde nasceu e onde se realizou o 1º casamento.

Paula de Arez era natural de Pera sendo filha de Afonso Anes e Leonor Rija ou Dias.
(Neste casamento consta como Dias no entanto quer no seu óbito quer no do marido e também quando sua filha é madrinha o seu apelido é Rija).

Afonso Anes morou em Pera onde faleceu aos 8/12/1695, com testamento.

Leonor Rija faleceu no estado de viúva em 12/8/1712 também em Pera ,tendo feito testamento.
Para Além de Paula de Arez tiveram pelo menos:

- João, b. em Pera aos 5/3/1665
- Catarina, b. Pera aos 30/10/1667
- Maria de Arez , que casou em Pera aos 4/6/1685 com Domingos Martins (?) Neto
- Antónia Rija que em 1/5/1709 casou em Pera com João Gonçalves.

Estas três últimas filhas teriam nascido provavelmente no período em que falham os registos de Baptismo.

Paula de Arez e Belchior Fernandes foram também pais de João de Arez que casou em Alcantarilha aos 18/1/1731 com Margarida da Encarnação, irmã de Manuel Rodrigues Andrés acima.

Não sei por quem o Nuno descende deste casal, mas se é por Maria Inácia casada em Pera aos 8/2/1791 com João Vieira, seria bom confirmar se o pai de Maria Inácia, de seu nome José Rodrigues Vieira, é realmente filho do 2º casamento Manuel Rodrigues Andrés com Maria Fernandes, conforme consta no casamento de 1791, ou se será filho do 1º casamento de MRA com Andreza do Nascimento, o que justificaria o apelido Vieira do José Rodrigues Vieira, dado Andreza ser filha de Estevão Álvares Vieira , o Relvana e de Catarina Gonçalves.

Vou ver os outros casais, e já envio o que tiver.

Até já

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#158423 | melisa | 05 Jun 2007 02:42 | Em resposta a: #158399

Caro Nuno

Continuando:

Domingos Gonçalves e Maria Rita (a. 1740)

Julgo que se referirá a Domingos Gonçalves Vieira casado em Pera aos 12/5/1720 com Maria RICA. (Foram pais de Teresa Inácia casada com José Rodrigues Vieira e avós de Maria Inácia casada em Pera em 8/2/1791).

Domingos Gonçalves Vieira que também usava Domingos Gonçalves Pissarro era filho de Francisco Gonçalves Vieira ou Pissarro e de sua m.er Isabel Rodrigues.

Estes foram moradores em Pera sendo ele lavrador. Ele faleceu em 13/8/1714 e ela em 20/10/1709, ambos em Pera.

Domingos Gonçalves Vieira casou em 18/12/1710 em Pera com Maria Álvares, fª de Manuel Gonçalves Mealha e de Margarida Álvares.

Esta faleceu em 17/6/1714 em Pera, tendo feito testamento. (Neste óbito ele aparece como Domingos Gonçalves Pissarro).

Casou de novo em 1720 com Maria Rica conforme referido acima. Este casamento teve dispensa do 4º grau de consanguinidade.

Maria Rica era natural de Pera sendo filha do 2º casamento de Domingos Adães Janeiro com Maria Gonçalves (casaram em 30/1/1701 em Pera, ele viúvo de Margarida Martins, falecida em 10/12/1701-Pera).

Maria Gonçalves era filha de Domingos Gonçalves Barreto e de s/ m.er Catarina Rodrigues.
Este último casal faleceu em Março de 1716 ela a 28 e ele que consta como já viúvo provavelmente a 30 embora esteja registado como sendo a 20/3, provavelmente por lapso. O óbito dele está registado imediatamente a seguir ao dela.
Documentam-se-lhes filhos nascidos a partir de 1680, mas provavelmente casaram pelo menos três anos antes pois não aparece o baptismo de Maria Gonçalves (caído no período sem registos).

A outra filha que sabemos ter chegado à idade adulta, foi Cecília Rodrigues ( Pera 22/11/1694) última a nascer. Esta casou em Pera (I) com Estevão Annes (em Pera aos 18/3/1711) e (II) com João Rodrigues (em Pera aos 4/8/1715).

Domingos Gonçalves Barreto seria provavelmente irmão de Gaspar Gonçalves Barreto casado com Maria Adães, e pais de vários filhos a partir de 1664, quando baptizam a 3 de Maio um filho de nome Domingos.

Gaspar Gonçalves Barreto faleceu viúvo a 25/3/1707 (sua mulher falecera em 4/1/1689) com testamento, sendo testamenteiro seu filho Francisco Gonçalves Barreto (b. em 7/2/1667 e casado com Petronilha Rodrigues).

Hoje fico por aqui, pois estou um pouco cansada.

Cumprimentos à Graça e um beijinho à minha neta.

( Mais uma avó entre tantas que a que tem chegado não faz diferença)

Tenha uma boa noite
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#158469 | nunoinacio | 05 Jun 2007 11:25 | Em resposta a: #158423

Bom dia, cara Maria Elisa

Obrigado pelos dados que me mandou.
Relativamente ao casal Manuel Rodrigues Andrez e Maria Fernandes, estes surgem como avós paternos no assento de casamento da Maria Inácia.
Terei que ver no casamento dos pais da Maria Inácia se se confirma este casal como pais.

No entanto, recordo-me de já ter visto pelo menos um casal em que o filho adopta o apelido da primeira mulher do pai.

Apesar de estranho e invulgar, poderá ser esse o caso. No entanto, não há como confirmar :-)

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#158523 | nunoinacio | 05 Jun 2007 21:51 | Em resposta a: #158423

Boa noite, cara Melisa

Um dos casamentos que não encontrei foi o de José Rodrigues Vieira com Teresa Inácia, pelo que, não posso confirmar o nome da mãe nesse assento.

Por acaso, na base de dados do Genea, encontrei a ascendencia do Afonso Alvares Mião e da Maria Grade.
De acordo com esta base de dados, temos que:

O Capitão Afonso Alvares Mião, filho de outro com o mesmo nome e de Leonor Álvares, casou em 14.02.1679, com Maria Grade, filha de Álvaro Pires Grade e de Domingas Afilhada, neta de, respectivamente, Capitão João Afonso Grade e Luísa de Abreu e Lourenço Fernandes Vieira e Leonor Afilhado.

Por acaso sabe se existem "suspeitas" sobre os ascendentes destes?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#158533 | rafael | 05 Jun 2007 22:53 | Em resposta a: #158523

Caro Nuno Inácio

Boa noite! Fiquei muito satisfeito por falar aqui nos meus avòs-Cap.ão Afonso Álvares Mião e de sua mulher , minha avó, Maria Grade. Não tenho conseguido saber a ascendência dos meus avós Luisa de Abreu,Lourenço Fernandes Vieira e de Leonor Afilhada.A falta dos paroquiais antigos de Albufeira, é uma pouca sorte.

Cumprimentos.
Rafael Carvalho

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#158551 | melisa | 06 Jun 2007 00:16 | Em resposta a: #158523

Caro Nuno

Embora na altura não tenha visto exaustivamente os casamentos por essas datas também eu não encontrei o referido casamento.

Poderia ter tido um 1º casamento noutra freguesia. Há que procurar todos os casamentos dos José Rodrigues., e de outros seus filhos.

Também se poderá ver os baptismos dos filhos do 1º casamento de Manuel Rodrigues Andrés que sabemos ter casado de novo 5 anos após o 1º casamento e claro caso se encontre um José ver nos óbitos se ele não teria falecido em criança ou ainda solteiro.

Não é o primeiro caso que encontro a ser mencionado como avó (ou avô) a 2ª mulher ( ou marido) do cônjuge sobrevivo, quando o defunto já faleceu há muito.

Repare que a notícia aparece em 1791 quase 60 anos após o óbito da referida, que a 2ª mulher do avô paterno foi provavelmente a "avó" que Maria Inácia conheceu e mesmo podendo ser filho do 1º casamento, José Rodrigues Vieira teria sido criado por Maria Fernandes.

Sobre a ascendência do Afonso Álvares Mião e Maria Grade já lhe envio o que tenho.

Até já
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#158556 | melisa | 06 Jun 2007 00:39 | Em resposta a: #158533

Caros Rafael de Carvalho e Nuno Inácio

Sobre a ascendência de Afonso Álvares Mião e Maria Grade, o que tenho é o seguinte:

Afonso Álvares Mião e sua mulher Leonor Álvares, então moradores em Pera baptizaram seu filho Martinho aos 24/11/1647.

Foi padrinho Francisco de Arez, filho de Martim ou Martinho de Arez (ver por exemplo baptismo de 24/6/1636 em que é referido como tal)e de s/mer Catarina Alves.

Este FRANCISCO DE AREZ casou com Bárbara Neta antes de 13/1/1639, sendo pais entre outros de FERNANDO NETO, baptizado em 30/1/1645 (este em 4/3/1662 quando apadrinha consta como filho de Francisco de Arez e Bárbara Neta).

Foi madrinha Maria Rodrigues mulher de João Neto.

JOÃO NETO era irmão de Francisco de Arez e filho de Martinho de Arez e de s/mer Catarina Alves, ( ver baptismo de 13/3/1640 em que foi padrinho e consta como filho de Martim de Arez).

Martinho de Arez e sua mulher Catarina Alves baptizaram uma filha de nome Leonor em 20/2/1622.

Esta Leonor seria certamente a LEONOR ÁLVARES que ainda solteira amadrinha várias crianças entre as quais a filha Catarina, b em 10/11/1639 de Francisco de Arez cc Bárbara Neta ( e que seria assim sua sobrinha). Também em 22/8/1638 quando amadrinha é referida como filha de Martim de Arez e de Catarina Alves).

A política de apadrinhamentos comprovadamente seguida por esta família leva-me a acreditar que a Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Meão é a filha de Martim de Arez.

por último a filha de Martinho de Arez não pode ser a Leonor Álvares casada com Sebastião Dias Preto, pois esta última já casada é mãe a partir de 1635. Esta seria filha de António Dias (conforme consta do registo de baptismo de 1630 de fº de Fernando Rodrigues e de s/mer Maria Nogueira em que é madrinha sendo padrinho Martim de Arez).

Suspeito qure no entanto será sua familiar muito próxima (talvez tia).

Martim ou Martinho de Arez e Catarina Alves receberam as benções em Alcantarilha aos 15/8/1611, por estarem recebidos em casa. Foram moradores em Pera.

Infelizmente não consta de quem são filhos.

Além dos mencionados foram também pais do capitão Gonçalo Martins (b. 13/7/1625 ) casado com Domingas Gonçalves e avô paterno do FSO João Martins de Arez.

O capitão GONÇALO MARTINS foi testemunha do casamento na Guia de Afonso Alvares Mião e da Maria Grade, sendo assim tio materno do noivo.

Cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#158563 | melisa | 06 Jun 2007 01:30 | Em resposta a: #158556

Caro Nuno

Por favor envie-me de novo os casais que tem em fim de linha e de que ainda não lhe disse nada, pois já não sei quais os que faltam responder.

Diga-me também se por acaso descende de Fernando Neto cc Catarina Vieira.

Tenha uma muito boa noite

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#158571 | rafael | 06 Jun 2007 04:36 | Em resposta a: #158556

Cara M.Elisa e caro Nuno Inácio

Depois de passar aqui parte do serão com uma msg. enorme carreguei onde não devia e lá se foi o trabalho todo.
AINDA SOBRE A FAMÍLIA-mIÃO-seja os Álvares Mião, da Guia-Albufeira de que descendo, seja de outras linhas familiares, ainda continuo a achar plausível serem todos parentes.
Desenvolvi muito sobre esta Gente com outros nickname e houve tb. boa colaboração de interessados e parentes .Mas não tenho podido avançar mais,nos meus antepassados de Albufeira e sem documentação válida não posso,com segurança,dar vida à minha intuição ou hipótese plausível. ( o tal "faro" como lhe chamava o grande genealogista -Braancamp Freire).
Envio dois tópicos que tenho aqui à mão:

http//genealogia.netopia.pt/forum/msg.php?id=51242#lista
http//genealogia.netopia.pt/forum/msg.php?id=16929

A continuação de uma noite descansada.
Rafael

Resposta

Link directo:

ANTONIO MENDES/MARIA NETA

#158618 | roberto lopes | 06 Jun 2007 15:44 | Em resposta a: #158563

Cara Melisa:

Tenho um António Mendes cc Maria Neta, de Alcantarilha pais de MARGARIDA AMADA GRADE * Alcantarilha c. 1680 cc Lagoa 11.06.1698 Jordão Boto, f.º de João Alvares Marreiros e Maria Rodrigues, de Portimão (estas ascendencias ja estão estudadas)

Gostaria de saber se encontrou o casal ANTÓNIO MENDES CC MARIA NETA nos paroquiais de Alcantarilha (creio que abrange o periodo que a Melisa pesquisou) porque estou convicto de que terão alguma coisa a ver com os Vieira Neto mais antigos por um lado e pelo lado dos Grades talvez sejam pelos de Albufeira.

Forte abraço,

Roberto Lopes

Resposta

Link directo:

RE: ANTONIO MENDES/MARIA NETA

#158647 | melisa | 06 Jun 2007 18:06 | Em resposta a: #158618

Caro Roberto

Na minha BD não consta o referido casal. Mas não transcrevi todos os baptismos de Alcantarilha e por outro lado há falta completa de registos salvo erro entre 1670 e 1680.

Viu o que escrevi ontem sobre Leonor Álvares?

Também referi lá Fernando Neto (que seria o casado com Catarina Vieira e pais do "seu " José Vieira Neto) com datas da prova de filiação.

Abraços
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#158652 | nunoinacio | 06 Jun 2007 18:23 | Em resposta a: #158563

Boa noite, cara Melisa

De facto, também descendo do Fernando Neto e Catarina Vieira.

Os casais que me faltam são:

Manuel Afonso e Domingas Lopes (a. 1750)

Gonçalo Rodrigues e Ursula Maria (a. 1730)

Sebastião Lourenço e Maria da Cruz (a. 1690)

Gonçalo Mestre e Maria Alvares (a. 1690)

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: ANTONIO MENDES/MARIA NETA

#158654 | roberto lopes | 06 Jun 2007 18:43 | Em resposta a: #158647

Cara Melisa:

Claro que vi, é sempre um prazer espreitar as suas mensagens, mesmo que não me pertençam directamente, gosto de estar à alerta:)

A Melisa ainda está com Monchique?

Esteve a actualizar a minha base de dados e tenho mais antepassados de Alcantarilha e Pêra, um dos quais Gonçalves Prata.

ALCANTARILHA:

- x. Alcantarilha 02.10.1751 566 João Alvares Marreiros (f.º de António Alvares Marreiros e de Margarida dos Santos) e Maria d Azevedo (f.ª de Manuel Rodrigues e de Maria d Azevedo) ns. Alcantarilha

- António dos Santos (Bocarro) e Maria da Encarnação ns. Alcantarilha
- Manuel Rodrigues Barranha e Maria da Conceição ns. Alcantarilha
- João dos Santos Barbarrão e Lúzia Jorge ns. Alcantarilha
- Manuel Nunes e 575 Inácia de Jesus ns. Alcantarilha

- x Alcantarilha 10.09.1743 João Fernandes Rêgo (f.º de Domingos Fernandes Rêgo, sapateiro, v.º de Teodora Rodrigues e de Margarida Maria, de Alcantarilha) e Teresa Josefa de Oliveira (f.ª de Bartolomeu Lopes Mascarenhas e de Isabel Gonçalves, de Alcantarilha) ns. Alcantarilha

- Manuel Lourenço e Margarida da Luz ns. S. B. Messines e Alcantarilha
- Balthazar Gonçalves e Mónica dos Santos ns. Alcantarilha
- Mateus Rodrigues e Margarida das Neves ns. Alcantarilha
- Manuel dos Santos Barbarrão e Maria da Conceição ns. Alcantarilha
PÊRA

- x. Pêra 19.03.1741 Manuel Cabrita (f.º de Domingos de Ares e de Francisca Cabrita, de Porches) e Catarina dos Reis (f.ª de António Rodrigues Filipe e de Maria dos Reis, da Benegaia, Pêra) ns. Porches e Pêra

- Manuel Lourenço Santos e Domingas de Sousa ns. Pêra
- Francisco Vaz e Maria de São José ns. Pêra e S. B. Messines
- Manuel Gonçalves Prata e Domingas Fernandes ns. Pêra
- Lourenço da Silva e Brites Fernandes ns. Pêra
- Manuel Ferreira e Sebastiana Andreza ns. Pêra e S. B. Messines

- x. Pera 1737 Domingos Lourenço Costa ou Faísca (f.º de António Gonçalves Costa e de Sebastiana Fernandes) e Florência Maria (f.ª de Francisco Alvares e de Inês Anes) ns. Pêra

- António Fernandes e Maria Cabrita ns. Pêra

* São todos meus 8.os avós e casaram por volta de 1700 - 1740 aproximadamente.

P.S. Quando puder envio para a base de daos do GENEA a dita filiação qua acaba de apurar a Melisa.

Já espreitou como já esta a base de dados dos Vieira Neto? Tenho pouco a pouco enviado:)

Abraços,

Roberto

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158663 | rafael | 06 Jun 2007 20:01 | Em resposta a: #158647

Cara M.Elisa
Tenho um apontamento "solto" de há muitos anos onde escrevi- os Fernandes Vieira, de Albufeira terão ligação familiar com os morgados das Relvas-Pera.!?!!!
Já teria reparado neste morgadio das Relvas,de Pera ?Onde teria eu lido isto ?!
E tb. no cas.º( séc. XVII ) de António (J ?.....) com Ursula Correia, de Alcantarilha ?pais da minha avó Vicência Nunes, que penso ser de Alcantarilha ? mas pode ser do Toinal, freg. de São Bartolomeu de Messines. Como ainda não tive oportunidade de confirmar, peço-lhe esta informação, de Alcantarilha.
Há quem julgue não ser de bom tom colocar-se links de tópicos abertos pelo próprio,ou dos que se referem directamente, como a fazer "reclamo".Digo isto, porque pensei agora colocar mais uns links que me dizem directamente respeito. A intenção é facilitar rápida e oportunamente(apenas com um clique) informações relacionadas com certos assuntos e obter respostas, poupando tempo e paciência aos interessados. Assim, quando calhar lá seguirão.
Cumprimentos e os meus agradecimentos pelas suas informações que são sempre úteis e esperadas ansiosamente.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158696 | melisa | 06 Jun 2007 23:08 | Em resposta a: #158663

Caro Rafael

Efectivamente tenho na minha BD o casamento de Vicência Nunes com António Rodrigues em Alcantarilha aos 26/6/1702.

Vicência Nunes nasceu em Alcantarilha aos 7/9/11679, sendo filha de António Martins e de s/ m.er Úrsula Correia, aí moradores.

Foram padrinhos e pad. Lourenço Correia e D. Eugénia.

A D.Eugénia que amadrinha era D.Eugénia Correia casada com o capitão Manuel de Melo da Cunha.

António Rodrigues por sua vez era filho de Domingos Rodrigues cc Domingas Annes, moradores em Alcantarilha.

Falecido António Rodrigues voltou a casar Vicência Nunes,também em Alcantarilha, aos 7/11/1710 com António Afonso, da freguesia de S.Bartolomeu de Messines, viúvo de Domingas Gonçalves.

Vicência Nunes era irmã inteira de Maria da Conceição, que em 6/11/1707, casou em Alcantarilha com Manuel Gonçalves, natural de Alcantarilha e filho de Manuel Rodrigues Adães cc Margarida Gonçalves.



Também encontrei outra Vicência Nunes mais antiga que sendo filha de Gaspar Alves e de s/m.er Maria Nunes casou em Alcantarilha aos 10/2/1614 com Vicente Martins.

Este Vicente Martins de quem não são nomeados pais no dito casamento seria provavelmente o que antes fora casado com Domingas Mestre entretanto falecida em Novembro de 1613, tendo feito testamento.

Deste 1º casamento foi Vicente Martins pai de Maria, b. em 19/1/1613 cujo padrinho foi Afonso Eanes dos Santos.

Do 2º casamento foi pai de vários filhos a partir de 1616.

Sabia assinar e foi morador na Rua Nova em Alcantarilha.

Os meus cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158700 | rafael | 06 Jun 2007 23:42 | Em resposta a: #158696

Cara M.Elisa

Deve calcular a minha satisfação por saber que de facto a minha avó Úrsula Correia é de Alcantarilha.Agora terei de ver se consigo saber a asc.ª dela.
Ainda não comprei microfilmes, porque não me é possível lê-los aqui e deslocar-me onde possa fazê-lo raramente isso é possível. Resido perto ( 20 mns aprx. de automóvel ao Arq. Dist. de Setúbal), o ano passado quando falei nisto não tive tal possibilidade, mas terei de tentar novamente.
Já pensei optar pela digitalização de alguns CDs para consultá-los em casa no computador, mas já me disseram serem deveras dispendiosos.

Mas, voltando à minha avó Úrsula Correia. Eu sou descendente dela e do seu marido António Afonso, da freg. de São Bartolomeu de Messines.
O que possa informar-me agradeço-lhe muito.

Cumprimentos amigos e obrigado pela informação que me alegra a noite.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158705 | rafael | 07 Jun 2007 00:01 | Em resposta a: #158696

Cara Melisa

Esqueci-me de dizer-lhe que fico a pensar nos padrinhos da minha avò Vicência Nunes - o Padre Lourenço CORREIA e D.Eugénia CORREIA, porque a mãe de Vicência é Úrsula CORREIA.
Eu sei que apelidos iguais não garantem consanguinidade, mas penso não ser descabido aceitar tal plausibilidade e a partir deles saber mais da minha família de Alcantarilha.

Mais uma vez grato pela ajuda.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158706 | melisa | 07 Jun 2007 00:03 | Em resposta a: #158700

Caro Rafael

Fico muito contente por ter podido ser útil.

Quem tenho casado com António Afonso é Vicência Nunes e não sua mãe Úrsula Correia.

De António Afonso nada sei.

Relativamente ao marido de Úrsula Correia, embora sem estar documentado penso descender (filho?) da Vicência Nunes mais antiga.

Quanto a Úrsula poderia ter ligações familiares muito próximas com o capitão Afonso Camacho ou com sua mulher Domingas Correia dado terem sido seus filhos (D.Eugénia Correia e Lourenço Correia) os padrinhos da sua avó Vicência Nunes.

Desejo-lhe uma boa noite

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158708 | melisa | 07 Jun 2007 00:06 | Em resposta a: #158705

Caro Rafael

Houve quase transmissão de pensamentos!

Veja a minha mensagem quase simultânea com a sua.

Mais uma vez boa noite
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158713 | rafael | 07 Jun 2007 00:53 | Em resposta a: #158708

Cara M.Elisa

Foi, na realidade,transmissão de pensamento. Sucede muito raramente.
Já agora, mais outro pedido, desculpe-me se abuso.Tenho interesse por saber da ascendência de Brás Gracia cc 16..? Domingas Vieira, são ambos de Pera e sei que os pais da Domingas são Antonio Afonso Valarinho e sua mr.Apolónia Vieira.

A continuação de uma boa noite
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158717 | melisa | 07 Jun 2007 01:33 | Em resposta a: #158652

Caro nuno inácio

MANUEL AFONSO casou com DOMINGAS LOPES em 2/7/1736 (Pera), sendo ele filho de MANUEL AFONSO e de BRITES ÁLVARES (que casaram também em Pera aos 14/4/1711) ele de s.Bartolomeu de Mesines e ela de Pera.

Neto paterno de outro MANUEL AFONSO e de s/mer MARGARIDA AMADA.

Neto materno de DOMINGOS FERNANDES PEREIRA e de s/mer CATARINA ALVES, moradores em S.Lourenço - Pera.

CATARINA ALVES, faleceu aos 23/5/1693, sendo ele dado como morador no Vale do Magere (Pera) em 1711.

Estes foram pais de :

Francisco, b 14/12/1664,

Vicência Neta, nascida provavelmente entre 1670 e 1679 que casou (I) em 8/5/1696 - Pera com Baltazar Jorge (3 casamento), morad Fonte do Negro - Pera f: 28/2/1698.
Casou (II) com André Pincho em 23/6/1698 em Pera.

Brites Álvares, atrás referida, nascida em Pera a 9/5/1680.

Relativamente a DOMINGAS LOPES ela era filha de PEDRO FERNANDES e de s/mer JERÓNIMA GARCIA.

À data do casamento da filha, Jerónima tinha já falecido sendo ele morador no Vale do Magere- Pera, suspeito que por ter entretando casado de novo, dado que durante o seu casamento com Jerónima viveu em Alcantarilha onde tinham casado em 12/2/1711.

PEDRO FERNANDES filho de LOURENÇO FRANCO e de ANTÓNIA ROCHA (Roxa) moradores em Alcantarilha, onde ela faleceu a 18/11/1712 com testamento, sendo testamenteiro o padre Domingos Rodrigues Roxo, talvez seu filho.

Antónia Rocha era filha de PEDRO FERNANDES ROXO, conforme consta quando amadrinha.
Dado existirem vários Pedro Fernandes e Fernandes que usam apelidos Roxo e Moxo, não deslindei mais dados concretos sobre esta família.

JERÓNIMA GARCIA era natural de Alcantarilha e filha ANTÓNIO GARCIA e de MARGARIDA MARTINS, moradores nos Estevais em Alcantarilha.

Cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158718 | melisa | 07 Jun 2007 01:52 | Em resposta a: #158713

Caro Rafael

Não tenho a sua ascendência.

O que tenho de Brás Gracia casado com Domingas Vieira , moradores em Pera é o casamento em Portimão aos 4/11/1696, de sua filha Bárbara Rodrigues, baptizada em Pera aos 4/1/1680(?) (apontei esta data incompleta mas julgo que será este o ano) com Miguel da Silva, natural da Senhora do Verde e morador em Portimão, filho de Tomé Barreto cc Violante Ribeira, à data já falecidos e moradores que tinham sido na Senhora do Verde.

Desejo-lhe também a continuação de uma boa noite

M.Elisa

Resposta

Link directo:

UM pedido a Melisa

#158719 | Marggo | 07 Jun 2007 02:11 | Em resposta a: #158423

Boa noite M. Elisa
Todas as noite vou ao forum espreitar o vosso topico que muito me tem ajudado.
Voltei ao ramo de Mx encontrei:
Marmelete.
Januária Mª Andez Rodrigues filha de Diogo Rodrigues e Felicia Mª Andrez( 1820?)
c c Francisco Antonio Ruivo(de Tavira)
Antonio Afonso Andrez cc Barbara Lourenço
Felix Rodrigues filho de Pedro Rodrigues e de Margarida Jorge cc Catarina Soares

Monchique.
Manuel Duarte Bispo ( n1675?) cc Maria Nobre

João DuarteLima cc Maria Teresa( da Amixilhoeira Grande)filha do Cap Rodrigues Pinto cc Brites Marreira (?)
Por acaso tem algo sobre estes casais?
Estou ordenando agora Odemira Aljezur e Saboia.
Sem pressas quando lhe fôr possivel.
Desde Ja´obrigada.
Cumprimentos
M. Margarida

Resposta

Link directo:

RE: UM pedido a Melisa

#158720 | melisa | 07 Jun 2007 02:18 | Em resposta a: #158719

Cara M.Margarida

Se não se importa vou responder-lhe em Gentes da Serra de Monchique para melhor sistematização.

Posso adiantar-lhe entretanto que para essas datas nada tenho de Marmelete pois não as estudei.

Até já
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158725 | rafael | 07 Jun 2007 03:49 | Em resposta a: #158696

Cara Melisa

Há uma Senhora D.Eugénia CORREA de Aragão cc Manuel de Mello da Cunha,na BDs do GENEA, filha de Afonso Camacho de Aragão e de Domingas CORREA sua mulher.Suponho que são estes que a Melisa refere.
Será esta Senhora a madrinha da minha avó Vicência e sua parenta, como parece, e em que grau ?

Afonso Camacho de Aragão cc Domingas CORREA também tiveram uma filha de nome Margarida de Aragão MASCARENHAS,e este apelido surge na mãe de uma senhora tb. de apelido CORREIA -Isabel Correia filha de Luís Mendes CORREIA e de sua mr. Inês Montans MASCARENHAS.Para deslindar estes parentescos,
Deus queira que mais participantes nos dêem tb. ajuda.
Obrigado por tudo.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#158727 | melisa | 07 Jun 2007 04:37 | Em resposta a: #158725

Caro Rafael

Ainda a fazer serão?

Quanto à D.Eugénia não tenho dúvidas que é a mesma, pois à data era a única senhora em Alcantarilha que aparecia nos paroquiais com dona.

O pai que me lembre e tenho registado como Capitão Afonso Camacho, o que não quer dizer que noutras fontes não surja como de Aragão, até porque em 30/8/1681 foi padrinho de um filho de D.Eugénia, ANTONIO DE ARAGAO solteiro filho do CAPITÃO AFONSO CAMACHO.

Também do filho de D.Eugénia e capitão Manuel de Melo da Cunha, também chamado Manuel de Melo da Cunha nascido em 30/6/1685, foi padrinho o Beneficiado Manuel Camacho de Aragão que seria familiar próximo.

Se eram parentes da sua Úrsula Correia não sei, agora que havia relações entre os mesmos, havia.

Nada mais tenho desta família.

Agora vou deitar-me pois já è bastante tarde

Um bom resto de noite
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Sebastião Rodrigues Roque

#158737 | flordealecrim | 07 Jun 2007 10:37 | Em resposta a: #158727

Cara M. Elisa

Com o excelente trabalho que tem feito a estudar as famílias de Alcantarilha e Pera, solicito a sua ajuda para encontrar o casamento de Sebastião Rodrigues Roque,filho de António Rodrigues Roque e de Maria Albina da Encarnação, e que nasceu em Pera em 1816, com Maria da Conceição.

Este teve ficou viúvo e casou novamente em Fevereiro de 1849 com Rosa Antónia em Pera. Pelo que o primeiro casamento ocorreu anes desta data, mas não sei se em pera ou Alcantarilhas.

Desconheço descendência deste Sebastião.

Antecipadamente grata.

Com os melhores cumprimentos.

Isabel Roque

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158740 | nunoinacio | 07 Jun 2007 10:58 | Em resposta a: #158717

Bom dia, cara Maria Elisa

Ao passar os dados que me mandou relativos a este ramo, deparei-me com um casal de Alcantarilha, já registado, que consta como António Graça e Margarida Martins, pais de Margarida Martins, nascida antes de 1690 e casada com Manuel Afonso em 15.03.1713 e pais de Maria da Conceição.

Por acaso encontrou alguma irmã da Jerónima que se chamasse Margarida?

Afinal, poderá ter havido um erro de leitura e este casal ser o mesmo, o que me tornaria descendente das duas irmãs.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158754 | melisa | 07 Jun 2007 13:55 | Em resposta a: #158740

Caro Nuno

Margarida Martins casada em 15/5/1713 com Manuel Afonso, sendo ele viúvo de Inácia Martins e filho de António Lopes cc Margarida Adães, é de facto irmã de Jerónima Garcia, mãe de Domingas Lopes.

Margarida Martins nasceu em Alcantarilha aos 4/11/1689.

António GARCIA (é assim que o tenho registado e não Graça, embora por vezes possa ser mencionado como Gracia, mas julgo que por erro e má pronuncia do padre, embora como sabe também exista no Barlavento o apelido Gracias, com acentuação no i. Registei-o como Garcia pois é este o apelido seguido por alguns dos seus filhos ).

Para além destas foi também pai com sua mulher Margarida Martins, de :

- Eulália (aparece no seu casamento como Olaya) Martins que casou em Alcantarilha aos 8/11/1705 com Gaspar Rodrigues.

- Inês Martins casou (Alcantarilha 12/10/1728) com Manuel Rodrigues, das Faxelas - Silves.

- Lourenço Martins Garcia que casou 3 vezes. Primeiro com Laurencia dos Santos, depois com Margarida dos Santos e por último com Isabel Gonçalves, sendo o 1ª casamento em Pera e os outros em Alcantarilha.

Cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Sebastião Rodrigues Roque

#158755 | melisa | 07 Jun 2007 14:07 | Em resposta a: #158737

Cara Isabel Roque

Trata-se de datas que não pesquisei pelo que não tenho nada na minha BD sobre as pessoas referidas.

Os meus cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158782 | nunoinacio | 07 Jun 2007 20:05 | Em resposta a: #158754

Boa noite, cara Melisa

Obrigado pelo esclarecimento.
Fiquei a saber o nome dos progenitores do Manuel Afonso.
Por acaso tem alguma referência sobre o casal António Lopes e Margarida Adães?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158800 | melisa | 07 Jun 2007 22:25 | Em resposta a: #158782

Caro Nuno

Apenas tenho que António Lopes e sua m.er Margarida Adães são moradores em Alcantarilha.

Tirei os seus nomes do 1º casamento de Manuel Afonso com Inácia Martins ocorrido em Alcantarilha aos 20/2/1708.

Manuel Afonso é dado como sendo morador no Malhão em Alcantarilha.

Inácia Martins faleceu em Alcantarilha aos 9/3/1713 e era fª de Manuel Gonçalves cc Margarida Neta também de Alcantarilha.

Cumprimentos para si e para a Graça e beijinhos à Vitoria
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158803 | nunoinacio | 07 Jun 2007 22:35 | Em resposta a: #158800

Obrigado!

A Vitória está na última ceia do dia. Agora decidiu que não dorme durante a tarde e a impertinencia aumenta...

Relativamente aos outros casais que lhe pedi, presumo que não tem nada. Estou correcto?

No último fim-de-semana fui à igreja dos mórmons, mas como tinha chegado um dos microfilmes do Tortosendo tive que ver esse, o que atrasou as minhas pesquisas de Pêra e Alcantarilha.
Espero conseguir acabar este fim-de-semana. Tenho Pêra muito atrasado porque não fotografei os assentos, que vi na máquina do Arquivo Municipal.
Caso necessite que procure algo é só dizer.
E os Processos, conseguiu retirar alguma informação interessante?

Cumprimentos para si e restante família

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158806 | rafael | 07 Jun 2007 23:37 | Em resposta a: #158803

Caro Nuno Inácio

Tenho tido agora muito boas ajudas da nossa estimada Melisa,mas não dispenso tb. a sua ajuda quando possa enviar alguma coisa do que vou pedindo informação.

Sobre os seus-GUERREIRO-sinto-me aborrecido comigo, porque não sei onde encontrar a relação que me enviou. Se não achar muito trabalho agradeço o seu envio e o mais desenvolvido possível,abarcando outras linhas de -GUERREIRO-que lhe digam respeito.

Uma boa noite. Cumprimentos tb. para sua Esposa e um bj. para a sua filhinha.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: manuel Afonso cc Domingas Lopes

#158808 | nunoinacio | 07 Jun 2007 23:55 | Em resposta a: #158806

Caro Rafael

Aqui deixo os meus ascendentes Guerreiro que já lhe tinha mandado. No final coloco outros Guerreiro que, com a subida de gerações que ocorreu entretanto foram surgindo:

Ramo do meu avô materno:
(Não consegui recuar mais, porque os livros de Albufeira foram destruidos)

José Guerreiro - natural de Albufeira, casado com Ana da Conceição, pais de
Manuel Guerreiro - natural de Albufeira, casado com Victoria da Paixão, pais de
José Guerreiro - natural de Albufeira - casou em 1852 c. Maria Victoria, pais de
Joaquim Guerreiro - natural de Albufeira - 1861 casado com Catarina de Jesus, pais de
António Guerreiro - natural de Pêra - 1891-1960 casado com Brites do Nascimento, pais de
Justino do Nascimento Guerreiro - natural de Alcantarilha - 1923 - meu avô materno

Ramo do meu avô paterno

João Guerreiro - natural de S. Marcos da Serra, antes de 1760, casado com Catarina Vieira
Pais de Catarina Maria (aqui perdeu-se o apelido Guerreiro neste ramo)

Ramo da minha avó paterna

Manuel Afonso - natural de Alte - casado com Maria Guerreiro - natural de S. Barnabé - Almodôvar
Francisco Guerreiro - natural de S. Barnabé - Almodôvar - casado com Inácia Maria, pais de
José Francisco Guerreiro - natural de S. Barnabé - Almodôvar - casado em 1843, em Silves com Maria Joaquina, pais de
José Guerreiro de Campos - natural de Odelouca/Silves 1852, casado com Francisca Rosa, pais de
Alexandre de Campos (aqui perdeu-se o apelido Guerreiro neste Ramo)

Os últimos a aparecer, sem ligação directa conhecida com os anteriores:

Inácio Guerreiro, natural da freguesia de S. Martinho, casado com Maria Joaquina, natural de S. Bartolomeu de Messines, c. 1740

Maria Guerreiro, natural de Alcantarilha, casada com Manuel dos Santos, também de Alcantarilha, c. 1680
avó de outra Maria Guerreiro, natural de Alcantarilha, casada com Domingos dos Santos, também de Alcantarilha, c. 1710

Agradeço qualquer informação.

Neste momento estou a lançar os nascimentos do Alferce. Como estive a fotografar as freguesias de Alcantarilha e Tortosendo e estive de férias, atrasei um pouco este trabalho, mas já vou em 1790.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Sebastião Lourenço cc Maria da Cruz

#158809 | melisa | 08 Jun 2007 00:01 | Em resposta a: #158652

Caro Nuno

O casamento de Sebastião Lourenço e Maria da Cruz realizou-se em período anterior à existência de paroquiais , pois já em 1/5/1667 baptizam sua filha Leonor [que será certamente a Leonor Pincha cc António Garcia, e que faleceu a 25/1/1703 , pais de Sebastiao Lourenço (casou Pera 27/4/1711), de Maria Pincha (casou Pera 1/8/1714) e de Matias Lourenço ( casou Pera aos 27/7/1717) ].

Em 3/3/1680 foram pais de Domingas Pincha que faleceu solteira em 2/7/1709.

Pais também de Isabel Adães que casou em Pera aos 27/5/1704 com Romão Lourenço, de Algôs.

E pais de Francisco Pincho (julgo que será por este que descende de Sebastião Lourenço) que casou em Pera aos 16/10/1709 com Maria dos Santos.

Vou tratar de um assunto e já volto para colocar o tenho dos restantes.

Espero que a Vitória já tenha adormecido. ;-)

Até já

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Sebastião Lourenço cc Maria da Cruz

#158810 | nunoinacio | 08 Jun 2007 00:08 | Em resposta a: #158809

Mais uma vez obrigado.

E não... A Vitória ainda não está a dormir :-))).

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Sebastião Lourenço cc Maria da Cruz

#158817 | melisa | 08 Jun 2007 02:11 | Em resposta a: #158810

Caro Nuno Inácio

Está visto que a Vitória também é uma noctívaga.

Faz-me lembrar a minha filha Inês, a mais nova, quando tinha a idade dela pois enquanto as duas mais velhas caiam para o lado, mal acabavam de jantar, a energia dela durava...durava ...

Sobre os processsos ainda estou um pouco atrasada, mas já li o que respeita ao seu avô Almotacé, e a referência a ser morador nas Padescas em Marmelete retira qualquer dúvida de que Vicente Francisco é o Vicente nascido em 26/12/1704, filho de Pedro Lourenço e Margarida Marreira.

Sobre os outros vou ver se nestes próximos dias os leio. A informação que têm é muito completa.

Sobre Sebastião Lourenço faltou dizer na mensagem anterior que morou em Benagaia , freguesia de Pera.

Sobre Gonçalo Rodrigues e Ursula Maria (a. 1730) nada tenho.

Passemos então a Gonçalo Mestre e Maria Alvares (a. 1690).

Casaram em Pera aos 24/9/1691, sendo ele filho de Marcos Mestre e Margarida Andresa, moradores no sítio dos Matos em Paderne, freguesia de onde provavelmente ele seria natural.

Gonçalo Mestre faleceu em Pera a 18/4/1712 tendo feito testamento.

Ela era filha de André Álvares e de s/m.er Maria Adães, moradores no Sítio dos Vales, ou Vale do Magere (penso que será o mesmo sítio) em Pera, onde o novo casal também ficou a morar.

Maria Adães faleceu aí em 18/8/1692 , tendo feito testamento.

Seu marido que lhe sobreviveu faleceu antes de 1702 não tendo voltado a casar.
Em 1695 é dado como morador no Carrascal também em Pera.

Teriam casado antes de 1663, pois em 27/5/1663 baptizam seu filho Manuel.

Pais de:

- Domingos Adães que casou em Pera aos 22/3/1702 com Maria de Jesus também de Pera e fª de Manuel Lourenço cc Maria Álvares.

Foram moradores em Benagaia tendo ele falecido antes de 1713.


- Inácio dos Santos que casou em Pera a 13/9/1695 com Andresa dos Santos de Pera, filha de Domingos Gonçalves cc Maria Santa.

julgo que seria este Inácio dos Santos o falecido em 20/2/1700 c/testamento.



- João Álvares que casou primeiro em Pera aos 11/3/1700 com Isabel Gonçalves, também de Pera, filha de Gaspar Andrés cc Inês Pires, moradores em Benagaia,Pera , onde também residiu o novo casal.

Falecida sua mulher, voltou a casar (Pera, 10/2/1721) com Margarida dos Santos, moradora em Lagoa como seus pais João dos Santos Canelas cc Luzia Neta.


- André Álvares, que foi testamenteiro de s/ mãe e casou em Pera aos 20/4/1700, com Maria Bota, natural de pera onde era moradora no Vale do Magere como seus pais Lourenço Correia cc Maria Bota.

Falecida Maria Bota em 9/6/1714, casa de novo com Maria Pincha também em Pera a 1/8/1714, sendo ela filha de António Garcia cc Leonor Pincha, moradores em Benagaia, Pera.


- Maria Álvares que casou em Pera a 24/9/1691 com Gonçalo Mestre, como referi atrás.

Pais de Maria dos Santos que casou em Pera a 16/10/1709 com Francisco Pincho, filho de Sebastião Lourenço cc Maria da Cruz , e seus antepassados.
Foram moradores em Benagaia, Pera.
Maria dos Santos faleceu em Pera a 20/1/1714 tendo feito testamento.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Sebastião Rodrigues Roque

#158826 | flordealecrim | 08 Jun 2007 09:54 | Em resposta a: #158755

Cara M.Elisa

Agradeço a sua informação.

Os meus cumprimentos
Isabel Roque

Resposta

Link directo:

RE: UM pedido a Melisa

#158896 | hugmartins | 09 Jun 2007 11:28 | Em resposta a: #158720

Cara Elisa,
Entào tudo bem!
Noto que esta perquisando em Pera..........talvez tendra algumas informaçoes sobre estes antepassados do meu marido.Mais uma vez venho solicitar-la....
Jà ha bastantes tempo que jà tinha posto estes dados no forum.....sem resultado.

ANTONIO JOSE DA ENCARNACAO
Baptiso :20 octubre 1878 ,filho primeiro de nome

Pai : ANTONIO DA ENCARNACAO
Màe : THOMAZIA RITA SEQUEIRA
naturais,recebidos e paroquianos desta freguesia

Neto paterno de : JOSE DA ENCARNACAO e AGUEDA DAS DORES
Neto materno de : JOAO SEQUEIRA e MARIA DAS DORES
Padrinho : FRANCISCO DOS SANTOS DUARTE PIMENTA

Irmào :HELIODRO DA ENCARNACAO nascido talvez Janeiro 1890
em Pera

Casou com AMELIA AUGUSTA GRADE 26 fevreiro 1906 em Albufeira

Ela baptisada 5 fevreiro 1884 em Albufeira
Filha de : ANTONIO JOAQUIM GRADE da Guia
e de : ADELIA DA PIEDADE de Albufeira

neta paterna de : FERNANDO JOSE GRADE e de LUCIA MARIA
neta materna de : FERNANDO JOSE VICENTE e ANGELA ANGELICA ANGELINA

Padrinhos : JOSE JOAQUIM VIERA JUNIOR e ANA JOAQUINA AGUAS.

E tudo o que possui...................se poder ajudar me..........muito obrigada.

Um abraço
Huguette

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#158946 | nunoinacio | 10 Jun 2007 00:17 | Em resposta a: #158563

Boa noite, cara Melisa

Hoje estive a ver os casamentos de Pêra e descobri o primeiro de Domingas Lopes ou Neta com Gaspar Luís, em 26.07.1694.
Esta é filha de André Alves e Margarida Neta.

Por acaso tem alguma referencia deste casal?

Não sei se me terá escapado alguma mensagem. Perguntou-me se era descendente do Fernando Neto e Catarina Vieira. Tem alguma informação sobre estes?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: UM pedido a Melisa

#158988 | rafael | 10 Jun 2007 22:03 | Em resposta a: #158720

Cara M.Elisa

Por acaso, terá na sua BDs um JOÃO de SOUSA cc MARIA GONÇALVES, em Pera (séc.XVII ),e um MANUEL de SOUSA cc INACIA RAMOS,em Paderne .

Desejo-lhe uma boa semana.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159104 | rafael | 12 Jun 2007 05:29 | Em resposta a: #158696

Cara M.Elisa

Sem esperar, fui ontem a Lisboa e ainda tive tempo de encontrar nos liv.s Paroq.s de Alcantarlha o batismo de -URSULA - a única que lá encontrei ,tendo nascido aos 30.10.1642,filha de GASPAR NETO e de ISABEL FERNANDES,e foram padr.s João Roiz e Maria Roiz mulher de Francisco Jorge.
Certamente será a minha avó-ÚRSULA CORREIA nat. de Alcantarilha e que foi a mãe da minha avó -VICÊNCIA NUNES.

Na msg. que me enviou sobre VICÊNCIA NUNES diz que foi padrinho o Padre Lourenço Correia e D.Eugénia Correia cc Manuel de Melo da Cunha capitão e homem fidalgo.Porém, no assento de batismo,li que ela nasceu em Alcantarilha aos 7.9.1679 como muito bem me informou na sua msg. neste tópico,e foi batizada a 19 do mesmo mês,"na igreja paroquial de seus pais" (Alcantarilha).

MAS,no respectivo assento de batismo de VICÊNCIA quem figura como padrinho é ÁFONSO CAMACHO de ARAGÃO (padre?) e como madrinha DOMINGAS CORREA e NÃO o padre Lourenço e D.Eugénia.

No GENEA, aparece AFONSO CAMACHO de ARAGÃO como marido de DOMINGAS CORREA e pais da D.EUGÉNIA mencionada.
Serão os padrinhos, da família de Ursula Correia?

http://genealogia.netopia.pt/pessoas/pes_show.php?id=115911

Uma boa noite e gostaria que se pronunciasse sobre o assunto.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: UM pedido a Melisa

#159178 | melisa | 12 Jun 2007 20:15 | Em resposta a: #158896

Cara Huguette

Espero que se encontre bem assim como o seu marido.

Já está em Portugal?

Gostaria de ter respostas para si, mas para as datas que refere não tenho microfilmes.
Antes há que pesquisar no Arquivo Distrital de Faro de forma a se encontrarem antepassados mais antigos e só depois poderei fazer alguma coisa.

Um grande abraço da

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#159184 | melisa | 12 Jun 2007 21:23 | Em resposta a: #158946

Caro Nuno Inácio

Após uma pequena ausência, passo a responder ao que me perguntou:

Em primeiro lugar gostaria que me esclarecesse onde encontrou a Domingas como se chamando Domingas Lopes, pois os dados que tenho, que não são muitos, referem-na sempre como Domingas Neta.

Relativamente a seus pais apenas sei que foram moradores em Benagaia -Pera, que ele já tinha falecido em 1685.

Casaram antes de 1666, pois em 21/1/1666 baptizaram a sua filha Brites (trata-se de Brites Neta que casou em Pera aos 12/8/1686 com Bartolomeu de Oliveira).

Logo em 23/2/1667 voltaram a baptizar outra filha- Brásia.

No período 1670 a 1679 terão provavelmente nascido 3 filhos:

- Maria Alves que casou em Pera em Fevereiro de 1685 com Bartolomeu Lourenço, tendo falecido aos 19/6/1687.

- André , falecido rapaz aos 7/8/1688

- Domingas Neta (sua antepassada) casada (I) com (Pera 26/7/1694) Gaspar Luís, morador em S.Bartolomeu de Messines e (II) aos 15/8/1712 em Pera com Manuel Afonso, filho de António Gomes cc Marta (?) Viegas. morador no Cercal (do Alentejo) termo de Vila Nova de Milfontes.

É tudo o que tenho, deste casal .

Quanto a ser descendente de Fernando Neto cc Catarina Vieira, trata-se do Fernando Neto que referi na minha mensagem de 6/6 pelas 00:39.

Cumprimentos
M.Elisa

PS: Já vi os manuscritos que me emprestou. Temos que combinar para lhos devolver.

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159193 | melisa | 12 Jun 2007 22:50 | Em resposta a: #159104

Caro Rafael

Tenho que me penitenciar!
Foram dois erros numa só mensagem.

Primeiro a data: Perante a sua questão, foi à procura do baptismo de Vicência, a Setembro de 1679 e não o encontrei.

Continuei a procurar para a frente e encontrei realmente o baptismo de Vicência.

Analisando os registos imediatamente anterior e posterior ao dito baptismo aquilo que me pareceu na altura ser 7 .bro (Setembro) seria na realidade 9.bro (Novembro) pelo que peço para corrigir a sua data de nascimento para 9 de NOVEMBRO DE 1679 e baptizada a 19 do mesmo mês.

Quanto aos padrinhos tem toda a razão: Lourenço Correia e D.Eugénia foram sim padrinhos no baptismo registado a seguir (Inês, filha de André Eanes e Maria de Abreu que nasceu a 15/9/1679 e baptizada a 23 do mesmo mês).

Por qualquer razão quando estava a registar o baptismo de Vicência saltaram-me os olhos para o baptismo seguinte e fiz asneira.

Passando agora aos verdadeiros padrinhos de Vicência:

Afonso Camacho de Aragão parece ter antes do nome P.e, seria assim o Padre Afonso Camacho de Aragão que também aparece noutros baptismos da época referido como beneficiado Afonso Camacho de Aragão.

Este seria morador em Alcantarilha(ou Pera) nessa época pois em 1686 aparece uma sua escrava a baptizar filho em Alcantarilha.

Mais tarde em 2/9/1700 fo padrinho também em Alcantarilha de uma criança sendo então referido como cura da Mexilhoeira Grande.

Sem saber qual a relação familiar que teria com o capitão Afonso Camacho julgo que seria muito próxima.

Quanto à madrinha Domingas Correia ela levanta uma questão:

Seria a mulher do capitão Afonso Camacho de acordo com o que está registado na BD do Genea ou seria uma outra Domingas Correia filha de João Franco e ÚRSULA CORREIA, já defuntos (?) em 1702 e que casou em Alcantarilha aos 16/5/1702 com António Vieira, filho de Fernão ou Fernando Vieira (falecido antes de 1691) e de s.m.er Leonor Álvares.

Os meus cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#159197 | nunoinacio | 12 Jun 2007 23:07 | Em resposta a: #159184

Boa noite, cara Melisa

Reparei na sua ausência e pensei que teria ido "brincar" ao Santo António para a capital. :-)

Obrigado por mais estes elementos que me enviou.

Relativamente aos manuscritos, não é urgente. Também ainda não consegui ver os microfilmes todos. Espero conseguir fotografar pelo menos o de Alcantarilha/Pêra este fim-de-semana.

Em todo o caso e independentemente de tudo o mais, terei muito gosto em tomar um café na sua agradável companhia. Como as noites estão a melhorar, poderemos combinar um café para um dia que lhe seja conveniente.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#159198 | melisa | 12 Jun 2007 23:27 | Em resposta a: #159197

Caro Nuno

Fui, mas não esperei pelo Santo.

Só lhe falei nos manuscritos pois poderiam estar a fazer falta. Quanto aos microfilmes pode continuar à vontade com eles pois não vou vê-los tão cedo.

Quanto ao café terei muito gosto mas mais lá para o fim da semana, por agora e embora Lisboa esteja tão próxima vou ver se "descanço" umas noites enquanto aproveito para acabar os casamentos de Monchique até 1720 e a seguir passar aos primeiros baptismos.

Beijinhos à Vitória e cumprimentos para si e para a Graça.

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159199 | rafael | 12 Jun 2007 23:50 | Em resposta a: #158700

Cara MElisa

Aqui estou de volta ao assunto de Vicência Nunes e da mãe Úrsula Correia.Ontem à noite já era tardíssimo e não respondi a esta msg.
Coloquei como marido de Ursula António Afonso, foi lapso meu, porque é marido de Vicência Nunes,portanto genro de Ursula. E assim tenho no GENEA.
E penso como a Melisa que URSULA CORREIA deve ter ligações familiares a AFONSO CAMACHO de ARAGÃO ou com a mulher deste DOMINGAS CORREIA, ou com os dois. Aliàs, aparece Domingas Correia e um Afonso Camacho de Aragão como padrinhos de baptismo de Ursula Correia.
Será difícil, quase impossível saber da ascendência dos pais de Ursula Correia, que nem sequer usam o apelido-CORREIA-,GASPAR NETO e ISABEL FERNANDES.
Se houver possibilidade da Melisa ou de algum confrade souber qual a ligação familiar ( se houver, como parece ) entre Ursula Correia com Afonso Camacho de Aragão e sua mr.Domingas Correa ficarei deveras agradecido que nos informem.
Como estamos em vésperas de Santo António, quem sabe?!...se mais tarde ou mais cedo tudo se descobre a meu contento.

Uma boa noite e desculpe a minha insistência.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159201 | nunoinacio | 13 Jun 2007 00:15 | Em resposta a: #159193

Boa noite, cara Maria Elisa

Ás voltas com os assentos de nascimento mais antigos do Alferce, encontrei um Diogo Furtado, solteiro, a apadrinhar uma filha (Teresa), de Bartolomeu Jorge Furtado e Águeda Rodrigues, baptizada em 1686.

Este Diogo Furtado era filho de Gaspar Manuel Nobre e Brites Nunes.

Apesar de acreditar não ser o seu Diogo Furtado casado com Teresa Metela em 1742, estou convicto de que poderá ser o avô paterno.

Cumprimentos
Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159208 | rafael | 13 Jun 2007 01:42 | Em resposta a: #159193

Cara Melisa

Os meus agradecimentos pela ajuda que tem dado.Que grau de parentesco terá o Pad. Afonso Camacho de Aragão com o capitão do mesmo nome e apelidos?Intuitivamente fui levado a ligá-lo por parentesco a Domingas Correia.Muitas vezes membros da mesma família são padrinhos e geralmente, na época que tratamos eram tb. da família do baptizado que apadrinhavam.
O apelido-CORREIA-tb. pertence ao pai de MANUEL CAMACHO de ARAGÃO(n. Algoz 5.9.1687)- Francisco CORREIA cc MARGARIDA GONÇALVES, tb.do Algoz.
Um pouco à margem do assunto, como complemento sublinho que a família-Gonçalves-do Algoz desse tempo, particularizo a linha dos-Gonçalves Meão era família nobre e principal; aliàs,na época que falamos era imprescindível que os casamentos se fizessem entre parentes ou entre famílias do mesmo nível ou superiores .
Desejo-lhe uma boa noite e obrigado pela atenção.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159213 | melisa | 13 Jun 2007 03:26 | Em resposta a: #159201

Caro Nuno

Aposto que o pai de Diogo Furtado não se chamava Gaspar Manuel Nobre mas sim Gaspar METELO Nobre.

Porque penso assim?

Porque em Monchique encontrei em 1666 a apadrinhar um Gaspar Metelo casado com Brites Nunes uma filha (também Brites), de Manuel Furtado Duarte cc Leonor Lopes ( MFD seria irmão da Isabel Furtada, nossa antepassada).

Julgo que este Diogo Furtado do baptismo poderá não ser ascendente do " meu " Diogo Furtado até porque este nome aparece várias vezes nesta família sendo o mais antigo conhecido, o padre Diogo Furtado referido pelo Dr Miguel Côrte Real e penso inclusivé que poderá haver 2 padres de duas gerações diferentes com o mesmo nome.

Resolve no entanto um problema que tinha: Seria o Gaspar Metelo cc Brites Nunes o Gaspar Metelo Nobre.

Também mostra que Brites Nunes seria uma Furtado podendo eventualmente ser irmã ou sobrinha de Isabel Furtado e Manuel Duarte Furtado cc Leonor Lopes.

Isso reforça a ideia de que poderiam descender de Brites Nunes do Barão de S.Miguel casada (I) com André Afonso e (II) com Gregório Lourenço de Mx e filha de Vicente Bravo (talvez Furtado) do Barão de S.Miguel cc Catarina Galego de Lagos

Agradeço que me indique tudo o que aparecer sobre Furtados e Metelos e também Martelos (ainda não sei se Metelo nºao será uma corruptela de Martelo).

Muito obrigada

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159228 | nunoinacio | 13 Jun 2007 13:23 | Em resposta a: #159213

Boa tarde, cara Maria Elisa

O assento não se vê muito bem, pelo que não coloco em questão que seja Metelo em vez de Manuel.

Já tinha dado estes assentos de baptismo por "perdidos" porque foram fotografados numa altura em que apenas tinha autorização para fotografar os assentos dos meus ascendentes. No entanto, como eram tão poucos, decidi colocá-los a todos como meus possiveis ascendentes e fotografei.
Ontem estive a rever os CD's mais antigos e descobri estes assentos. Irei vê-los com cuidado especial, nomeadamente no que se refere aos padrinhos, pois é a última geração que se consegue encontrar no Alferce.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: UM pedido a Melisa

#159234 | hugmartins | 13 Jun 2007 14:58 | Em resposta a: #159178

Cara Elisa
Obrigada.Sonho poder adiantar...........
Estarei em Portugal principios de Julho.Logo telefono.
Um grande abraço para si e familiares
Huguette

Resposta

Link directo:

RE: MEÕES,GRADES,ABREUS e FRS VIEIRA

#159261 | rafael | 13 Jun 2007 19:12 | Em resposta a: #158523

Caro Nuno Inácio

Ao reler este tópico, lembrei-me dos -ÁLVARES MIÃO-da Guia- e dos outros da Guia e Albufeira, aqui referidos.
Deus queira que alguém descubra a ascendência deles, porque parece-me difícil (eu) consegui-lo sem ajuda. Se for o Nuno Inácio prometo-lhe que gostaria de bebermos algo de especial para comemorarmos tal acontecimento.
Nunca perco a esperança de obter o que desejo,quando é possível, claro ; e assim vou-me preparando para o evento :-)

Cumprimentos amigos.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159272 | melisa | 13 Jun 2007 22:49 | Em resposta a: #159228

Caro Nuno

Queria pedir-lhe, caso seja possível, para confirmar o nome do pai de Vicente Duarte Silva casado com Teresa Metela.

Eu tenho o pai de Francisco Duarte Silva casado com a Teresa Metela (sobrinha) como José da Silva e já vi no seu ficheiro que o Nuno também assim tem.

Mas relativamente ao Vicente tem João como pai.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159283 | nunoinacio | 13 Jun 2007 23:39 | Em resposta a: #159272

Boa noite, cara Maria Elisa

Estive a rever os assentos.
No assento de casamento do Vicente Duarte Silva, o pai aparece como João da Silva, mas tal se terá devido a erro do padre, pois no assento de nascimento dos netos aparece como José da Silva.

Quando tinha dúvidas sobre se os casais eram os mesmos, optei sempre por criar casais novos. Terá sido este o caso quando registei os casamentos.
Ao registar os nascimentos, já não perdi tanto tempo a confirmar os dados dos avós quando via que já estavam registados, limitando-me a adicionar dados, como o local de nascimento ou profissões.

Assim, o ascendente é o mesmo.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: MEÕES,GRADES,ABREUS e FRS VIEIRA

#159286 | nunoinacio | 13 Jun 2007 23:47 | Em resposta a: #159261

Caro Rafael

Subir algo em Albufeira, será certamente bastante dificil.
Relativamente ao Capitão de Ordenanças Afonso Álvares Mião, terão que existir, necessariamente, documentos relativos a ele, sejam de ordem militar, judicial ou civica.
Estive a ler o livro que nos ofereceram no jantar de Loulé com as actas de vereação e apercebi-me da possibilidade de subir gerações com dados colocados nessas actas.
Estou a pensar, durante as férias, a ir à câmara de Silves para ver o que lá há de actas de vereação e documentos antigos, talvez se consiga descobrir mais alguma coisa. Também pretendo ir ao Tribunal para ver se têm processos crimes e cíveis desse período. Em Lagos já encontrei processos de 1630. Como Silves era muito mais velha e maior, possivelmente haverá por lá algo perdido desses tempos.

E relativamente aos meus Guerreiro de São Barnabé, alguma novidade?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159288 | melisa | 14 Jun 2007 00:16 | Em resposta a: #159283

Caro Nuno

Muito obrigada.

Era o que eu julgava.

José da Silva, casou com Maria Duarte aos 6/9/1717 ele filho de Diogo Fernandes Silva, natural de Silves e de s.mer Catarina Dias, natural de Mx (Banho)
moradores no Banho em Mx

Ela filha de Domingos da Costa cc Jerónima Duarte, moradores no Melão Mx onde o novo casal também residiu.

Domingos da Costa depois de sua mulher ter falecido casou novamente com Isabel Rodrigues aos 25/10/1706 (sendo esta filha de Domingos Andrés cc Maria Rodrigues)

Por sua ver Diogo Fernandes da Silva era filho de Luís da Silva cc Brites Lopes,moradores em Silves, já falecidos em 1673, e casou em Mx aos 6/2/1673 com Catarina Dias, filha de Bartolomeu Dias cc Maria da Silva, moradores no Banho.
Este apelido Silva perdurou neste meu ramo até à minha avó materna, sendo usado por todos os seus ascendentes directos, com excepção de seu avô paterno, que no entanto o transmitiu.

Desejo-lhe uma muito boa noite

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: MEÕES,GRADES,ABREUS e FRS VIEIRA

#159295 | rafael | 14 Jun 2007 01:29 | Em resposta a: #159286

Caro Nuno Inácio

Brevemente vou enviar-lhe os "meus" Guerreiro da freg. de São Barnabé tb. com ligações a outras freguesias.
Eu sei o que me custa esperar uma resposta que me seja útil e, mais ainda, quando penso que pode confirmar o que julgo; sobretudo quando sei que alguém, com um pouco de boa vontade, me podia ajudar, ou dar-me alguma sugestão.

Uma boa noite para si e sua Família.
Rafael

Resposta

Link directo:

Vale de Magere

#159353 | judiaria | 14 Jun 2007 16:40 | Em resposta a: #158817

Cara Melisa
O sitio da freguesia de Pera referenciado como Vale de Magere é de certeza Vale de Margem que fica entre Montes Raposos e São Lourenço do Palmeiral. Quanto ao sitio Toinal na freguesia de São Bartolomeu de Messines, chama-se na realidade Joinal, e fica entre Messines e o Algôz.

Tenho um ascendente Marcos Mestre que é avô em 1769, mas casado com Feliciana Roxa, no Algoz. Ou será outra pessoa ou um 2º casamento. Tem entre outros uma filha Ana casada com José Grade, da Guia-Albufeira, este filho de Manoel Grade e de Marianna da Assumpção ambos da Guia.

Cumprimentos

Joaquim Reis

Resposta

Link directo:

RE: Vale de Magere

#159358 | melisa | 14 Jun 2007 16:57 | Em resposta a: #159353

Caro Joaquim Reis

Muito obrigada pela sua informação.

Fax todo o sentido que Vale do "Magere" seja Vale de Margem.

Não conheço a toponímia desta zona do Algarve pelo que ando um pouco às aranhas.

Sobre Marcos Mestre que refere não tenho qualquer informação.

Os meus cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Vale de Magere

#159396 | nunoinacio | 14 Jun 2007 21:06 | Em resposta a: #159353

Boa noite, caro Joaquim

Por acaso reparou nas mensagens que lhe mandei no tópico Gentes da Serra de Monchique relativamente aos nossos ascendentes espanhóis?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159399 | nunoinacio | 14 Jun 2007 21:28 | Em resposta a: #159272

Boa noite, cara Maria Elisa

No seguimento da conversa que tivemos esta tarde, informo que o meu Amador Luís, casado com Isabel Jorge em 1740, é filho de Francisco Luís e Maria Marques, sendo ela filha de Martinho Jorge e Catarina Vicente, todos de Monchique, não sendo neste ramo que tenho como ascendente o Nuno Martins.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159412 | melisa | 14 Jun 2007 22:41 | Em resposta a: #159399

Caro Nuno

Não sei se já tem estes dados:

Francisco Luis AMADO casou em Mx aos 14/9/1700 com Maria Marques, ( foram moradores no Monte Velho) sendo ele fº de Amador Luís Amado cc Margarida Mateusa e ela fª de Fancisco Estevens Andrés cc Maria Marques.

Por sua vez AMADOR LUÍS AMADO, b. Mx 27/2/1649 e falecido antes de 1710, tinha casaso também em Monchique com MARGARIDA MATEUSA em Mx aos 8/5/1673.

Ele filho de FRANCISCO LUÍS AMADO e de INÊS ÁLVARES, moradores no Açor. F.L.A, faleceu em 8/5/1683 sendo seu filho Amador Luís o testamenteiro.


Ela fª de LOURENÇO MATEUS e de s/ m.er SUSANA AFONSO.

Quando Falamos ao telef estava a confundir com o seu Francisco Nunes Amado, este sim filho de Nuno Martins, o que aliás faz todo o sentido.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159416 | rafael | 14 Jun 2007 23:05 | Em resposta a: #159193

Cara Melisa

É natural que a informação que dou ligando-a a uma pessoa de família, cause algum sorriso irónico e não só...,mas segue como curiosidade.
A minha avó Úrsula além de ter o apelido-CORREIA-que os pais não apresentam e desconheço a origem, poderia usar tb. o apelido-FERNANDES-pela mãe-Isabel FERNANDES.

Interessante por me chamar a atenção é a concessão de armas novas em 1488, por D.João I ao seu feitor Diogo cujos apelidos são- FERNANDES C O R R EI A.
( no GENEA v/família Fernandes).Claro, que apelidos iguais,quase sempre, não correspondem a parentescos com famílias que o usam, qualquer pessoa por pouco que perceba de genealogia sabe isso,mas a coincidência é flagrante.

Os meus cumprimentos.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159419 | nunoinacio | 14 Jun 2007 23:08 | Em resposta a: #159412

Boa noite, Melisa

Não tinha qualquer um dos dados que acabou de me mandar, o que lhe agradeço.

Não sei se já teve a oportunidade de ver, mas mandei-lhe uma mensagem para o email, com um conjunto de dados interessantes.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159422 | melisa | 14 Jun 2007 23:34 | Em resposta a: #159419

Caro Nuno

Acabei de ver!

Esta minha mania de ligar pouco aos emails leva a que seja mais fácil de me contactar aqui :-))

São muito interessantes as listas que me enviou (embora so as tenha visto por alto).

Como gostaria de ter listas semelhantes relativas a Mx, conforme falamos, é que se Alcantarilha/Pera foi apenas uma tentativa de encontrar e aprofundar avós, já Mx poderá vir a ser um projecto maior.

Cpmts

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159426 | melisa | 15 Jun 2007 00:00 | Em resposta a: #159416

Caro Rafael

Sem querer parecer desmancha-prazeres, já pensou que a sua Úrsula pode não ter nascido em Alcantrarilha, sendo apenas aí moradora depois de casada?

Mas claro também pode ter nascido em Alcantarilha e ser a que referiou na sua mensagem.

Também o que reparei quando pesquisei em Alcantarilha é que na sua esmagadora maioria os padrinhos, ou pelo menos a madrinha eram familiares muito próximos.

Quando assim não acontecia, os pais da criança pertenciam à "clientela" do padrinho.

Sobre os padrinhos da Úrsula baptizada em 1642 o que tenho é que tiveram uma filha de nome Ana cujos padrinhos foram Francisco CORREIA e Isabel Dias, solteira.

Os meus cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159431 | melisa | 15 Jun 2007 00:04 | Em resposta a: #159426

Em tempo

Quando referi padrinhos de Úrsula queria dizer madrinha Maria Rodrigues e seu marido Francisco Jorge.
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159440 | rafael | 15 Jun 2007 02:09 | Em resposta a: #159426

Cara M.Elisa

Tem toda a razão,em tudo o que diz. Mas, tento...,tento saber se estarei certo ou errado, porque estou muito limitado na pesquisa directa.
A M.Elisa Não é nada desmancha-prazeres, pelo contrário; as pessoas amigas são as que dizem a verdade e o que pensam, agrade ou não.É o que costumo fazer.
Quando enviei a informação,mais como curiosdade genealógica e heráldica, fiz logo o reparo de alguma ironia;embora, não vou ser hipócrita, e dizer que não passou ao de leve essa hipótese.Por que não?! Contudo, se eu receasse expor-lhe o assunto como o coloquei,ficaria na dúvida e acho que tem razão. O meu obrigado por ter ainda paciência de responder-me.
Também penso enviar-lhe uma msg. sobre o assunto da sua msg. dirigida ao Nuno Inácio e a mim no dia 6.6.2007, 0039-Leonor Alvares casada com Álvares Mião. Sei que talvez a resposta ou respostas não sejam do meu agrado, mas se pensar nisso fico atado e nunca pediria certas informações.
Assim, peço-lhe continue a ser, para mim -, "demancha-prazeres",agradeço-lhe se for caso disso ( Deus queira que isso aconteça poucas vezes, porque é sinal que a resposta me foi favorável).

Uma boa noite .
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159445 | melisa | 15 Jun 2007 03:16 | Em resposta a: #159440

Caro Rafael

O Rafael que faz pesquisa geneaógica de uma forma séria, já reparou quantos intervenientes neste fórum têm certezas absolutas de descenderem deste ou daquele rei?

A grande maioria baseia-se num nome IGUAL que viu referido por qualquer genealogista como Felgueiras Gaio e quejandos, (sem lhes tirar o mérito, pois na altura era bem mais difícil do que hoje fazer genealogia, mas que a cada passo mesmo para épocas relativamente recentes se detectam erros).

E então se falamos com alguém menos dado a estas lides e que a propósito de fazermos pesquisa genealógica é certo e sabido que terá na família passada pelo menos um conde ou um visconde.

Ah, agora também está na moda descender de qualquer família cristã nova!

Não é assim que entendo as suas questões que nada têm de extraordinário e resultam apenas de querer recuar mais e o Rafael não as afirma. Apenas lança hipóteses.

Também eu coloco muitas vezes hipotéticas relações familiares para este ou aquele, o problema é que a solução do puzzle não vem no fim do livro :-)

Assim...

Um Abraço

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159541 | nunoinacio | 15 Jun 2007 19:23 | Em resposta a: #159445

Boa tarde, cara Maria Elisa

Hoje vou a um jantar de despedida de uma colega que se reformou, pelo que não tenho tempo para lançar todos os mais de 100 dados novos que recolhi no Arquivo Distrital no dia de hoje.

Encontrei lado o nosso confrade Cabecinha, a quem tomei a liberdade de lhe dar o seu contacto, pois gostaria de trocar umas impressões consigo. Espero que não leve a mal...

Entre muitos outros, encontrei o assento de casamento do Milão Noleto, que casou em 08.03.1677 na freguesia da Sé, com Maria Rodrigues, filha de João Fernandes e Joana Dias. O Milão Noleto era natural de Olona, Reino de FRança e filho de Laudo Noleto e de Adriana Clara.

Encontrei o casamento do meu José António Canelas com Maria Inácia em 15.11.1842, que ocorreu no Alferce. Infelizmente não tinha os nomes dos avós, mas fiquei com a certeza de que são de Portimão, moradores nas Casas Velhas.

Também encontrei o casamento de Manuel Joaquim e Teresa de Jesus, em Monchique, a 15.02.1859. Este já tem o nome dos pais e dos avós, que são:

Manuel Joaquim, filho de Joaquim José e Ana da Conceição, neto paterno de Francisco José e de Quitéria Maria e neto materno de José António e Maria da Conceição

Teresa de Jesus, filha de António Duarte e Maria José, neta paterna de Joaquim Duarte e Teresa da Conceição e neta materna de Ventura José Águas e Maria Teresa.

Todos de Monchique.

Tenho mais gente de Alcantarilha e Pêra com ligações ao Algoz.
Amanhã lanço os restante dados.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159544 | nunoinacio | 15 Jun 2007 19:43 | Em resposta a: #159445

Boa tarde mais uma vez.

Como eu suspeitava, pelo nome, Milão de Noleto poderia ser Francês na época do seu nascimento. Mas Olona, terra onde nasceu, pertence à actual Itália, localizando-se na zona norte desse país, próximo da cidade de Milão.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159586 | melisa | 16 Jun 2007 00:40 | Em resposta a: #159544

Caro Primo Nuno Inácio

Grandes novidades.

Afinal Milano Noleto era Italiano, como o nome parecia apontar.

Afinal terá de viajar até Itália. Mas vai ser difícil subir neste ramo dado que segundo estive a ver existem pelo menos sete comunas (todas vizinhas) com o nome de Olone.

Agora sobre Monchique:

Temos mais parentes comuns, estou agora a ver já lhe digo o que tenho.

Até já

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: vários

#159600 | melisa | 16 Jun 2007 02:38 | Em resposta a: #159586

Caro Nuno

Sobre o ramo de Monchique que referiu na sua mensagem anterior vou responder-lhe no tópico "Gentes da serra de Monchique" por ficar melhor enquadrado".

Até já
M.Elisa

Resposta

Link directo:

Algoz com ligação a Alcantarilha

#159637 | nunoinacio | 16 Jun 2007 15:15 | Em resposta a: #159600

Boa tarde, cara Maria Elisa

Costuma-se dizer que as galinhas apressadas dão pintos carecas...
Foi o caso do meu casal de Monchique. Logo que cheguei a casa, apressei-me a mandar a mensagem a dizer que tinha encontrado o meu casal mais atrasado de Monchique, mas hoje, ao ir introduzir os dados que me mandou, verifiquei que este não era aquele que eu procurava.
Apesar de o nome dos pais serem os mesmos e a data de casamento se enquadrasse na perfeição, tinha já registado o nome dos avós, que não coincidem minimamente.
Como até hoje não encontrei outro casal com o mesmo nome, nem no Alferce nem em Monchique, seria mais prático aproveitar os dados que a Maria Elisa me deu e colocá-los como se fossem os meus ascendentes, mas o que eu procuro mesmo são os que contribuiram para que eu hoje esteja aqui e não outros :-))

Agradeço os dados que me mandou e todo o trabalho que teve, mas voltamos a ser primos apenas nos ramos em que já o eramos antes.

No entanto, talvez os nossos ramos se voltem a entroncar com os dados que recolhi no Algoz, pois encontrei apelidos que têm sido badalados no fórum e que já a vi a intervir em alguns.

Vou colocar os dados que recolhi aqui no fórum, pois poderão vir a ser úteis para alguém e poderá ter alguma informação relativa aos que me faltam:

Ascendencia de:

Joaquim Gonçalves de Brito, casado em Alcantarilha com Maria Francisca em 21.08.1832, nasceu em 19.06.1808:
Pais:
João Gonçalves, de Santana da Serra e Matilde Maria (nascida em S. Martinho ou em Messines), não casaram no Algoz
Avós:
Gregório Gonçalves e Teresa Maria (Santana da Serra)
Inácio Guerreiro (S. Martinho) e Maria Joaquina (Messines)

------------------------------------------------------------------------------

José Cabrita, casado em 26.07.1799, com Francisca Rosa, de Alvôr
Pais:
Domingos Cabrita, de Alcantarilha e Margarida Teresa, do Algoz, casados em 27.09.1787, no Algoz
Avós:
José Cabrita e Maria Santa (ambos de Alcantarilha, cuja ascendencia já é conhecida)
Manuel Rodrigues e Rosa Maria (apesar de constarem ambos como sendo do Algoz, não encontrei o casamento)

---------------------------------------------------------------------------------------------

Pedro Martins, casado em 26.02.1786, em Alcantarilha com Isabel Nunes
Pais:
Francisco Lourenço, casado em 20.02.1730, com Maria Martins, ambos do Algoz
Avós
Domingos Lourenço e Maria Vicente ou Violante, ambos do Algoz, cujo casamento não encontrei
Manuel de Sousa e Catarina Martins, ambos do Algoz, cujo casamento não encontrei

--------------------------------------------------------------------------------------------

Belchior Fernandes, casado em 27.07.1698, com Paula de Arez, de Pêra, tinha casado no Algoz em 06.06.1688 com Brites dos Santos, na condição de viúvo de uma Catarina ?, cujo primeiro casamento não encontrei.

-------------------------------------------------------------------------------------------

Inácia Maria, casada com José das Neves, de Alcantarilha, em 10.05.1803
Pais:
Manuel Gonçalves e Maria da Luz, ambos do Algoz
Avós:
Francisco Martins, casado em 04.02.1742, com Ana Maria, ambos do Algoz
António Neto, casado em 19.02.1743, com Inácia Maria, ambos do Algoz
Bisavós:
João Martins, de S. Bartolomeu de Messines, casado em 14.01.1710, com Domingas Anes, do Algoz
Manuel Estevens, casado em 20.08.1710, com Margarida Gonçalves, ambos do Algoz
Baltazar Gonçalves e Luzia Neta, moradores em Santo Estêvão, Silves
Francisco Jorge, de Marmelete, casado em 16.05.1718 com Ana Gonçalves, do Algoz
Trisavós:
Marcos Barbudo e Margarida Alves, de S. Bartolomeu de Messines
Alvaro Pires e Domingas Lourenço, ambos do Algoz, (não encontrei o casamento)
Bartolomeu Estevens, do Algoz, casado em 17.07.1682, com Bárbara Mogo, de Messines. Ele viuvo de Maria dos Santos com quem casara em 04.07.1677 e filho de Domingos Alvares e Catarina Estevens e ela filha de Baltazar Afonso e Domingas Gonçalves, de Messines.
Manuel Pincho, de Paderne, casado em 30.09.1680, com Ana Gonçalves, do Algoz, ele filho de Pedro Vaz e de Beatriz Pincho, de Paderne e ela filha de Marcos Coelho, de Boliqueime, casado em 25.04.1660 com Margarida Gonçalves, neta paterna de João Rodrigues e Bárbara Coelho de Boliqueime e neta materna de Gaspar Lourenço Marreiro e Ana Rodrigues, ambos do Algoz
?
?
Manuel Rodrigues e Maria Mimosa, ambos de Marmelete
João Alves, viuvo de Margarida Neta, de Alcantarilha, casado em 19.02.1691 com Maria Silva, do Algoz, esta filha de Pascoal Vaz, casado em 11.01.1677 com Maria Lourenço, neta paterna de Marcos Afonso e Maria de Oliveira e neta materna de Romão Lourenço e Joana Rodrigues, todos do Algoz

------------------------------------------------------------------------------------------

Albino dos Santos, casado em 24.05.1774 com Graça Maria, de Pêra
Pais:
Manuel dos Santos Mendes, casado em 15.11.1739, com Iria de Oliveira do Sacramento (nomes que constam do casamento, mas que não constam dos assentos de baptismo dos filhos), ambos do Algoz
Avós:
Venâncio dos Santos, casado em 13.11.1707, com Maria da Paixão, ambos do Algoz
Francisco Luís Rolim, casado em 30.11.1719 com Catarina de Sena, ambos do Algoz
Bisavós:
Baltazar dos Santos, casado em 03.06.1685, com Bárbara Rodrigues, ambos do Algoz, ele viúvo de Maria Jorge e ela filha do Alferes Bartolomeu Rodrigues, casado em 24.02.1664 com Domingas Vieira, sem que conste o nome dos pais.
Domingos Mendes, casado em 09.02.1682, com Domingas Rodrigues, ele filho de Manuel Mendes e Maria dos Santos e ela filha de Domingos Rodrigues e Maria dos Santos, neta paterna de Francisco Rodrigues e Inês Gonçalves e materna de Manuel Vaz Arez e Vicência dos Santos
Marcos Luís e Beatriz Rodrigues
Francisco Lopes, casado e, 14.06.1699, com Leonor Marreira, ele filho de Francisco Lopes e Leonor Pincha e ela viuva de António Alvares?

Com os melhores cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Algoz com ligação a Alcantarilha

#159650 | melisa | 16 Jun 2007 16:43 | Em resposta a: #159637

Caro Inácio

Lá que me deu trabalho, deu.

Mas já viu que fui recompensada pois ganhei dois pares de avós, que o nosso confrade Rui Pereira ( e primo também por outras viaspara além daquela) me fez o favor de referir.

É claro que embora não sejam seus, os acrescentei à minha BD, pois o que não há dúvida é que descendem daquela gente.

Monchique é muito complicado, pois existem inúmeros casamentos consanguíneos, depois existindo o hábito de dar o nome dos avós aos filhos aparecem primos direitos com o mesmo nome que por vezes casam com pessoas do mesmo nome (elas por vezes também parentes entre si), dando origem a que na mesma época haja casais com os mesmos nomes, só possíveis de distinguir, sobretudo quando deixam de ser nomeados avós, pelos locais onde residiam.

Este foi um dos principais motivos que me levou a registar todos os casais.

Já agora e por curiosidade como se chama o casal seu ascendente que pensou ser aquele? e que mais dados tem deles?

Os meus cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Algoz com ligação a Alcantarilha

#159657 | nunoinacio | 16 Jun 2007 17:50 | Em resposta a: #159650

Pois é!

Se não fosse o meu engano, também o Rui Pereira não saberia dessa sua ascendencia comum e ficaria em falta com os elementos que ele agora forneceu.
Há males que vêm por bem... E já não me pesa tanto a consciência pelo trabalho que lhe dei.

O meu casal Manuel Joaquim com Teresa de Jesus, são filhos, respectivamente, de Joaquim Duarte e Maria Josefa do Alferce e de José da Silva e Ana Rosa de Monchique.
Já tenho toda a ascendencia do Manuel Joaquim, mas falta-me a da Teresa de Jesus, que é o ramo mais atrasado que tenho na minha árvore.
Como não encontrei o casamento deles no Alferce, fui procurar em Monchique, pois tal registo ainda está em livros no Arquivo Distrital, só que me esqueci de apontar os nomes dos pais, levando-os como se fossem um casal em fim-de-linha.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Algoz com ligação a Alcantarilha

#159674 | melisa | 16 Jun 2007 19:43 | Em resposta a: #159657

Caro Nuno Inácio

Com esses nomes ( sobretudo Ana Rosa) não me admirava nada que ainda venhamos a ser parentes por esse ramo, que tem várias Anas Rosa, mas terá certamente de recuar mais um pouco.

José da Silva/Ana Rosa terão já casado no período dos microfilmes pelo que vou procurar o seu casamento e talvez também Manuel Joaquim tenha casado no período abrangido pelos microfilmes pois conforme o Nuno me informou em tempos, uma sua irmã Maria Joaquina casou no Alferce em 1834.

Até Já
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Algoz com ligação a Alcantarilha

#159689 | nunoinacio | 16 Jun 2007 20:38 | Em resposta a: #159674

Boa noite, cara Maria Elisa

Obrigado pela ajuda.
De facto, o Manuel Joaquim é irmão da Maria Joaquina.
De uma coisa, no entanto, tenho a certeza: Ele não casou no Alferce.
Acredito que tenha casado em Monchique.
Se a Maria Elisa tem o microfilme dos casamentos de Monchique que abrande este período, agradeço a disponibilidade.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Algoz com ligação a Alcantarilha

#159714 | melisa | 16 Jun 2007 23:03 | Em resposta a: #159689

Caro Nuno Inácio

Terá de ir de novo a Faro, pois Manuel Joaquim não casou antes de 1844.

Encontrei no entanto o casamento (único no espaço de 2O anos entre pessoas do mesmo nome) de José da Silva e Ana Rosa aos 5/9/1824.

Ele filho de Inácio da Silva e Claudina Maria, do sítio do Calvo em Mx.

Neto Paterno de João da Silva e Antónia Maria, do sítio da Malhada Quente, Mx

Neto Materno de José da SilvaVentura e Ana Lopes, da casa Velha , freguesia do Alferce.

Ela, filha de Gabriel José e Rosa Maria, do sítio do Barranco, Mx.

Neta Paterna de Domingos Lourenço e Margarida Canelas do sítio do Gavião, freguesia de Santa Clara.

Neta Materna de José Lourenço e Catarina Rosa, dos Pardieiros (?), freguesia do Alferce.
Foram testemunhas José do Patrocinio e Francisco José.

Em relacção aos de Monchique nenhum consta da minha BD.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Algoz com ligação a Alcantarilha

#159722 | nunoinacio | 16 Jun 2007 23:28 | Em resposta a: #159714

Obrigadissimo, cara Maria Elisa.

Respondo-lhe com outra novidade.
O nosso Nuno Martins, foi padrinho solteiro de um Belchior, filho de Manuel Afonso e Maria Marreira.

Também de Monchique a apadrinhar solteiro tenho um Manuel Luís, filho de Brás Luís Andrez e de Catarina Pereira. Foi padrinho de um filho de Jorge Afonso e Maria Nunes

Acho que também já vi a Maria Elisa interessada neste casal:
Estêvão Andrez de Lima e Catarina da Assunção, foram pais de uma Catarina, nascida a 01.12.1681, que teve como padrinhos Manuel Luís, filho de Brás Luís Andrez e de Margarida Pereira, de Monchique e Maria Estevens, filha de António de Lima e Margarida Estevens, do Alferce

Estou a ver os antigos do Alferce.
Logo que tenha mais novidades, digo-lhe.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

Monchique e Alferce

#159726 | nunoinacio | 17 Jun 2007 00:26 | Em resposta a: #159714

Como sei que costuma colocar os dados que procura na sua base de dados, envio-lhe os ascendentes dos do Alferce.

Graças à sua ajuda este ramo, que era o mais atrasado que tinha, está praticamente concluido, uma vez que dificilmente se conseguirá subir mais alguma geração no Alferce.

Esta situação veio a comprovar que o trabalho à primeira vista faraónico de colocar todos os dados no PAF acaba por trazer vantagens. Se não o tivesse feito, agora teria que perdir novamente os microfilmes, rever os assentos e tirar os apontamentos. Assim, tenho todos os dados conhecidos:

José da Silva Ventura, nascido a 14.07.1759, casou em 30.07.1779 com Ana Lopes.
Ele filho de:
Bartolomeu Rodrigues, casado em 28.11.1756 com Filipa Rodrigues.
Neto de:
João Rodrigues, falecido antes de 1741 e Domingas Jorge
Manuel Rodrigues e Maria Rodrigues

Ela filha de:
pai incógnito e Mónica Lopes
Neta de:
José Lopes e Margarida Andrez

--------------------------------------------------------------------------------------

José Lourenço, casou em 14.11.1763 com Catarina Rosa
Ele filho de:
Manuel Nunes, casado em 17.02.1738, com Maria Lourenço
Neto de:
António Alvares e Maria Nunes, do Alferce
Luís Afonso e Isabel Lourenço, de Santa Clara

Ela filha de:
Manuel Gonçalves, casado em 25.02.1745, com Luísa Rosa
Neta de:
Inácio Raposo e Maria Andrez
Tomás Rodrigues e Isabel Rodrigues

Todos do Alferce

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Algoz com ligação a Alcantarilha

#159732 | melisa | 17 Jun 2007 00:50 | Em resposta a: #159722

Caro Nuno

O Nuno Martins é só seu (até ver, pois tenho ramos de Monchique em que ainda não cheguei a essas datas) :-).
Esse será certamente o casado com Maria Águas.

O Manuel Luís padrinho de um filho de jorge Afonso deve ser o mesmo que apadrinha fº de Estevão Andrés de Lima pois embora num refira que a mãe é Catarina Pereira , o que encontro em Mx por essas datas é um Brás Luís Andrés cc Margarida Pereira.

Agora veja como é importante essa informação:

Eu encontrei um capitão Manuel Luís Andrés casado com uma Catarina Furtada , a ter filhos a casarem em 1713 e 1714 (dois).

Um dos filhos chama-se Braz Luís Andrés e a filha Teresa Pereira, sendo o outro filho o capitão Diogo Pires Águia.

Embora suspeitasse que era filho do casal Brás Luís Andrez e de Margarida Pereira, não tinha como prová-lo pois não casou em Mx.

Com a sua informação torna-se possível entroncá-lo pois há provas documentais.

E levanta outras hipóteses que procurarei confirmar nomeadamente em relação à sua mãe Margarida Pereira.

Como informação se paga com informação, aqui vai:

Estevão Andrés de Lima (pai da baptizada de 1681) casou com Catarina da Assunção ou Lopes ( como aparece no seu casamento) em Mx a 28/1/1681 sendo ele viúvo de Maria Vieira e filho de Vicente de Lima e de Maria Estevens, moradores no Alferce.

Ela sendo assistente em Monchique era fª de Domingos Dias e Maria da ASSUNÇÃO, moradores em Saboia.

Mande-me tudo o que encontrar destas datas pois ajudarão certamente a deslindar estas familias mais antigas.

Cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159734 | melisa | 17 Jun 2007 01:05 | Em resposta a: #159726

Caro Nuno

Calculei logo quando vi as ligações ao Alferce que iria avançar muito nesse seu ramo.

Vou coloca-los naquilo a que pomposamente chamo BD,

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159754 | nunoinacio | 17 Jun 2007 12:12 | Em resposta a: #159734

Bom dia, cara Maria Elisa

Não sei se já reparou, mas nos nascimentos do Alferce da base de dados que lhe dei, entre 1673 e 1677, os nomes dos padrinhos estão nas notas. É só editar e ver.

Relativamente aos posteriores, hoje vi os seguintes:

Ano de 1681:

Domingos, filho de Domingas, escrava de Estêvão Andrez de Lima.
Foram padrinhos António de Lima, casado com Margarida Estevens e Margarida Estevens, filha de Vicente de Lima e Maria Estevens

Ano de 1682:

Margarida, filha de Estêvão Andrez e Maria da Esperança
Foram padrinhos Gregório Simões, filho de António Simões e Maria do Verde, de Monchique e Margarida Andrez, filha de Gaspar Luís e Catarina Guizada, do Alferce

André, filho de Francisco Fernandes e Domingas Jorge
Foram padrinhos António de Lima e Margarida Estevens, do Alferce e Isabel Nunes, casada com João Rodrigues, de Monchique

André, filho de Manuel Dias e Bárbara Luís
Foram padrinhos Tomé Dias, filho de Francisco Dias e Graça Dias, de Monchique e Margarida Nunes, filha de Domingos Rodrigues e Catarina Nunes, de Sabóia

Catarina, filha de Domingos Nobre e Isabel Vicente
Foram padrinhos João Nunes, casado com Teresa Luís e Ana da Assunção, casada com Bartolomeu Afonso

António, filho de Marcos Filipe e Catarina Rodrigues
Foram padrinhos António de Lima Pacheco, casado com Margarida Estevens e Margarida Vieira, casada com Bartolomeu Lança Andrez

Ana, filha de Vicente Dias e Maria Rodrigues
Foram padrinhos João Rodrigues, casado com Maria Marques, dos Pardieiros

João, filho de Manuel Rodrigues e Maria Tomé
Foram padrinhos Manuel Luís, casado com Maria Francisca e Margarida Luís, casada com Domingos Afonso

José, filho de Bartolomeu ? e ?
Foram padrinhos João Rodrigues e Isabel Vieira, da Soalheira

Não sei se teve oportunidade de analisar a informação relativa ao Algoz e a ligação a Pêra e Alcantarilha, mas acredito que terá lá alguma informação que lhe interesse.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159811 | nunoinacio | 17 Jun 2007 21:27 | Em resposta a: #159734

Cara Maria Elisa

Aqui ficam mais alguns dados do Alferce:

1682

Mateus, filho de João Dias e Margarida Vicente
Padrinhos: André Luís e sua mulher Maria Neta, de S. Marcos da Serra

António e Gaspar, filhos de António Afonso e Violante Marques.
Foram padrinhos Domingos Rodrigues, casado com Francisca Luís; Bárbara Jorge, casada com João Rodrigues e Gaspar Melchior, casado com Margarida Lopes, todos do Alferce

Teresa, filha de Domingos Matelo (é assim mesmo que está escrito) e B? (não se consegue ver o nome, mas começa por B)
Padrinhos: Diogo Fernandes, solteiro, filho de Baltazar Fernandes e Isabel Lourenço e Maria Lourença, solteira, filha de Bartolomeu Dias e Isabel Lourença

Domingos, filho de Alvaro Saleiro e Maria ?
Foram padrinhos Francisco Jorge, casado com Bárbara Rodrigues e Vicência Vieira, casada com Manuel Andrez

Francisco, filho de Francisco Nunes e Inês Fernandes
Foram padrinhos Estêvão Andrez de Lima, casado com Catarina Lopes e Graça Dias, casada com Bartolomeu Fernandes

Estêvão, filho de Vicente de Lima e Maria Vieira, moradores no Odelouca
Foram padrinhos Gaspar Duarte, casado com Catarina Andrez e Maria da Esperança, solteira, filha de António de Lima e Margarida Estevens

Diogo, filho de André Luís e Maria Ravesa
Foram padrinhos Manuel Andrez e Maria Andrez, ambos solteiros

Francisco e Manuel, filhos de Bartolomeu Martins e Catarina Lourenço
Foram padrinhos André Pires e João Andrez

André, filho de João Rodrigues e Isabel Vieira
Foram padrinhos Sebastião Rodrigues, casado e Domingas Jorge, casada

Maria, filha de Marcos Fernandes e Bárbara Jorge
Foram padrinhos Francisco Fernandes, casado e Maria Estevens, filha de Amaro Vidente e Maria Estevens

Maria, filha de André Pires e Isabel Rodrigues
Foi padrinho Gaspar Fernandes, de Silves

Margarida, filha de João Rodrigues e Bárbara Jorge, baptizada em casa por Vicência Marques, casada com António Afonso

Manuel, filho de António Luís e Isabel Gomes, da Fornalha
Padrinho António Marques, solteiro

1683

Maria, filha de FRancisco Martins e Clara Martins, do Odelouca
Foram padrinhos Gaspar Fernandes, casado e Catarina Vaz, casada

Maria, filha de Marcos Lopes e Margarida Afonso
Foi padrinho Bartolomeu Andrez, casado

Bárbara, filha de Estêvão Anes e Vicência Jorge
Padrinhos Manuel Dias, casado e Margarida Luís, casada

Inês, filha de Domingos Afonso e Brites Rodrigues
Foram padrinhos António Duarte, solteiro, de Monchique e Margarida Nunes, do Alferce

Francisco, filho de Estêvão Andrez e Francisca Jorge
Foram padrinhos Amaro Vicente, casado e Maria Estevens

André, filho de João das Neves e Margarida Nunes
Padrinhos: Manuel Fernandes, solteiro e Bárbara Rodrigues

Teresa, filha de Manuel Jorge e Isabel Vieira
Foram padrinhos André Luís, casado e Francisca Luís

João, filho de João Afonso e Graça Pacheca
Foram padrinhos Estêvão Andrez Lima e sua mulher Catarina Lopes

Margarida, filha de Domingos Jorge e Isabel Alvares
Foram padrinhos Jorge Lourenço, casado e Maria Vieira, casada

André, filho de Sebastião Fernandes e Luzia Jorge, da Foz do Barreiro
Foram padrinhos Vicente de Lima, casado e Maria da Conceição, casada

Bartolomeu, filho de Brás Lourenço e Margarida Gonçalves, do Odelouca
Foram padrinhos João de Barbuda, casado e Catarina Vicente, casada

Tomás, filho de Manuel Luís e Margarida Andrez, da Umbria
Foram padrinhos ? Rodrigues e Bárbara Nunes, casada

Por acaso a Maria Elisa sabe a partir de que idade é que se podia apadrinhar?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159826 | melisa | 17 Jun 2007 23:29 | Em resposta a: #159811

Caro Nuno

Acabei de chegar a casa pelo que ainda não vi bem as listas que hoje me enviou e que agradeço.

Sobre a idade a partir da qual se podia apadrinhar não sei se havia algum limite mas já encontrei meninas de oito anos a serem madrinhas, embora o que mais frequentemente tenho envontrado no século XVII e XVIII fosse, relativamente às madrinhas, seram jovens casadoiras ou recém casadas.

Claro que noutros casos também aparecem avós, tias ou pessoas importantes da terra, de cuja clientela os pais da criança faxiam parte.

Como padrinhos tenho reparado que as famílias mais importantes escolhiam frequentemente padres ou tios.

Mas claro que me parece não haver regras pré-estabelecidas.

Sobre a lista que me enviou de pessoas do Algôs, à primeira vista não as entronco nos da minha BD, mas também não tive muito tempo para as comparar.

Os meus cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: MEÕES,GRADES,ABREUS e FRS VIEIRA

#159845 | rafael | 18 Jun 2007 02:31 | Em resposta a: #159286

Caro Nuno Inácio

Vou colocar aqui algumas pessoas de apelido-GUERREIRO-que tenho encontrado nos Livs Paroqs da freg. de São Barnabé (as que forem de minha família chamarei depois a atenção para isso ).O Nuno irá joeirando as inf.s que envio, pode ser que encontre familiares seus.
Desculpar-me-á por não irem ordenados por datas, mas demoraraia ainda bastante tempo.

FREG. de SÃO BARNABÉ- do CONCELHO de ALMODÔVAR

Estêvão Vaz Vaz Guerreiro cc M.ª Guerreira aos 21.9.1768.Ele filho de Manuel Guerreiro e de Bárbara Guerreiro e ela filha de Manuel Guerreiro e de Maria Lourenço, da freg. de Santa Clara-a-Nova-do concelho de Almodôvar.

Diogo Vaz Aboim cc Maria Guerrreiro de Contreiras aos 14.2.1768.Ele filho de António Luís e de Catarina Gonçalves, da freg. de Santa Cruz e ela filha de Jose Guerreiro de Contreiras e de Faustina Guerreiro, natg. e moradora na Brunheira-freg. de São Barnabé.

Manuel Martins cc Águeda Guerreiro aos 31.7.1744. Ele viúvo de Bárbara Andreza, da Corte dos Bragançãos-Alte e Águeda filha de M.el da Silva e de Margarida Guerreiro , morads. no M.te da Vinha-São Basrnabé.

Manuel Afonso cc Maria Guerreiro aos 17.2.1742. Ele filho de Barnabe Afonso e de Maria Coelha, dos Cansados-São Barnabe e ela filha de Bartolomeu Rodrigues e de Bárabara Guerreiro.Foram moradores no Mosteiro, freg. de Santo Antonio do Ameixial.

Alifonso Guerreiro cc Apolónia Guerreiro aos 27.5.1742.Ele filho de João Gonçalves e de M.ª Guerreiro , morads na Amendoeira-Almodôvar. Ela viúva que ficou de Francisco Gonçalves.

Manuel Guerreiro cc Joana Guerreiro aos 7.8.1740.Ele filho de M.el Guerreiro e de Isabel Varela , morad.ne as Cruzes-Santa Clara-a-Nova e ela filha de Diogo Vaz e de Maria Guerrreiro ,morad. no M.te Velho-Santa Suzana-São Barnabe.

Margarida Guerreiro de Contreiras cc Afonso da Costa aos 9.9.1736,ela filha de Alifonso Guerrreiro e de M.ª Guerreiro, morads na Brunheira-São Barnabé. Ele foi baptizado na pia da igreja de São Santa Clara-a-Nova e ela na pia da igreja de Salir.

Gaspar-n.30.12.1771 , filho de Bartolomeu Gonçalves, da freg. de Santana daSerra e de Maria Guerreiro da freg. de São Barnabé e morads na Corte Amarelo, da freg. de São Sebastião de Gomes Aires ,termo de Ourique e que por uma provisão anexa a esta freguesia (São Barnabe ).Neto pat. de Gaspar Gonalves e de Isabel Coelha ,nat. e bapts na freg. de Sasntana da Serra e materno de Marcos Guerrreiro e de Florência Jorge, da Esrada Velha-Santana da Serra ( ele foi meu avô, mas de outra mulher ).Pad. o Cap.ão José de Montes (meu parente ) e de sua mr. Maraia da Siva ,morads na Azilheira-freg. de São Marcos da Serra-Silves.

Josefa-bapt. 5.7.1772 na igreja de Santa Suzana -São Barnabé ,filjha de Domingos da Silva e de Ângela Guerreiro, nats e morads na Casa Branca -Santa Suzana-Sao Barnabé , neta pat. de Clementa da Silva e de Maria de Contreiras (foram estes meus avós),neta materna de Afonso da Costa ,da freg. de Santa Clara-a-Nova e de Margaida Guerreiro desta freg,. (São Barnabé ).Pad.Manuel Guerreiro, morad. no Pardieiro,freg. de Santa Clara e Maria Coelha morad. em o Carvalho, desta freg. São Barnabé.

Obs: actualizei a garfia. Santa Suzana, hoje pequeno lugar 0nde est´situada a Capela de Santa Suzana e ainda fui a romarias que lá se faziam.Interessante que quem lá habita é uma prima minha descendente da família-Guerreiro Afilhado Camacho de Aboim que foram srs. da herdade de Santa Suzana e de outras pegadas, onde parentes meus da freg. de São Barnabé e de Almodôvar ainda possuem bens apreciáveis. Eu tb.(ainda) alguma coisa.
Nesta ermida que foi sede de freg. e depois anexada à de São Barnabé estão ( estiveram ) sepultados avós meus e outros aí se baptizaram e casaram.

Continua, porque hoje tenho de deitar-me cedo.

Cumprimentos amigos.
Rafael

Resposta

Link directo:

Guerreiros de São Barnabé

#159857 | nunoinacio | 18 Jun 2007 09:56 | Em resposta a: #159845

Caro Rafael

Obrigado pelos dados que me mandou.
Em principio, meu, será o casal Manuel Afonso 00 Maria Guerreiro em 17.02.1742.
Digo "em principio" porque os dados que tenho referem o Manuel Afonso como natural de Alte. No entanto, nada impede que tal nascimento em Alte se tenha dado por "acidente".

Se me conseguisse ver se este casal teve um filho Francisco, poderia ajudar muito nas minhas pesquisas.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159925 | nunoinacio | 18 Jun 2007 20:13 | Em resposta a: #159826

Boa tarde, cara Maria Elisa

Aqui ficam mais alguns dados dos nascimentos do Alferce:

1683

Manuel, filho de Sebastião Rodrigues e Isabel Alvares
Padrinhos João Rodrigues, casado e Margarida Luís ou Rodrigues, casada

António, filho de João Rodrigues e Bárbara Rodrigues, moradores na Foz do Barreiro
Padrinhos Domingos Luís, casado e Maria Dias, solteira, filha de António Dias e Maria Cordeira, de Silves

Bartolomeu, filho de Bartolomeu Afonso e Joana da Ascensão
Padrinho Domingos Rodrigues, solteiro e Isabel Vicente, solteira

Francisco, filho Domingos Alvares e Catarina Dias, moradores no Carvalho
Foram padrinhos João Rodrigues, casado com Isabel Vieira e Maria Estevens, solteira, filha de Amaro Vicente e Maria Estevens

Manuel, filho de Gaspar Duarte e Catarina Andreza, moradores no Odelouca
Padrinhos Miguel Neto, casado, morador em Monchique e Graça Dias, casada

Maria, filha de Francisco Jorge e Bárbara Rodrigues, moradores no Odelouca
Padrinhos Gaspar Fernandes, casado, morador em Silves e Domingas Rodrigues, filha de Manuel Fernandes e Catarina Nunes

João, filho de João Alvares e Margarida Marques
Padrinhos Gaspar Andrez, solteiro, filho de Estêvão Anes e Margarida Andrez e Maria Macheca

Clara, filha de Manuel Dias e Bárbara Luís
Padrinhos Amaro Vicente, casado com Maria Estevens e a filha destes, Maria Estevens

Águeda, filha de Bartolomeu Jorge Furtado e Águeda Rodrigues, moradores na Lameira
Foram padrinhos Pedro Anes, casado, morador em Monchique e Margarida Estevens, casada

Maria, filha de António Luís e Catarina Rodrigues
Foram padrinhos João Rodrigues, filho de Domingos Rodrigues e Catarina Nunes, de Sabóia e Maria MArques, filha de Manuel Cordeiro e Bárbara Gomes

Luís, filho de Francisco Fernandes e Domingas Jorge
Padrinhos Marcos Lopes, casado, morador em Sabóia e Francisca Luís, casada

José, filho de Amaro Vicente e Maria Estevens
Padrinhos Manuel Andrez, casado com Catarina Estevens e Bárbara Luís, casada com Manuel Dias

Catarina, filha de Bartolomeu Martins e Catarina Lourenço, moradores na Ribeira dos Moinhos
Padrinhos Gregório Vieira, solteiro e Maria da Ascenção, solteira

Margarida, filha de Estêvão Andrez Vieira e Maria PAcheca, moradores no Monchicão
Padrinhos António de Lima PAcheco, casado e Maria da Conceição, solteira

Catarina, filha de Estêvão Andrez Lima e Catarina Lopes, moradores no Monte VElho
Padrinhos André Luís, casado e Domingas Andrés, casada com João Pacheco

Maria, filha de João Rodrigues e Inês da Luz, moradores do Lugar de Domingos de Afonseca
Padrinhos Domingos de Afonseca, casado com Brites Fernandes e Maria de Afonseca, filha dos anteriores

Francisco, filho de António Jorge e Maria da Paixão, moradores na Junqueira, freguesia de S. Teotónio
Foram padrinhos Domingos Rodrigues e sua mulher Catarina Nunes, de Sabóia

Lucas, filho de Domingos Gonçalves e Margarida Luís, moradores na Fornalha
Padrinhos Domingos Luís, casado e Teresa Nunes, casada

António, filho de Bartolomeu Rodrigues e Bárbara Nunes, moradores no Montinho
Foram padrinhos João de Barbuda, casado e Domingas Jorge, casada

José, filho de António Fernandes e Margarida Luís, moradores nos Moinhos
Foram padrinhos Bartolomeu Jorge e sua mulher Águeda Rodrigues

Bartolomeu, filho de João Rodrigues e Isabel Vieira, moradores na Soalheira
Foram padrinhos Margarida Vieria e seu marido Bartolomeu Andrez

Isabel, filha de Estêvão Andrez e Maria da Esperança, moradores em Canivete
Foram padrinhos Manuel Andrez, casado e Catarina da Assunção, casada

Domingos, filho de Domingos Nobre e Isabel Vicente, moradores nos Pardieiros
Foram padrinhos Domingos de Afonseca, casado, morador no Picão e Margarida Nunes, solteira, filha de Bartolomeu Rodrigues e Catarina Nunes, de Sabóia

Maria, filha de António Fernandes e Maria Vicente, moradores no Odelouca
Foram padrinhos João Alvares, casado com Margarida Marques e Domingas Rodrigues, solteira, filha de Manuel Rodrigues e Catarina Nunes

Domingos, filho de José Nunes e Teresa Nunes, moradores na Lomba
Foram padrinhos Estêvão André Lima, casado e Margarida Estevens, casada

Maria, filha de João Rodrigues e Domingas Rodrigues, moradores nos Pardieiros
Foram padrinhos Bartolomeu Jorge, casado e Bárbara Rodrigues

1685

Gaspar, filho de ANdré Luís e Maria Ravesa
Foram padrinhos Estêvão André Lima e sua mulher Catarina Lopes

Margarida, filha de Vicente de Lima e Maria Vieira, moradores no Odelouca
Foi madrinha Maria da Conceição, solteira, que a baptizou em casa

Francisco, filho de Manuel Rodrigues e Maria Tomé
Padrinhos Perdro Fernandes, casado e Francisca Luís

Agora o Padre deve ter andado em festa da grossa, porque temos:
Dois assentos de baptismo com o nome de Bárbara, nascidas no mesmo dia, sendo o pai de ambas Estêvão Andrez e as mãe Francisca Jorge e Bárbara Jorge, respectivamente. Os padrinhos também são os mesmos, Francisco Jorge e sua mulher Bárbara Rodrigues

O assento seguinte, aparece repetido 3 vezes com os mesmos elementos (não, não foi microfilmado 3 vezes, foi escrito 3 vezes seguidas em folhas diferentes e em sequência)
Refere-se a Maria, filha de Domingos Rodrigues e Margarida Rodrigues
Foram padrinhos Francisco Jorge, casado e Francisca Luís, casada

Bárbara, filha de Lourenço ? e Maria ?
Foram padrinhos Bartolomeu Jorge, casado e Maria Lourença, solteira

Pascoal, filho de António Fernandes e Catarina Páscoa?, moradores na Fornalha
Foram padrinhos Francisco Estevens, casado, morador em Monchique e Maria Pacheca, casada

Luís, filho de Domingos Jorge e Isabel Alvares, moradores no Odelouca
Padrinhos Vicente de Lima e Maria da Conceição

Manuel, filho de Manuel Luís, moleiro e Margarida Andrez
Padrinhos Amaro Vicente, casado e sua filha Maria Estevens

Isabel, filha de Vicente Dias e Maria Rodrigues, moradores na Umbria
Padrinhos Rodrigo Fernandes, solteiro e Catarina Dias, casada

José, filho de JOão Alvares e Bárbara Rodrigues, moradores na Zambujeira, Alferce
Foram padrinhos Gaspar Duarte, casado e Maria Nunes, casada


-----------------------------------------------------------------------------------------------

Como já terminou Monchique, vou fazer uma lista dos que tenho em fim-de-linha desta freguesia, talvez lhe tenha surgido mais alguma informação:

Vicente Dias Andrez e Brites Dias, c. 1680

Francisco Nunes Amado e Margarida Lopes, c. 1650

Bartolomeu Duarte e Catarina Nunes, c. 1650

João Duarte e Maria Teresa, c. 1750

António Costa e Margarida Duarte, c. 1725

Francsico Estevens e Maria Rodrigues, c. 1725 (Ela era do Alferce)

António Duarte Rebolo e Isabel Furtada, c. 1650

Manuel Estevens e Luzia Rodrigues, c. 1650

Vicente Luís e Isabel Lourenço, c. 1650

Francisco Alvares e Inês Afonso, c. 1650

Francisco Luís Amado e Inês Alvares, c. 1650

Lourenço Mateus e Susana Afonso, c. 1650

Francisco Estevens Andres e Maria Marques, c. 1675

Martinho Jorge e Catarina Vicente, c. 1700

Pedro Anes e Catarina da Costa, c. 1690

João da Silva e Antónia Maria, c. 1750

Francisco Martins e Maria Duarte, c. 1725 (Ele de São Marcos da Serra)

Com os melhores cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159935 | melisa | 18 Jun 2007 20:49 | Em resposta a: #159925

Caro Nuno

Muito obrigada por mais esta lista de padrinhos.

Não acabei ainda Monchique!
O que acabei foi de lançar os casamentos desde o início (1662) até 1720.
Agora estou nos registos de baptismo mais antigos a procurar pontas...

Em relação à sua lista de fins de linha, os 3 primeiros não tenho mais dados.

Quanto ao 4º casal : João Duarte cc Maria Teresa , sendo nomes relativamente vulgares poderá ser um casal que casou em 1760.
Por acaso já consultou a minha BD? pois penso que já lá estavam incluídos.

António Costa cc Margarida Duarte não tenho.

Francisco Estevens e Maria Rodrigues, não tenho.

António Duarte Rebolo e Isabel Furtada, tudo na mesma´, só que o seu casamento foi anterior a 1636 data em que registaram filho Manuel.

Manuel Estevens e Luzia Rodrigues, tudo na mesma.

Vicente Luís e Isabel Lourenço, casaram antes de 26/3/1638, altura em que b.s/ fª Inês Pais e eram moradores no Chilrão.

Francisco Alvares e Inês Afonso, tudo na mesma.

Francisco Estevens Andres e Maria Marques, tenho mais alguma coisa que lhe darei depois do jantar ( que está quase pronto).

Até já

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159937 | nunoinacio | 18 Jun 2007 21:17 | Em resposta a: #159935

Boa noite, mais uma vez

Estive a ver a sua base de dados e encontrei o casal em refererência, que também acredito ser o meu.
Curiosamente, fazendo pesquisa pelo nome do João Duarte não aparecia nada, só o encontrei quando fiz pesquisa pelo nome da Maria Teresa.

Surgiu-me uma dúvida. O casal Amador Duarte e Margarida Duarte tem alguma relação com o casal Amador Duarte de Oliveira e Margarida Duarte Águas?

O ramo do casal João Duarte e Maria Teresa tem fundo a azul. Será alguma chamada de atenção especial?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#159949 | zmcm | 18 Jun 2007 22:50 | Em resposta a: #158423

Cara Maria Elisa:
Por acaso tem o casamento de João Andrés e Ana Rodrigues (Vieira ??) cerca de 1657??
Este casal foi pai de entre outros do tenente António Rodrigues Canhestro ( O tenente da Nora como é mencionado) o qual viveu em SBM e foi casado em 2ªs nupcias com Luzia Gonçalves de Siqueira filha de Estevâo Gonçalves( filho de Francisco Dias Preto e Luzia Netto, ele de Albufeira e ela de Alcantarilha) e Isabel de Arrochela ( filha de Rodrigo Anes de Sousa e de Isabel de Arrochela, moradores em Paderne). O casamento de António Rodrigues Canhestro com Luzia Gonçalves de Siqueira a 10-6-1696 em SBM regista autorização da diocese para este casamento ( não diz porquê...)

Obrigado
Miguel Cabrita Matias

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159950 | melisa | 18 Jun 2007 23:06 | Em resposta a: #159937

Caro Nuno

Demorei mais tempo do que pensava.

Julgo que serão as mesmas pessoas mas necessito de ver o casamento de 28/7/1767, o de 9/1/1731.

Por outro lado é nessário ver baptismos pois não sei se reparou mas há dois casais do mesmo nome: Amador Luís Amado e Maria Duarte (esta é irmã do outro Amador Luís Amado Duarte) é necessito de ver ounde residem e outros dados para poder inserir a sua descendência correctamente.

O fundo a azul é apenas uma chamada de atenção para a página nº 2 (onde estes dados estão repetidos e para actualizar essa página sempre que actualizar esta) e refere-se a um pequeno estudo que venho fazendo sobre os Domingos Dias que encontrei, pois a certa altura tinha muitos na mesma época e necessitava saber se algum deles estavam repetidos.

Mais tarde irei fazer o mesmo com outros individuos sobre os quais tenho dúvidas que possam ser os mesmos.

Mando-lhe já esta explicação e vou ver dos outros casais da lista
Até já
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159954 | nunoinacio | 18 Jun 2007 23:15 | Em resposta a: #159950

Obrigado.

Sem a sua preciosa ajuda, nunca mais encontrava esta gente de Monchique.

Hoje tenho andado numa guerra viva com a sua neta, que mais uma vez embirrou que não quer dormir, apesar de já mal se aguentar em pé. Qualquer dia levo-a aí, para fazer serão consigo.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE:Cont.de Guerreiros,dos ParqsSão Barnabé

#159956 | rafael | 18 Jun 2007 23:20 | Em resposta a: #159845

Caro Nuno Inácio

Aí vão mais pessoas de apelido-Guerreiro-q. enc. nos Paroquiais de São Banabé.

JOÃO-N. 4.1.1769 filho de António José Ferreira , nat. da freg. de São Barnabé e morador no M.te da Vinha e de M.ª Guerreira ( 2.º matrimónio desta ).Neto pat.º de João Ferreira n. a freg. de São Faustino de G----bispado do Porto e de Josefa Maria e neto mat.º de Manuel Guerreiro e de Domingas Guerreiro.

JOAQUIM-n.27.12.1768,filho de Domingos da Silva e de Ângela Guerreiro, da freg. de Santa Clara , neta pat. de Clemente da Silva e de Maria de Contreiras (meus avós) e neta mat.de Afonso da Costa , da freg. de Santa Clara e de Marg.da Guerreiro

ANA- N. 6.10.1768 filha de Isidoro dos Santos, da freg. de Santana da Serra e de Rosa Maria, de Almodôvar ( 5.º filho e 1.º deste nome ) neto pat. de Pedro António e de Arcângela Coelho e neta mat. de Jerónimo Guerreiro e de Inês Guerreiro estes nats de Almodôvar.

CRISTINA-N. 9.10.1768 filho de Filipe da Silva e de Doroteia Guerreiro, da freg. de Santa Clara .Neta pat. de Domingos da Silva e de Maraia Coelho e mat. de Marcos Guerreiro, da freg. de Santa Clara e de Maria Guerrero, da vila de Almodôvar.

FILIPE-n. 12.7.1768 filho de Manuel da Silva e de Cat.na da Silva ,neto pat. de Filipe Roiz , da freg. de São Barnabé e de Maria Guerreiro e mat. de Manuel Gonçalves e de Maria Lourenço .moradores a Aldeia dos Buracos, freg. de São Barnabé .Pad. Filipe Afonso ,solteiro filho de Manuel Afonso, do Serro da Ursa e Maria Coelho , mulher de M.el Martins das Sarnadas.

ANTÓNIO-n12.1.1767 , em Santa Suzana-São Barnabé,filho de Bartolomeu Gonalves e de Maria Guerreiro, da freg. de Santana da Serra neto pat. de Gaspar Gonçalves e de ,da freg. de SãoMarcos da Sera e de Isabel Coelho, da freg. de Santana da Serra e mat. de Marcos Guerreiro e de Florência Jorge, nats da freg. de Santana da Serra , pro utraque parte.

FAUSTINA n. 15.9.1767,filha de António Afonso, de Almodôvar e de Laurência Guerreiro, da freg. de Santa Clara,neta pat. de Brás Afonso, da freg. de Santa Clara e Isabel Coelha, da freg. de Almodôvar e mat. de António Guerreiro,e de Romana Dias, nats de Santa Clara .Moradores os pais no Serro da Ursa-São Barnabé Pad. José Guereiro e sua mulher Faustina Guerreira, da Brunheira, São Barnabé.

SALVADOR n. 22.7.1767 filho de Manuel da Silva e de MARIA Gonçalves, ambos nats da freg. de Salir neto pa. de António da Silva, da fre. de Santana da Serra e de Inocência Andreza, da freg. de Salir emat. de Manuel Guerreiro, da freg de Salir e de Maria Gonçalves .da fr4eg. de Boliqueime.

JOSÉ- n. 13.8.1767,filho de Manuel Afonso, da freg. de Alte e de Maria Guerreiro, da freg. de sÃO Barnabé ,neto pat. de Silvestre Gonçalves, da freg. de Salir e de Margarida Gonçalves, da freg. de Alte e mat. de M.el Coelho e de Ana Guerreira, nat. da freg. de Garvão.

Encontrei e aqui os colocarei escravos com apelidos dos principais.Sempre especulei que muitos dos filhos das escravas seriam filhos biológicos dos patrôes e tb. já encontrei uma vez insunuado o inverso e quantos ficariam em segredo.
Ficou descendência que se cruzou e com as gerações seguintes tal rasto se perdeu, para sossego de muitas consciências :-)

Continua.

Cumprimentos.
Rafael Carvalho

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#159962 | melisa | 18 Jun 2007 23:52 | Em resposta a: #159949

Caro Miguel Cabrita matias

Ao que julgo a sua questão prende-se com a possibilidade de Ana Rodrigues ser uma Rodrigues Vieira e eventualmente vir por aí a afinidade.

Infelizmente se tiverem casado em Alcantarilha não o podemos saber, dado os registos de casamentos existentes começarem só nos finais do séc XVII.

Os paroquiais ( baptismos) poderão ter outras pistas mas a única que tenho registada é a existência de um Bartolomeu Afonso Canhestro que com Maria Rodrigues ( não diz que sejam casados) apadrinha em 20/10/1628.

A propósito de uma Brites Neta filha de Vicente Lourenço de Arez e Bárbara Correia tenho o apontamento de que foi madrinha com seu pai em 2/2/1648 da filha Margarida de um BARTOLOMEU AFONSO casado com Maria Rodrigues.

Cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159964 | melisa | 19 Jun 2007 00:00 | Em resposta a: #159954

Caro Nuno

Parece que sai à " avó" : noctívaga !

Tem que aproveitar a onda da Vitória e virem uma noite destas, beber café connosco.

Cumprimentos

M.Elisa

Nota: quando ia para começar a ver a sua lista vi um pedido do nosso confrade Miguel Cabrita Matias e a sua lista ficou para trás :-).

Vou ver se começo agora!

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#159970 | melisa | 19 Jun 2007 02:01 | Em resposta a: #159964

Caro Nuno

Continuando:

Martinho Jorge e Catarina Vicente, não tenho.

Pedro Anes e Catarina da Costa, apenas adiantei que eram moradores no Melão e ela seria irmã de Domingos da Costa casado primeiro com Jerónima Duarte (descendo deste casal) e casado 2ª vez em 25/10/1706 com Isabel Rodrigues, filha de Domingos Andrés cc Maria Rodrigues, também morador no Melão.

Terão no entanto casado um pouco antes de 1690 pois têm fª a casar em 1703.

João da Silva e Antónia Maria, nao tenho.

Francisco Martins e Maria Duarte, também não tenho.

_____________________________________________

Francisco Estevens Andrés cc Maria Marques.

Não tenho este casamento, mas tenho o 2ª casamento dele aos 26/10/1682 (Mx) em que refere ser filho de JOÃO LUIS BENTES e de ISABEL LOURENÇO.

Casou então com Isabel Fernandes (?) solteira e filha de António Fernandes (?) e de Leonor V... (será Velha?).

Irmão inteiro de:

2- Margarida Alves cc (Mx 26/2/1680) Pedro Soares Coelho, morador em Silves, viúvo de Leonor Gomes e fº de Sebastião Soares cc Brites Dias, de Silves.

Foi moradora em Silves depois de casada.

2- Isabel Lourenço que casou em mx aos 14/12/1714 com Braz Luís Andrés, fº do Capitão Manuel Luís Andrés cc Catarina Furtada, moradores em mx na Bica Boa.

Neto paterno de Braz Luís Andrés cc Teresa Pereira.
(A filiação do cap Manuel Luís Andrés foi descoberta graças aos apadrinhamentos do Alferce que me mandou).Alferce).
Com descendência.

2- Catarina Pacheca cc (Mx 14/1/1686) António Neto Monteiro, natural e morador em Alcantarilha, fº de Afonso Fernandes cc Maria Domingues.

Catarina Pacheca e António Neto Monteiro foram pais de:

3- Maria Domingues Pacheca ou Maria Josefa Pacheco que também usou, casada (I) aos 10/2/1706 em Alcantarilha, com António Bustorff , com procuração, (fº de Maximiano Bustorff cc Brites Nunes da Costa).

Casou (II)em Portimão aos 28/3/1728(neste casamento aparece referida como dona) com Vicente Rebelo Côrte-Real , filho de João Rebelo Côrte-Real e de s/ m.er D. Catarina Zagala Côrte-Real .

3-José Pacheco (que foi procurador do noivo no 1º casamento de s/ irmã acima) casou em Alcantarilha aos 18/10/1711 com Maria do Anjo, fª de Afonso Neto e de s/mer Isabel Rodrigues de Azevedo.

3- Catarina de Sena casou ( Alcantarilha 27/10/1718) com José Fernandes Gorcino (?) , fº de Afonso Fernandes cc Ana Maria, de Alcantarilha.

Com as pesquisas em curso julgo que poderei vir a ter mais dados destes seus antepassados.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Domingos Gonçalves Vieira

#159990 | zmcm | 19 Jun 2007 10:15 | Em resposta a: #159962

Cara Maria Elisa:
Obrigado pela sua resposta.
De facto A minha questão é mesmo se Ana Rodrigues é ou não Rodrigues Vieira, até porque alguns dos filhos de António Rodrigues Canhestro e Luzia Gonçalves usaram os apelidos Rodrigues Vieira.

cumprimentos

Miguel Cabrita Matias

Resposta

Link directo:

RE:Cont.de Guerreiros,dos ParqsSão Barnabé

#160066 | nunoinacio | 19 Jun 2007 18:10 | Em resposta a: #159956

Boa tarde, caro Rafael!

Fiz bem em esperar, pois neste mensagem mandou-me os ascentes correctos que eu procurava.

O meu casal Manuel Afonso e Maria Guerreiro, não é o que casa em 1742, mas o que é pai do José, nascido em 13.8.1767, irmão do meu Francisco.

Na sua mensagem não consegui perceber se o Manuel Coelho é de São Barnabé e a Maria Guerreira de Garvão, ou se são ambos de Garvão.

Sabe-me esclarecer esta questão?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#160138 | nunoinacio | 19 Jun 2007 23:02 | Em resposta a: #159826

Boa noite, cara Maria Elisa

Aqui ficam mais alguns padrinhos:

1685

José, filho de João Alvares e Bárbara Rodrigues, moradores na Zambujeira
Padrinhos Gaspar Duarte, casado e Maria Nunes, casada

Inácio, filho de André Pires e Isabel Rodrigues, moradores na Aldeia de Cima
Padrinhos Estêvão André Lima, casado e Domingas Nunes, solteira

Lourenço, filho de Domingos Afonso e Beatriz Rodrigues, moradores na Aldeia de Cima
Padrinhos André Luís, casado e Maria Raveza, casada

Maria, filha de Francisco Alvares e Catarina Jorge
Padrinhos João Rodrigues, casado e Graça Dias, casada

Martinho, filho de Francisco Jorge e Bárbara Rodrigues
Padrinhos Sebastião Rodrigues, casado e Maria Marques, solteira

José, filho de Marcos Filipe e Catarina Rodrigues, moradores em Ingrineiros
Padrinhos Manuel André, casado e Maria da Conceição, solteira

José, filho de Pedro Fernandes e Isabel da Lança
Foram padrinhos André Luís, casado e Maria Estevens, solteira

Maria, filha de Manuel André e Catarina André, moradores na Ladeira
Padrinhos Estêvão André, casado e Ana Afonso, solteira

José, filho de Bartolomeu Fernandes e Graça Dias, moradores nos Pachecos
Foram padrinhos Gaspar Duarte, casado e Luzia B??ltera, casada, de Monchique

Maria, filha de João das Neves e Margarida Nunes
Foram padrinhos Vicente de Lima, casado e Vicência Vieira, casada

1686

Domingos, filho de Bartolomeu Jorge e Margarida André, moradores no Odelouca
Padrinho Estêvão André Vieira, casado

Graça, filha de João de Oliveira e Catarina Rodrigues, moradores em Pias
Padrinho Domingos Rodrigues, solteiro, filho de Gaspar Rodrigues e Francisca Luís, também de Pias

Bartolomeu, filho de Sebastião Rodrigues e Isabel Alvares, moradores na Pedra Branca
Padrinhos André Francisco, casado e Bárbara Rodrigues, casada

-------------------------------------------------------------------------------------------

Relativamente aos processos de Monchique, parece que não teremos muita sorte.
Hoje falei com o Secretário do Tribunal, que me disse ter processos arquivados a partir de c. 1920, desconhecendo a existência de processos de datas anteriores.
Informou-me que o Tribunal já funcionou noutro local, sendo possível que tais processos, tivessem ficado nesse local, que não sei onde ou à ordem de quem.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#160151 | melisa | 20 Jun 2007 00:14 | Em resposta a: #160138

Caro Nuno Inácio

Mais uma vez obrigada.

O Tribunal de Monchique foi para o local onde funciona há pouco mais de 10 anos, estranho que não saibam onde deixaram os processos!

Lembra-se do que lhe disse sobre qual teria muito provavelmente o destino dos processos antigos?

Quero pedir-lhe um favor: Será possivel confirmar nos dois baptizados onde Manuel Luís é padrinho se por acaso a mãe não será TERESA Pereira. Na realidade foi este o nome da mulher de Brás luís Andrés.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Guerreiros de São Barnabé

#160167 | rafael | 20 Jun 2007 03:29 | Em resposta a: #159857

Caro Nuno Inácio

Continuação

Cheguei há pouco de viagem, mas vou enviar-lhe mais apontamentos.Antes informo-o que não tenho a naturalidade do Manuel Afonso.
Alte não é muito longe de São Barnabé e tenho alguns antepassados desta freg. com origem em Alte.

POSA-n. 29.1.1767, filha de Manuel Mestre Palermo e de Maria NUnes, da fre. de São Bartolomeu de Messines. Neta pat. de Francisco Roiz, da freg. de Loule e de Domingas Mestre e mat. de José Guerrreiro, da freg. de Santana da Serra e de Fracisca Nunes, da freg. de São Bartolomeu de Messines.Os pais moradores na Palhotinha do Monte da Vinha. Pads.Manuel Guerreiro Camacho, solteiro filho de Manuel Guerreiro Camacho ( era tb. Aboim ), dos Fojos-São Barnabé. Esta herdade hoje dos Freitas Revez, de Almodôvar, parentes de meus filhos pela Mãe é um grande latifúndio ( era importante o rendimento de cortiça, antes do incêndio que devastou milhares de hectares da freg. de São Barnabé, tendo eu também perdido toda a floresta que possuia.)

MANUEL-n. 27.8.1766,filho de Marcos Guerreiro e de Sebastiana Guerreiro,da freg. de Santa Calara-a-Nova .Net. pat. de Domingos Guerreiro e de Bárbara Roiz,da freg. de São Marcos da Serra e mat. de José Guerreiro, da freg. de Santa Clara e de Brizida Guerreiro.Moradores na Alcaria Branca,freg. de São Barabé.
SEBASTIANA faleceu aos 28.6.1768.Não fez testamento, por morte repentina e pagou à fábrica 400 cruzados.

DOROTEIA GUERREIRO( minha avó) mulher do meu avô Filipe da Silva,moradores na Fornalhae antes na Ribeira de Odelouca,faleceu aos 21.10.1768,com todos os sacramentos.

JOÃO CAMACHO GUERREIRO cc aos 7.1.1700 BÁRBARA TEIXEIRA ,viúva de Domingos Afilhado Camacho Guerreiro, na igreja de São Barnabé.Foram moradores na Ribeira de Odelouca. ele filho de PEDRO ANES MARTELO e de Maria Filipe, moradores na freg. de São Barnabé.

FILIPE DA SILVA cc DOROTEIA GUERRREIRO (meus avós) e ela da freg. de Sata Clara-a-Nova.Ele filho de de Domingos da Silva e de Maria COELHA moradores na Corte Cabo e ela filha de Marcos Guerrreiro e de Maria Guerreiro,moradores nas Cruzes, freg. de Santa Clara-a-Nova.

DIOGO VAZ de Aboim cc MARIA Guerreiro de CONtreiras,aos 4.2.1768 ,ele filho de António Luis e de Cat.na Gonçalves ,nat. da reg. de Santa Cruz e morads nas Taipas, da m.freg.,e ela filha de JOSE GUERREIRO de CONTREIAS e de FAUSTNA GUERREIRO de AIRES,moradores na Brunheira, freg. de São Barnabé.
Estes abastados lavradores vêm dos principais desta freg. e da de São Sebastião de Gomes Aires.

BARTOLOMEU GUERREIRO-viúvo de Gregória Leitoa cc 27.5.1736 MARIA GUERREIRO de CONTREIRAS,foram morads nos Pampilhais-São Barnabé e ela filha de MARCOS GUERREIRO e de MARIA COELHA,morads no Monte do Carvalhete.

Continua

Boa noite.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#160181 | nunoinacio | 20 Jun 2007 09:33 | Em resposta a: #160151

Bom dia, Maria Elisa

Quando chegar a casa, verei o que me pede.

Relativamente a Monchique, todos os meus colegas que lá estão chegaram a esse Tribunal muito depois dessa data, pelo que é possível que não saibam nada relativamente a esses processos antigos, o que não quer dizer que não estejam onde o Tribunal funcionou anteriormente.

Gostaria de lhe pedir um esclarecimento.

Pode-me explicar as dispensas de consanguinidade dos casamentos?

Dispensados em 1º grau, 2º grau, 3º grau ou 4º grau.
Que parentesco têm em comum?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#160259 | nunoinacio | 20 Jun 2007 18:30 | Em resposta a: #160151

Boa tarde, Maria Elisa

Não há duvidas de que a mãe do Manuel Luís é Catarina Pereira.
Talvez tenha havido lapso do padre, ou o Brás Luís Andrés casou duas vezes, ou este Brás Luís Andrés seja outro...

Vou-lhe enviar a foto do assento por email.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

Daniel Andres e os Espanhois

#160262 | judiaria | 20 Jun 2007 19:06 | Em resposta a: #159396

Caro Nuno
O Daniel Andrés casou com a minha 3ª Bisavó, portanto é meu ascendente por afinidade. No entanto agradeço a informação, que me permite documentar estes familiares dos meus de Alcantarilha. Respondo tardiamente, mas só hoje reparei na sua mensagem. Quanto aos nomes recharte (ou qualquer grafia cujo som se pareça) de Pêra, são benvindos se os encontrar. Há tempo fez-me um pedido, cuja data não está em Faro, mas sim na TT em Lx.

Obrigado
Cumprimentos

Joaquim Reis

Resposta

Link directo:

RE: Daniel Andres e os Espanhois

#160272 | nunoinacio | 20 Jun 2007 19:50 | Em resposta a: #160262

Caro Joaquim

Agradeço a atenção dispensada, mas eu mesmo já fui a Faro e recolhi a informação que lhe pedi.

O Arquivo Distrital de Faro tem os livros (originais) das freguesias da Sé e de São Pedro, que não seguiram para a Torre do Tombo. É muito mais fácil de procurar do que em microfilme.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Daniel Andres e os Espanhois

#160276 | judiaria | 20 Jun 2007 20:46 | Em resposta a: #160272

Carissimo Nuno

Foi falta de informação minha nesse sentido, apenas fui consultar datas extremas.

As minhas desculpas e parabéns por ter encontrado.
Se calhar até já nos cruzamos no AD.

Cumprimentos

Joaquim Reis

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#160298 | nunoinacio | 20 Jun 2007 22:20 | Em resposta a: #160151

Boa noite, cara Melisa

Aqui ficam mais alguns baptismo antigos do Alferce. Alguns assentos estão em péssimas condições, não sendo possivel, em alguns, saber o nome do baptizado, noutros o nome dos pais e noutros os nomes dos padrinhos:

1686

Bartolomeu, filho de Estêvão André Guizado e Maria da Esperança
Padrinhos André Luís, casado e Domingas Rodrigues, solteira

Margarida, filha de António Afonso e Violante Marques
Padrinhos Bartolomeu Jorge e sua mulher Águeda Rodrigues

? - Maria ? e pai incógnito, moradora no Odelouca
Padrinhos Francisco Martins e sua mulher Clara Martins

Maria, filha de João Afonso e Graça Pacheco
Padrinhos António dos Ramos, solteiro, morador em Monchique

? - Marcos Lopes e Margarida Afonso
Padrinhos Pedro Anes, casado, de Monchique e Francisca Luís, casada

Domingos, filho de Gaspar André e Maria Pacheca, moradores no Monchicão
Padrinhos Bartolomeu Rodrigues, casado, de Monchique e Francisca Vieira, casada com Manuel André

? - Sebastião Gonçalves e Margarida Estevens
Padrinhos João Nunes, casado com Teresa Luís e a filha destes, Maria Luís, moradores na Lomba

André, filho de Bartolomeu Andrés e Catarina Andrés, moradores nos Pizões
Padrinhos João de Barbuda, casado com Maria Vieira e Teresa Nunes, casada com Domingos Luís

? - João Rodrigues e Domingas Luís, moradores na Fornalha
Padrinhos ANdré Luís e sua mulher Maria Raveza

Maria - João Alvares e Margarida Marques, moradores no Odelouca
Padrinhos António Marques, casadao com Margarida Nunes e Maria da Conceição, casada com Estêvão André Vieira

José, filho de Brás Lourenço e Margarida Gonçalves
baptizada em casa por Maria Vieira, mulher de Vicente de Lima

? - João Rodrigues e Isabel Vieira
Padrinhos André Luís, casado com maria Raveza e Margarida Nunes, casada com António Marques

José, filho de Manuel Dias e Bárbara Luís, moradores na Perna de Trás
Pdrinhos João Rodrigues, filho de Domingos Rodrigues e Catarina Nunes, de Sabóia e Catarina Neta, mulher de Bartolomeu Dias, de Monchique

Maria, filha de ? e ?
Padrinhos André Pires, casado com Isabel Rodrigues e Bárbara Jorge, casada com João Rodrigues

Joana, filha de Estêvão Martins e Luzia Luís
Padrinhos Bartolomeu Jorge, casado com Águeda Rodrigues e Maria da Conceição, filha de António de LIma e Margarida Estevens

? - André Luís e Maria Raveza
Padrinhos João de Barbuda e sua mulher Maria Vieira, moradores na Foz do Carvalho

Bartolomeu, filho de Bartolomeu Jorge e Águeda Rodrigues
Padrinhos Gaspar Martelo? Nobre e Beatriz Nunes, de Monchique

Bartolomeu, filho de Bartolomeu Rodrigues e Bárbara Nunes
Padrinhos Marcos Lopes e Isabel Lopes, moradores em Sabóia

---------------------------------------------------------------------------------------------
Aqui os assentos saem de ordem. Não sei se estão assim no microfilme ou se eu tirei as fotografias ao contrário

1691

José, filho de Lourenço Andrez e Graça Luís
Padrinhos João Gonçalves e Maria Rodrigues, de Santa Clara

? - ? e ?
Madrinha Maria Marques, filha de João Rodrigues e Maria Marques, moradores nos Pardieiros

Vicente, filho de Gaspar Martelo e Margarida Estevens, moradores na Lameira
Padrinhos, António de Lima e Luzia Beltrón, mulher de Pedro Anes, moradores na Malhada - Monchique

Manuel, filho de Manuel Estevens e Maria PAcheca, moradores na Umbria
Padrinhos ? e ?

José, filho de Estêvão Martins e Luzia Luís, moradores em São Rebradão
? e ?

1690

Maria, filha de João Rodrigues e Catarina Andrez, moradores na Soalheira
Padrinhos João Rodrigues, casado e Domingas Jorge, casada

Margarida, filha de José Luís e Domingas Rodrigues, moradores em Sabóia
Padrinhos Domingos Vicente, solteiro e Maria Marques, solteira

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Graus de consanguinidade

#160300 | rmfrp | 20 Jun 2007 22:38 | Em resposta a: #160181

Caro "ex-Primo" Nuno Inácio: :-)

A classificação dos graus de consanguinidade é fonte de muitas confusões, até para genealogistas experientes.

Peço-lhe que leia uma mensagem antiga que escrevi a respeito deste tema:
http://genealogia.netopia.pt/forum/msg.php?id=15823&fview=c

Com os melhores cumprimentos,

Rui Pereira

Resposta

Link directo:

RE: Graus de consanguinidade

#160302 | nunoinacio | 20 Jun 2007 22:43 | Em resposta a: #160300

Caro Rui

Ainda podemos ser primos pelos Canelas de Estômbar e Velho de Alvor.
Por acaso não conseguiu descobrir nada sobre os nomes que lhe mandei há tempos?

Cumprimentos a si e à sua mãe

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Graus de consanguinidade

#160306 | rmfrp | 20 Jun 2007 22:50 | Em resposta a: #160302

Caro Nuno Inácio:

Infelizmente ainda não consegui estabelecer ligação pelas famílias que refere.

Mas, mesmo sem novos dados, já somos primos por afinidade.

Com os melhores cumprimentos,

Rui Pereira

Resposta

Link directo:

RE: Monchique e Alferce

#160328 | melisa | 21 Jun 2007 00:48 | Em resposta a: #160181

Caro Nuno

Só agora vi as suas mensagens, pois como tive visitas para jantar ....

Sobre as dispensas de consanguinidade o nosso confrade Rui Pereira já lhe respondeu e muito bem.

Quero só acrescentar que dispensados do 1ª grau , não há pois parentes em 1º grau são os irmãos.

Também vi a outra mensagem com a lista de baptismos mas não tive tempo de a analisar.

Hoje não tive tempo para nada. Por estas e outras é que Monchique vai tão devagarinho.

Sobre os pais de Manuel luís foi certamente erro do padre pois até agora não encontrei (e já vi bem aqueles anos) outro Braz Luís Andrés (nem sequer Braz Luís) e Pereira em Monchique por aquelas datas aparece muito pouco.

Hoje como estou muito cansada não há serão!

Cumprimentos
MElisa

Resposta

Link directo:

RE: Guerreiros de São Barnabé

#160515 | rafael | 22 Jun 2007 16:31 | Em resposta a: #160167

Continuação (São Barnabé)

DOROTEIA-n.31.1.1742,filha de Mateus Guerreiro e de Maria Guerrero, moradores na Brunheira,São Barnabé.

MANUEL da COSTA cc 28.10.1713 Luisa Maria, ele filho de João Gonçalves e de Maria da Costa, ela filha de António Fernandes ede Maria Fernandes-.
Respectivamente neto pat. de M anuel Afonso e Isabel Gonçalves e neto mat. de António Afonso e de Teresa da Costa. A Luisa neta pat. de António Fernandes, do Cachopo,Ameixial ? e de Isabel Fernandes, dos Besteiros-Ameixial e neta mat. de Bart.gUERREIRO e de Isabel Fernandes, de São Barnabé.

SALVADOR-22.7.1767,filho de Manuel da Silva e de Maria Gonçalves ,ambos nat. da freg. de Salir,neto pat. de António da Silva, de Santana da Serra e de Inocência Andreza e net. mat. de Manuel Guerreiro, da freg. de Salir e de Maria Gonçlves, da freg. de Boliqueime,

MANUEL-n.27.8.1766,filho de Marcos Guerreiro (já viúvo ),freg. de São Barnabé e de Sebastiana Guerreiro ,da freg. de Santa Clara-a-Nova e moradores na Alcaria-São Barnabé. Manuel - neto pat. de Domingos Guerreiro e de Bárbara Roiz,esta da freg. de São Marcos da Serra e neto mat. de José Guerreiro e de Brízida Guerreiro, ambos da freg. de Santa Clara-a-Nova.
Cont.
RC

Resposta

Link directo:

RE: Guerreiros de São Barnabé

#160535 | rafael | 22 Jun 2007 18:53 | Em resposta a: #160515

Continuação

Caro Nuno Inácio

Vamos lá ver se entre tantas pessoas referidas da freg. de São Barnabé que tenho enviado alguma coisa serve.

MANUEL DUARTE cc 14.8.1769 em Santa Susana-São Barnabé com MARIA GUERREIRO, ele filho de FRANCISCO DUARTE e de MARIA das CANDEIAS, moradores nas Casas Velhas-MONCHIQUE e ela filha de Jose GUERREIRO e de MARIA da sILVA, moradores em Santa Susana-São Barnabé

ESTÊVÃO VAZ GUERREIRO cc 21.9.1768 MARIA GUERREIRO , ele filho de Manuel Guerreiro e de Bárbara Guerreiro, nat. e morads na freg. de São Barnabé e ela filha de Manuel Guerreiro e de Maria Lourenço, ambos naturais da freg. de Santa Clara-a-Nova.

FILIPE-n. 17.1.1765,filho de Gregório Guerreiro,da freg. de Almodôvar e de Maria Guerreiro, da mesma vila .Neto pat. de Filipe Roiz ,da freg.de São Barnabé e de Maria Guerreiro, da mesma freg.e neto mat. de Marcos Roiz e de Maria Guerreiro,ambos da freg. de Almodôvar.

SALVADOR.n. 9.2.1764,filho de Miguel da Palma, da freg. de Santa Clara-a-Nova e de Maria Guerreiro ,da freg. de São Barnabé.Neto pat. de mANUEL da PALma e de Joana Vaz,ambos da freg. de Santa Clara, neto mat. de ROMÃO fERNANDES e de Isabel Guerreiro,da freg. de São Barnabé.

GREGÓRIO-1.8.1743,filho de Marcos da Palma e de Maria Guerreiro ,moradores na Ribeira de Louca-São Barnabé.

ANTÓNIO GONÇALVES cc 12.10.1787 MARIANA GUERREIRO .ele de Alte ,filho de Amaro Gonçalves e de Rosa Gonçalves .Ela fiha de Filipe da Silva e de Doroteia Guerreiro,nat. da freg. de Santa Clara.

Domingos Rodrigues( viúvo de Maria Rodrigues ) - cc 4.8.1754 Suzana Guerreiro, da freg. de São Barnabé ,filha de José Guerreiro e de Brizida gUERREIRO,desta freg.Test. Francisco Nunes Guerreiro( assinou tão bem, que devia ter prática) ,da Fornalha freg. de São Barnabé e Manuel Afonso, do Pomar Velho,da mesma freg.

ANTÓNIO JOSÉ CONTREIRAS, da Casa Branca, freg. São Barnabé ,viúvo de Clara Maria,viúva de Manuel Martins ,da Foz do Zebro,da freg. ? de São Bart. de Messines cc 16.11.1816.Test. Manuel Guerreiro e José de Contreiras.

RAFAEL GONÇALVES cc 24.10.1816 INÁCIA TERESA (foram meus avós).Ele filho de ANTÓNIO GONÇALVES e de MARIANA GUERREIRO e ela filha de JOSÉ MARTINS CABRITA, da Moita Redonda- ? Salir e de ISABEL TERESA .Test. José da Palma, do Vale de Loulé e João Ferreira, da Moita Redonda.

IZIDORO Guerreiro-cc 4.4.1815 MONICA MARIA .Ele filho de António José Contreiras, desta freg, e de cLARA Maria. Ela filha de José Lopes e de Joana Guerreiro ,nat. de Salir.

URBANO GONÇALVES DE AGUIAR ,viúvo de Isabel Maria, filho de Manuel Gonçalves e de Mónica de JESUS,morador nos Pampilhais de Cima cc 11.7.1813 JOAQUINA TERESA ,filha de Jose dos Santos e de Ana Joaquina , nat. da vila de Loulé.Test. Luís Guerreiro de Gusmão e Valério Guerreiro Mestre , desta freg. ( São Barnabé ).
Ele casou com a Isabel Maria,filha de António VIEIRA e de Josefa Maria ,nat. dos Pampilhais, aos 14.2.1803,na igreja de São João Baptista,da cidade de Beja pelo Rev.º Doutor João de Morais Colaço.

JOÃO CONTREIRAS,viúvo de MARgarida Guerreiro, cc 3.11.1805 TOMÁZIA da PALMA ,filha de Manuel Guerreiro e de Gregória da Palma, nats e moads nesta freg.

MANUEL MESTRE cc 24.5.1798 MARIA CONTREIRAS.Ele filho de João Mestre e de Domingas Guerreiro ,nat. da freg de Santa Clara.Ela filha de António da Costa e de Maria Contreiras ,nat. desta freg. de São Barnabé.

LUIS GUERREIRO de GUSMÃO cc 9.4.1794 ANA MARIA AGOSTO viúva de Jose Guerreiro Contreiras,do M.te da Brunheira,cas. na Capela de Nossa Senhora do Desterro da Corte Figueira Mendonça, freg. de Santa Cruz-Almodovar.
Ele filho do Sarg.Mor Manuel Dia Revez e de Dona Francisca Guerreiro de Gusmão,nat. e moradora na freg. de São Miguel do Pinheiro.
Test. o cap.ão António Mendes de Mendonça , morador no Almarjão, freg. de Querença e Manuel Dias de Sequeira, da Alcaria Longa,freg. de São Miguel do Pinheiro.

JOÃO de CONTREIRAS (já ref.º atràs ) cc 29.1.1785 MARGARIDA GUERREIRO,ambos da freg. de São Barnabé ,casou por especial despacho que para isso alcançaram do Excelentíssimo e Rev. º Senhor D.Frei Manuel do Cenáculo Villas Boas, Bispo de Beja.

MANUEL GUERREIRO CAMACHO,viúvo de Inês Maria cc 11.11.1777 ISABEL COELHO,filha de Gregório da Silva e de Ângela Coelho,nats e morads nesta freg.

Continua
Cumprimentos.
Rafael Carvalho

Resposta

Link directo:

Mais um Domingos Dias Furtado

#160580 | nunoinacio | 22 Jun 2007 23:13 | Em resposta a: #160328

Boa noite, cara Maria Elisa

Comecei agora a registar os nascimentos do Alferce de 1690 e deparei-me logo com um nome familiar.

Assim, temos:

Manuel, filho de Francisco Rodrigues Correia e Águeda Rodrigues, nascido em 13.05.1690
Foram padrinhos Luís Jorge, solteiro, filho de Domingos Dias Furtado e Catarina Lopes, mulher de Estêvão Andrez, todos de Monchique

Ao registar os nomes no PAF, deparei-me com mais dois Domingos Dias Furtado.
Um é o Capitão Domingos Dias Furtado, casado com Maria de Jesus Coelho, naturais de São Marcos da Serra, que têm filhos a partir de 1787 no Alferce
O outro é o pai deste, natural do Alferce e casado com Urbana Catarina, de Alvor.
Apesar de não saber a data de nascimento do Capitão Domingos Dias Furtado, pela data do nascimento do filho mais velho e a do filho mais novo (1795), será se supor que tenha nascido c. 1750/1760 e dificilmente antes.
Sendo o outro pai deste, não terá nascido antes de 1710/1720, pois era tradição dar o nome do pai ao filho mais velho.

Este Domingos Dias Furtado é pai de Luís Jorge.
Se o Luís Jorge foi padrinho em 1690, terá nascido antes de 1675, sendo previsivel que o pai tenha nascido antes de 1640/1650.

Será este Domingos Dias Furtado um ascendente antigo dos outros (bisavô do Capitão)?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Mais um Domingos Dias Furtado

#160586 | melisa | 23 Jun 2007 00:09 | Em resposta a: #160580

Caro Nuno

Acuda-me!
Estou completamente baralhada.

As datas que refere estão correctas?

M.Elisa

Resposta

Link directo:

Para Melisa

#160600 | Marggo | 23 Jun 2007 02:11 | Em resposta a: #160586

Cara M. Elisa.
Num dos vossos tópicosque muito me tem ajudado a avançar em Mx,assim como os do nosso confrade Nunoinácio .
Encontrei:
António da Costa cc Maria Marques(vossos ascend) pais de Teresa Maria (minha ascend).
Teresa Maria casou com Baltazar Rodrigues Villas Boas São Payo
fº de António de Oliveira(Aguilhar de Bragança) e Maria Lopes( Mx?) .
O filho de Teresa Mª e Baltazar
José Maria R.V. B. S.Payo em 11 12 1832 cc Bárbara Alexandre fª de Alexandre Duarte e Isabel Mª. NetP de Bartolomeu Duarte e Ana Maria (Mx)
NetM de Inácio José (de S, Teotónio)cc em Saboia com Marcelina Maria .
Foram Pad Joaquim Correia e Baltazar Rodrigues de Mx.
Do casamento de José Inácio em 1775? em Saboia com Marcelina Mª( filha de Vicente Rodrigues (nat?) e Juliana Mª) foram pad
Cap João Gonçalves Simões (S, Mª de Odemira) e Manuel Louçã ( Relíquias Loulé) Julgo haver mais cruzamentos ,mas tenho de ver com cuidado.
Boa noite.
Cumprimentos
M. Margarida

Resposta

Link directo:

RE: Mais um Domingos Dias Furtado

#160672 | nunoinacio | 23 Jun 2007 21:17 | Em resposta a: #160586

Boa noite, cara Melisa

Enviei agora para o seu email o assento de nascimento do filho mais velho do Capitão Domingos Dias Furtado, onde conta o nome dos pais e dos avós e o assento de baptismo da criança em que o filho do último Domingos Dias Furtado.

Como poderá constatar, as datas estão correctas.

Apesar de empolgado com a "descoberta" não a achei tão importante, porque pensei que já se tinha deparado com mais este personagem nas suas pesquizas de Monchique.

Agora, sinto-me mais realizado por poder iniciar mais uma questão relativa aos Furtado e dar cabo da cabeça dos meus ilustres confrades, já que, em princípio, este Domingos Dias Furtado não será meu ascendente. :-))

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE:Cont.de Guerreiros,dos ParqsSão Barnabé

#160675 | nunoinacio | 23 Jun 2007 21:22 | Em resposta a: #159956

Boa noite, caro Rafael

Nos dados que me mandou, já consegui subir duas gerações no ramo de São Barnabé, o que muito lhe agradeço.

Relativamente aos seus do Alferce, ainda não encontrei nada.
Estou a tentar estabelecer ligações e já criei uma teoria pessoal que poderá justificar a vinda do seu Silva para o Alferce. Mas é apenas uma simples teoria e preciso de introduzir mais dados para ver se tem alguma base sólida a apoia-la.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Mais um Domingos Dias Furtado

#160681 | melisa | 23 Jun 2007 22:18 | Em resposta a: #160672

Caro Nuno

Depois de ter enviado a mensagem reli a sua de ontem e reparei que tinha feito uma intrepertação errada da sua.

O grande problema é que por motivos que desconheço (talvez algum antepassado comum do mesmo nome) em Mx encontrei vários Domingos Dias na mesma época alguns estão razoavelmente identificados outros menos (daí ter aberto aquela 2ª página na minha BD tentando sistematizá-los ).

Quanto ao Luís Jorge que apadrinha em 1690, foi baptizado em Mx 29/9/1665, filho de Domingos Dias Furtado , natural do Barão de S. Miguel e de s/m.er Maria da Conceição, natural de Monchique.

Neto paterno do Capitão Diogo Pires cc Catarina Furtada, moradores no Barão de S.Miguel e neto materno de Luís Jorge cc Bárbara Luís.

Os pais casaram em Mx aos 27/5/1663.

O pai era irmão do Capitão Miguel Furtado Neto e a mãe era irmã de Francisca Jorge mulher deste capitão (casaram em Mx aos 12/2/1673) pelo que duas irmãs casaram com dois irmãos tendo ambos os casamentos dispensa do 3º grau de consanguinidade.

Este capitão Miguel Furtado Neto bem com seus pais Diogo Pires cc Catarina Furtada já apareceram em vários tópicos em que foram levantadas hipoteses de ascendência não confirmadas.

As datas que o Nuno coloca com hipóteses estão assim confirmadas.

O dito luís Jorge Duarte, como aparece no seu casamento casou em Mx aos 7/11/1707 com Brites Duarte , fª de Pedro Andres Duarte cc Margarida Álvares (casados Mx 12/8/1680 c/ dispensa do 3º grau), neta paterna de António Duarte Viana cc Teresa Luís e neta materna de Francisco Pires cc Brites Duarte.

Entretanto depois de 1707 não tenho registado nada relativamente a este Luís Jorge Duarte.

Estive a ver as imagens que me enviou, mas não consigo abrir a primeira, abri a 2ª (relativamente ao baptismo de Domingos em 1787) e a 3ª ( baptismo em que apadrinha Luís Jorge) seria a 1ª repetição de qualquer destas ou outra imagem?

Agora não percebi bem foi a relação deste Luís Jorge padrinho em 1690 e o capitão Domingos Dias Furtado casado com Urbana Catarina.

Por acso tem mais algum dado que não tivesse mencionado?

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Mais um Domingos Dias Furtado

#160693 | melisa | 23 Jun 2007 23:57 | Em resposta a: #160681

Caro Nuno

De acordo com o combinado envio-lhe o 2º casamento de Gaspar Duarte.

Assim:

Gaspar Duarte, viúvo de Catarina Estevens, morador no Alferce e filho de outro Gaspar Duarte cc Vicência Vieira, também moradores no Alferce casou em Monchique aos 9/9/1680 com Catarina Andrés, filha de Manuel Estevens cc Luzia Rodrigues, moradores em João de Gales - Mx

A noiva deste casamento é assim irmã de Gracia Rodrigues (sua antepassada) cc Lourenço Martins Furtado (nosso antepassado).


Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Y ahora algo completamente diferente

#160695 | rmfrp | 24 Jun 2007 00:34 | Em resposta a: #160693

Cara M. Elisa e restantes colegas:

Deixo aqui a referência de um documento de 1606 que encontrei no Portal de Archivos Españoles (antigo Archivos Españoles en Red). Infelizmente o documento não está digitalizado. Não sei se este Hurtado deixou descendência em Portimão, mas é pelo menos mais um para complicar! :-)

Respondendo antecipadamente a algo que eu pensei: sim, existe uma localidade chamada Albox em Espanha, na região de Almería. Mas... e se o X final for antes um R?

San Juan de Ulúa é uma fortaleza no México.


RESUMEN:
Título de la unidad: "Bienes de difuntos: Antonio Hurtado"
Archivo: Archivo General de Indias
Signatura: CONTRATACION,5579,N.38

ÁREA DE IDENTIFICACIÓN
Titulo Nombre atribuido:
Bienes de difuntos: Antonio Hurtado
Fecha Formación:
1606 -
Nivel de Descripción:
Unidad Documental Compuesta

ÁREA DE CONTENIDO Y ESTRUCTURA
Alcance y Contenido:
Autos sobre los bienes de Antonio Hurtado, marinero, natural de Albox y vecino de Villanueva de Portimao, en Portugal, hijo de Juan Hurtado y de María Hernández, difunto en San Juan de Ulúa. Herederos:
Beatriz Hernández, esposa, y Juan Hurtado, padre

SOPORTE Y VOLUMEN
18 Hoja(s) con Tamaño: Folio en Soporte: Papel


Com os melhores cumprimentos,

Rui Pereira

Resposta

Link directo:

RE: Y ahora algo completamente diferente

#160706 | melisa | 24 Jun 2007 01:47 | Em resposta a: #160695

Caro Rui Pereira

Muito obrigada por mais este Furtado /Hurtado.

Sendo " vecino de Villanueva de Portimao en Portugal," será certamente natural de Alvor ou então sendo natural de Albox (Almeria) viveu em Portimão (hipótese que me parece menos provável).

São conhecidos entretanto em Alvor pessoas do apelido Furtado já em 1541, conforme referiu o Dr miguel Côrte -Real em 31/5/2005:

" À mão tenho, por exº: João Furtado, filho de Pero Furtado, solteiro, morador em Alvor a 21.7.1541, quando é arrolado no caderno dos moradores da vila com cavalo e armas: "não tem criação tem cavalo e lança somente".

Quando acabar de ver Monchique terei que procurar em Portimão possíveis descendentes.

Com os melhores cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

Re e um pedido a Melisa

#160708 | Marggo | 24 Jun 2007 02:24 | Em resposta a: #160328

Cara M.Elisa:
Neste mesmo tópico em 23-6-2007 enviei-lhe uma informação sobre o encontro de familiares comuns.Agora faço-lhe um pedido ,para quando lhe fôr possivel.
Bartolomeu Duarte c em 12-10- 1750 em Mx com Isabel Duarte.
Ele filho de Lourenço Mixo e de Brizida Lourenço.
Ela de Valentim Dias e Maria Marques.
Terá mais elementos sobre este casal? Não sei onde ligá -los.

Joaquim Correia fº de Joaquim Correia e Teresa de Jesus (Nt M de Bartolomeu Duarte e de Ana Maria) c em 1858 com Teresa Conceição fª de José Hilário e de Justa de Nazarett.
Julgo teram casado em Mx.
Foram Pad Joaquim Correia casd. e Joaquim Bernado casd.
Os Duartes e as Isabéis baralham-me.
Boa noite .
Obrigada
Cumprimentos
M. Margarida

Resposta

Link directo:

RE: Re e um pedido a Melisa

#160714 | melisa | 24 Jun 2007 04:12 | Em resposta a: #160708

Cara maria Margarida

Julgo ter respondido já hoje no tópico Gentes da Serra de Monchique sobre o mesmo assunto de 23/6.

Quanto a Bartolomeu Duarte tenho-o casado em 19/10/1756 com Isabel Duarte.

São também meus ascendentes, por seu filho José Duarte cc Ana Rosa são meus 5ºs avós (e da Margarida são avós em que grau?).

Ele filho do 2º casamento de Lourenço Martins Furtado casado com Brizida Lourenço, moradores na Portela Baixa, sendo ele natural da freguesia de Mx e ela do Alferce.
Antes de casar com Brizida Lourenço, Lourenço Martins Furtado tinha sido casado ( Mx- 22/1/1680) com Grácia Rodrigues,( deste casamento descende o Nuno Inácio) , fª de Manuel Estevens cc Luzia Rodrigues, do sítio de João de Gales - Mx.

Bartolomeu Duarte nasceu na Portela Baixa- Mx em 24/8/1723 (foi um dos últimos filhos).

Quanto a Lourenço Martins Furtado nasceu nos Casais em 4/1/1654, e ters ele também sido dos últimos filhos a nascer de António Duarte Rebolo cc Isabel Furtada, moradores nos Casais - Mx.

António Duarte Rebolo cc Isabel Furtada, foram pais pelo menos a partir de 1737 pois em 5/3 desse ano baptizam seu filho Manuel.

António Duarte Rebolo faleceu antes de 26/10/1676. A sua viúva é dada como moradora na Portela Baixa em 1680.

Isabel Furtada faleceu em 6/10/1695 no estado de viúva tendo feito testamento e sido testamenteiro seu filho Francisco Duarte.

Sobre Joaquim Correia ( e seus ascendentes) nada tenho.

É como diz: Em Monchique abundavam os Duarte (ainda hoje é assim) a maioria aparentemente sem qualquer ligação entre si.

Cumprimentos
M.Elisa

Cumprimentos

Resposta

Link directo:

Pera Alcantarilha e Alferce

#160914 | nunoinacio | 25 Jun 2007 20:56 | Em resposta a: #160714

Boa noite, cara Maria Elisa

Gostaria de saber se, nos seus apontamentos, consta alguma informação relativa a estes casais que onde descobri serem meus ascendentes:

António Martins e Iria Rodrigues, de Pêra, pais de António Martins (Delgado), casado em 09.06.1699 em Pêra com Maria dos Santos

Belchior Fernandes, de Alcantarilha e Catarina Martins, do Algoz, pais da Maria dos Santos

Manuel Jorge e Vicência Neta, pais de Maria Neta, casada em 15.11.1705 com Manuel Neto

Domingos da Fonsenca e Beatriz Fernandes, do Alferce, pais de José da Fonseca, nascido em 08.06.1681

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#160931 | melisa | 25 Jun 2007 23:57 | Em resposta a: #160914

Caro Nuno

De António Martins Delgado e Iria Rodrigues tenho apenas que foram moradores em Pera tendo ela falecido em 20/7/1694, voltando ele a casar aos 29/8/1694 com
Brites Annes filha de Estevão Álvares Boto cc Brites Annes.

António Martins Delgado faleceu em Pera a 21/4/1698.

Sobre seus pais nada sei.

Manuel Jorge e Vicência Neta foram moradores nos Montes do Raposo, tendo ele falecido em 10/5/1702 tendo feito testamento. Vicência Neta tinha falecido antes de 1694.

Casaram antes de 1664 pois sua filha Domingas Pais ou Domingas Neta, conforme aparece no 2º casamento , foi baptizada em 19/3/1664.

Dos outros dois casais nada tenho.

Dos que referi tenho dados de outros filhos que se quiser poderei enviar.

Os meus cumprimentos

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#161336 | rafael | 30 Jun 2007 00:47 | Em resposta a: #158556

Cara MElisa

Há dias ao reler a sua msg. sobre a asc. de Afonso Álvares Mião e de sua mulher Maria Grade -06-06-2007, 00:039 fui á procura de um apontamento tirado ha anos; daqueles apontamentos que depois lamentamos não termos sido mais precisos e completos e fui a seguir consultar a fotocópia da CARTA DE BRSÃO DE ARMAS do alferes António de Siqueira Freire, deAlbufeira e também FIDALGOS DE COTA DE ARMAS do ALGARVE, de Miguel Maria Telles Moniz Côrte-Real.
Na Carta de Armas referida, passada a 15-3-1737, diz que ............"ele prosede e vem da geração e linhagem dos ditos Vieiras como filho do Cappitão Afonço Alvares Mião e de Isabel Antónia de Siqueira netto pela parte materna do Captão Martinho de Arez e da Materna de Vicente Rodrigues Vieira ,todas pessoas nobellissimas e de conhecida nobreza".........,etc.
A Árvore de Costados do alferes António de Siqueira Pretto na Pág.na 71 da obras atrás referida está de acordo com a mencionada Carta de Brasão, mas a msg. da M.Elisa trouxe mais para completar a referida Árvore.

Sendo assim-,estarei a fazer confusão,poder-se-á completar(?) a ref.ª Árvore de Costados colocando em 8 Afonso Álvares Mião( n. em 1607 )e em 9 sua mulher Leonor Álvares e em 18 Martim ou Martiho de Arez e em 19 sua mulher Catarina Alves, conforme os dados que a M.Elisa aqui colocou.
O que me levou a fazer estas considerações é porque, como atrás escrevi,ter um apontamento que me parece ter recolhido em livs. parqs do Algoz (?)os nomes de um Martinho Arez MEÃO e de um Paulo de Arez MEÃO.O que serão um ao outro e em relação aos-Mião-que a M.Elisa referiu e os -MEÕES de Alfontes mencionados no livro Fidalgos de Cota de Armas do Algarve e tb. se os n.ºs 8-9-18 e 19 poderão ser preenchidos com as pessoas que a M.Elisa indicou e eu menciono respectivamente aos n.ºs indicados.O que tenho a anotado a lápis no Livº passarei a tinta, se estiver correcto.

Uma boa noite e desejo-lhe um bom fim de semana.
Rafael

Resposta

Link directo:

Alcantarilha

#161391 | Ana r. | 30 Jun 2007 17:45 | Em resposta a: #160931

Olá

Eu sou nove por aqui, não sei se alguém me pode ajudar...

A minha mãe: Adília da Conceição Vieira da Encarnação, nasceu a 6 de Dezembro de 1939, na freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Alcantarilha, tendo sido baptizada no dia 1 de Julho de 1947, na mesma freguesia. Era filha de António Domingos (natural de Silves, filho de Domingos da Encarnação e de Tereza de Jesus) e de Ana da Conceição Nobre (natural de Alcantarilha, filha de Gregório Vieira Nobre e de Mariana das Dores). Os padrinhos foram Francisco dos Santos Barbosa e sua mulher Antónia Sequeira Alves.

Espero notícias, Obrigada

Ana R.

Resposta

Link directo:

RE: Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião

#161519 | abivar | 01 Jul 2007 23:14 | Em resposta a: #158556

Cara M.Elisa:

Grandes novidades encontro nesta sua mensagem! Afinal o Martinho de Arez que tínhamos conjecturado poder ser irmão de Francisco de Arez era seu pai! Recuo assim mais uma geração na varonia da minha bisavó Bárbara Amália de Sant'Anna Cabrita, indo ter a um antepassado que eu já "conhecia" por outra linha (ascendente de Guieiros de Brito pelo capitão Gonçalo Martins e sua filha Isabel Gonçalves, casada com o Capitão Diogo Martins Guieiro).

Além disso possivelmente também haverá outra ligação com os Álvares Mião ascendentes de Isabel Álvares casada com José Vieira Neto, o qual seria assim parente de sua mulher. Julgo que existe nos assentos da Guia o casamento deste casal; não sei se indicará algum parentesco. Na hipótese que põe de Leonor Álvares casada com Afonso Álvares Mião ser filha de Martinho de Arez, teríamos Martinho de Arez bisavô comum de Isabel Álvares e José Vieira Neto, pelo que necessitariam de dispensa de terceiro grau de consanguinidade. Seria bom verificar esse assento de casamento! tentarei fazê-lo na Torre do Tombo logo que possível.

Com os melhores cumprimentos,

António Bivar

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#161531 | abivar | 02 Jul 2007 00:07 | Em resposta a: #160914

Caro Confrade e multi-parente:

Como poderá verificar Manuel Jorge, Vicência Neta, Maria Neta e Manuel Neto constam da BD do GP; infelizmente as datas de óbito que aí constam para o primeiro casal estão erradas, por resultarem de uma interpretação errada do que constava da minha base de dados onde tinha alguns óbitos com a indicação "

Resposta

Link directo:

RE: vários

#161532 | abivar | 02 Jul 2007 00:14 | Em resposta a: #158663

Caro Rafael:

Interessa-me o que tenha acerca do morgado das Relvas, pois a minha Avó Albertina Pereira Caldas, por cuja Mãe me vem a ligação a Pêra e Alcantarilha, tinha uma propriedade em Pêra denominado "Relvas" e que vendeu nos anos 60...

Um abraço,

António Bivar

Resposta

Link directo:

RE: vários

#161533 | abivar | 02 Jul 2007 00:24 | Em resposta a: #159193

Cara M. Elisa:

André Eanes será o Alferes André Anes Santos casado com Maria de Abreu? Estes são raiz de uma linha de ascendência minha muito curiosa pela variação de apelidos: André Anes Santos - Eugénia Rosa de Abreu (esta ainda se percebe bem, c.c. José Lourenço, filho de António Rodrigues Pincho e Isabel Adães) - Maria Jacinta Rosa (c.c. Manuel José da Veiga, filho de Lucas da Silva e Beatriz Maria) - Isabel Antónia de Oliveira (c.c. Francisco Cabrita Neto, duplamente bisavós da minha bisavó de Alcantarilha). Nunca consegui recuar o suficiente para perceber de onde provinham os desgarrados Oliveira, Veiga e Silva... Será que o nome "Eugénia" seria inspirado na D. Eugénia madrinha da suposta irmã Inês da minha antepassada (quiçá também madrinha desta)?

Com os melhores cumprimentos,

António Bivar

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#161534 | abivar | 02 Jul 2007 00:35 | Em resposta a: #160914

Caro confrade e parente:

Parece que a minha anterior mensagem ficou truncada! estava a explicar que as datas de óbito de Manuel Jorge e Vicência Neta que constam da base de dados do Genea estão erradas por terem resultado de "má tradução" quando passei a minha base de dados para "gedcom" e enviei para o genea ou então por interpretação errada na transcrição para aqui feita, pois o que eu tinha eram datas precedidas de "

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#161535 | abivar | 02 Jul 2007 00:46 | Em resposta a: #160914

Percebi agora que o sinal matemático de "menor" que introduzi nas duas últimas mensagens não "passa" e trunca o que se escreve a seguir! foi esse mesmo sinal que "baralhou" a BD do Genea pois onde eu tinha posto "falecido antes de" usando esse sinal ficou a data como sendo certa... (culpa da tradução da minha base de dados para "gedcom" ou da trasncrição posterior do gedcom para esta BD...). Em qualquer caso, infelizmente, em alguns registos que aqui estão mandados por mim ocorre esse lapso que, "mea culpa", ainda não corrigi! felizmente a nossa cara parente M. Elisa já enviou mais alguns dados acerca destes casais.

Também somos parentes pelo casa Fernando Neto - Catarina Vieira e também tenho Guerreiros de Santa Clara, Almodôvar, pela minha outra bisavó, Maria Josefina Júdice Guerreiro (constam desta BD do Genea onde podem facilemente ser encontrados, "subindo" a partir desta minha antepassada).

Como dizia em mensagem a M. Elisa, procurarei brevemente esclareder se do assento de casamento de José Vieira Neto com Isabel Álvares consta a consanguinidade de terceiro grau que supostamente tinham se fossem, de facto, ambos bisnetos de Martinho de Arez e Catarina Alves.

Com os melhores cumprimentos,

António Bivar

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#161543 | nunoinacio | 02 Jul 2007 09:21 | Em resposta a: #161535

Bom dia, caro primo António Bivar

Obrigado pelas suas informações.
Já tinha constatado que esses nomes constam da base de dados do genea, embora não soubesse que era o caro confrade quem lá os colocou.

A nossa confrade Maria Elisa emprestou-me os microfilmes de Pêra, que tenho estado a fotografar para analisar em casa, com calma.

Neste momento, estou a lançar os óbitos do Alferce. Curiosamente, ontem, com um assento de óbito, consegui subir uma geração "perdida" pois um casal que tinha como sendo de Monchique e nascidos antes de 1700 e cujos assentos não surgiam nessa freguesia (que tem estado a ser "levantada" pela nossa confrade Maria Elisa), aparece a ter um filho a falecer no dia do nascimento, em 1706, constando que os pais eram do Alferce, o que me fez recuar a data previamente estabelecida para o seu nascimento em cerca de 20 anos e a procurar elementos nesta freguesia do Alferce.
O facto de se chamar Martinho Jorge, nome raro na freguesia (apenas nasceram 3 entre 1674 e 1695) e ser residente no Odelouca, levou-me a concluir que seria filho do casal que teve um filho com o nome Martinho, que reside no Odelouca e que cujo pai tem o apelido Jorge (não me recordo agora do nome do casal, que não tenho neste computador).

Pretendo mandar à nossa confrade Maria Elisa estes dados mais pormenorizados, mas como tenho conhecimento de que se encontra doente estou à espera de ter notícias das suas melhoras, para não cansá-la.

Relativamente aos Guerreiro, também já vi a base de dados, mas neste momento ainda não consigo fazer ligação entre os meus e os seus.

Se necessitar de alguma informação relativa ao Alferce ou a Pêra, diga.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#161572 | abivar | 02 Jul 2007 15:22 | Em resposta a: #161543

Caro Nuno Inácio:

Muito obrigado pela sua mensagem e pela disponibilidade. Relativamente a Pêra tenho um caso curioso que já expus em tópicos anteriores (não sei se já terá tomado conhecimento dele num desses tópicos). Transcrevo de anterior mensagem:

"Um [caso] que me parece interessante é uma minha antepassada Inês Maria que tem irmã de nome Isabel Rodrigues da Cunha casada em Pêra com Manuel dos Santos Cabrita a 3/5/1716. A própria Inês Maria casa a 09/04/1724 com Francisco dos Santos, também em Pêra, e estas irmãs eram filhas de Sebastião Martins e Maria da Rocha, perguntando-se de onde viria o "Rodrigues da Cunha" da irmã. Não encontrei muitos Cunhas por estas bandas, para além dos conhecidos Mellos da Cunha, descendentes (por vezes bastante decaídos) de João Lourenço da Cunha e da "aleivosa" Rainha D. Leonor Telles, dos quais alguns aparecem a casar em Alcantarilha no século XVIII".

Cumprimentos,

António Bivar

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#161577 | nunoinacio | 02 Jul 2007 16:56 | Em resposta a: #161572

Caro António Bivar

Quando fizer o levantamento de Pêra, verei se encontro alguma pista para esse caso.
A experiência do Alferce diz-me que analisando todos os assentos, acabam-se por encontrar dados que doutra forma passariam despercebidos.

Por acaso o caro confrade tem algumas informações biográficas relativamente aos BIVAR de Portimão, nomeadamente aos Engºs Francisco Bivar?

Estou a fazer um trabalho sobre as figuras da toponímia de Portimão e procuro referências sobre esse ramo da sua familia.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#161620 | abivar | 02 Jul 2007 23:04 | Em resposta a: #161577

Caro Nuno Inácio:

Tenho algumas obras referindo esses meus parentes, para além do que se encontra na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira. Por exemplo, "Bivares em Portugal" de Luís de Bivar Guerra, uma obra manuscrita do meu Avô, etc. Posso mandar-lhe informações por mail se o desejar; o meu mail é abivar arroba sapo ponto pt.

Cumprimentos,

António Bivar

Resposta

Link directo:

RE: vários

#161720 | rafael | 03 Jul 2007 18:43 | Em resposta a: #161532

Caro António Bivar

Tentei encontrar o apontamento sobre este assunto.Já lá vai tanto tempo !...O que tenho de memória como certo é ter lido -"morgado das Relvas"- e saber que é algarvio,isto não tenho dúvidas.
Nessa leitura parece-me que se referia,entre outras famílias aos fERNANDES vIEIRA, de aLBUFEIRA;da nossa família.Mas,digo-o agora sob reserva.Julgo ter lido num dos Anuários da Nobreza de Portugal ( Tomos I ou II -1985 ), mas poderá ter sido num Proc.º do Santo Ofício.
O que estou certo é ter havido um morgado das RELVAS,no Algarve (seria um morgadio que teria sido extinto,vendido ou passado a outra família.Talvez no Desembargo do Paço se encontre alguma referência, ou nos Arquivos dos Tabeliães, no Arq.vo Dist. de Faro ou em alguma Conservatória de Registo Predial e até em papéis de família,antigas escrituras,cadernetas prediais,etc.
Bem pode ser que alguns dos nossos confrades ou parentes aqui venham dar uma ajuda.
Sobre os nossos ÁLVARES MIÃO em particular, e dos outros -MEÕES-algarvios, vou sempre estando atento.O que souber deles agradeço que me informe.
Envio o meu end. rafaelgcarvalho@netcabo.pt

Um abraço
Rafael



Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#161761 | abivar | 03 Jul 2007 23:45 | Em resposta a: #161720

Caro Rafael:

Obrigado pela sua mensagem. Do que souber dar-lhe-ei conta. A tal propriedade denominada "Relvas" em Pera veio certamente por herança do meu trisavô João de Sant'Anna Cabrita, mas não sei qual a origem mais antiga; ainda me lembro da casa de família em Alcantarilha que tinha gravadas as iniciais desse meu trisavô "JSAC" e que foi demolida há umas duas décadas quando ainda era de todos os herdeiros da minha bisavó, para no seu lugar se construir o que ficou sendo um dos poucos prédios feios de Alcantarilha, onde os diversos ramos da família ficaram com apartamentos (alguns deles posteriormente vendidos); neste momento na minha família mais próxima já nada resta de bens imóveis herdados desse lado, sobrando apenas alguns objectos e móveis que consigo identificar como tendo essa origem...

Um abraço,

António

Resposta

Link directo:

RE: vários

#161876 | rafael | 04 Jul 2007 22:26 | Em resposta a: #158696

Cara M.Elisa

Deus queira que se encontre melhor de saúde.

Voltando ainda ao assunto da minha avó-URSULLA CORREA -como se encontra registada,de Alcantarilha.
Vou enviar-lhe o casamento da sua bisneta-MARGARIDA NUNES q.s., que na altura me esqueci de enviar-lhe.

António Cabrita cc MARGARIDA NUNES, aos 15-10-1777,em São Bartolomeu de Messines-Sives.( meus avós )

António Cabrita, filho de João Mialha e de Antónia Maria, da Mosqueira-Albufeira,neto pat. de João Mialha e de Josefa de JESUS e neto mat. de João GONÇALVES e de Maria Cabrita, da cidade de Silves.

MARGARIDA NUNES filha de Silvestre de JESUS e de MARIA NUNES, do Joinal-São Bartolomeu de Messines,neta pat. de Domingos dos Santos e de Maria Guerreiro, da Franqueira-Silves e neta mat. de ANTÓNIO AFONSO e de VICÊNCIA NUNES, esata natural de ALCANTARILHA.

Foram test.as o Sarg.-Mor José de Mendonça Vieira, de Albufeira e Manuel Martins Mialha,de Messines, desta freguesia - ( São Bartolomeu de Messines ).

Assim se prova que Vicência e Úrsula,sua mãe, são de Alcantarilha.( PRQS de São Bart. de Messines-T T).

Se alguns confrades tiverem a asc. de alguns destes avós seria útil,aqui, colocarem-nos.Desde já os meus agradecimentos.

Uma boa noite.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: vários

#161885 | melisa | 04 Jul 2007 23:14 | Em resposta a: #161876

Caro Rafael e Nuno Inácio

Agradeço os votos de melhoras.

Ainda não estou totalmente restabelecida pelo que embora tenha vindo hoje ao Fórum não me sinto ainda em condições para grandes intervenções e sobretudo para noitadas de volta dos registos paroquiais (aproveitando ter a família a dormir).

Os meus cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Melisa

#161904 | Marggo | 05 Jul 2007 01:50 | Em resposta a: #161885

Cara M. Elisa
Ainda bem que se encontra melhor.
As noitadas agora nem pensar, a saude está primeiro.
Vou de férias e deixar as noitadas pelo menos até Setembro.
Penso pôr ordem numa certa derordem de apontamentos.
Os meus cumprimentos e votos de rápidas melhoras.
M. Margarida

Resposta

Link directo:

RE: Melisa

#161963 | melisa | 05 Jul 2007 15:58 | Em resposta a: #161904

Cara Maria Margarida

Agradeço os seus votos de melhoras.

Sobre a nossa gente de Monchique julgo ter muito para lhe transmitir embora ainda tenha que pesquisar algumas coisas.

Monchique é difícil pois há por vezes casais que vivem na mesma época com o mesmo nome e se erramos lá se vai linha.

Aproveito para lhe dar uma dica: aponte sempre o lugar da freguesia onde são moradores. Por vezes é a única maneira de os distinguir.

Desejo-lhe umas óptimas férias e caso venha para o Algarve e passe por Alvor, gostaria que me contactasse. É muito fácil basta preguntar em Alvor onde fica a Vila Velha (quinta em frente à Igreja) onde moro.

Os meus cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

Estevão Andrez de Lima

#176904 | nunoinacio | 18 Dez 2007 09:37 | Em resposta a: #159732

Bom dia, cara Maria Elisa

Ontem, num casamento de São Marcos da Serra, cheguei à conclusão de que descendo por varonia do casal Estêvão Andrez de Lima e Catarina Lopes, pais do meu Domingos Andrez, que terá nascido antes da existência de registos no Alferce.
Por acaso encontrou mais alguma informação desta família em Monchique?

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Estevão Andrez de Lima - Alferce

#176950 | melisa | 18 Dez 2007 14:54 | Em resposta a: #176904

Caro Nuno

Estevão Andrez de Lima casou em Monchique aos 28/1/1681 com Catarina Lopes, (que também aparece como Catarina da Assunção) sendo ele morador no Alferce e ela em Monchique.

Ele viúvo de Maria Vieira e fº de Vicente de lima do Alferce e de s/ m.er Maria Estevens.
~
Ela fª de de Domingos Dias e Maria da Assunção moradores em Sabóia.

Estevão Andrez de Lima tem escravas a baptizar filhos em 1681, sendo padrinho António de Lima casado com Margarida Estevens.

Foi morador no Monte Velho, freguesia do Alferce, pelo menos após o 2º casamento (conforme consta no baptismo de filha em 1683).

Deste casamento tenho registados os seguintes filhos:

- Catarina , baptizada no Alferce a 1/12/1681 , sendo madrinha Maria Estevens fª de António de Lima (acima).

- Catarina, b. no Alferce em 1683, sendo padrinhos André Luis , casado e Domingas Andrez casada com joão Pacheco.

Julgo, embora sem provas documentais, que do seu primeiro casamento teve:

- Vicente de Lima casado com Maria Vieira, do Alferce e moradores em Odelouca em 1685, quando baptiza fª Margarida. Também pais de Estevão baptizado em 1682, e de Maria Vieira que em 1720 e 1721, sendo solteira foi madrinha de filhos do "nosso" Lourenço Martins Furtado (no seu 2º casamento com Brizida Lourenço que como sabemos era natural do Alferce).


- Estevão Andrez Vieira, morador na ribeira de Odelouca casado com Brízida Lourenço, falecido em 21/8/1695, e pais de : Gracia b. no Alferce em Fev de 1674, de Isabel Álvares, de Maria Vieira e de Brízida Lourenço * C 1690 (referida acima, 2ª mulher de Lourenço Martins Furtado , com quem terá casado talvez no Alferce C 1710) (meus antepassados).

Como irmãos de Estevão Andrez de Lima, tenho confirmada uma Margarida Estevens, que solteira foi madrinha em 1681 de fª de escrava de seu irmão Estevão Andrez de Lima.

Irmão provável do António de Lima ou António de Lima Pacheco (que usa quando apadrinha) referido acima e casado com Margarida Estevens antes de 1663 , pais de Maria Estevens ou Maria da Conceição, b. em Monchique aos 23/12/1663, sendo padrinhos Gaspar Estevens do Alferce e Luzia lourenço fª de Francisco Nunes.

Esta Maria Estevens ( ou Maria da Conceição) sendo solteira baptizou em casa em 1681 uma filha de Estevão Andrez de Lima.

Para além desta Maria Estevens, tiveram ainda:

Domingos Pacheco que casou em Monchique aos 17/9/1708 com Maria Francisca, * de Monchique fª de Mateus Álvares Nobre cc Isabel Vicente , n.p. de Domingos Dias cc Catarina Lopes, morads Mx. e n.m. de Vicente Francisco cc Guiomar Rodrigues, da Mariola em Marmelete.

E também pais de: André de Lima , nascido e morador em Mx que aí casou em 3/9/1691 com Maria Águas, filha de Diogo Pires cc Vicência Duarte.


Já agora recorde-me os dados do seu Domingos Andrez para eu o poder incluir nos descendentes de Estevão Andrez de Lima.

Cumprimentos

M.Elisa

PS: A Vitória como se está a dar com o seu "Picó" ?

Resposta

Link directo:

RE: Estevão Andrez de Lima - Alferce

#177007 | nunoinacio | 18 Dez 2007 18:24 | Em resposta a: #176950

Boa tarde, cara Maria Elisa.

Que confusão!!!

Antes de mais, o Picó manda cumprimentos à familia. Diz que tem sido muito bem tratado, dorme quentinho e acompanha a Vitória para todo o lado. Está sempre presente à mesa para jantar e só não vai à escola porque não pode lá entrar :-)

Agora regressemos à realidade dos nomes:

Por dúvidas, sempre que surge um casal sem que saiba ao certo se é o mesmo crio outros novos nomes. Por vezes venho a saber que são os mesmos e apago uns, mas neste momento não sei o que lhe diga relativamente ao casal António de Lima e Margarida Estevens.

Tenho um casal António de Lima e Margarida Estevens, esta falecida no Alferce em 20.08.1710, pais de:
Maria Estevens, que foi madrinha em 1681
Maria da Conceição, que foi madrinha em 1686
Ana, baptizada em 30.01.1687

Tenho um casal António de Lima Pacheco e Margarida Estevens, pais de:
Ana - 27.02.1674 (será a anterior?)
?beno - 07.01.1676
Maria da Esperança - madrinha em 1682
Maria - 26.12.1678
Graça - 19.08.1691

Agora com os dados que me deu, temos mais uma Maria baptizada em Monchique em 23.12.1663
Domingos Pacheco - casado em 1708
André de Lima - casado em 1691

Temos 3 Maria a chegarem à idade adulta, pois a Maria Estevens que casa em 1681, não poderá ser a Maria da Esperança que amadrinha em 1682 e da Maria da Conceição que amadrinha em 1686, pois estas aparecem como solteiras.

São casais diferentes?

Tenho mais informações, mas já vou atrasado para as aulas. Mando depois.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Estevão Andrez de Lima - Alferce

#177030 | melisa | 18 Dez 2007 20:08 | Em resposta a: #177007

Caro Nuno

Não tenho nenhuma Maria Estevens fª de António de Lima a casar em em 1681.

Tenho é uma a baptizar em casa, sendo solteira, uma fª do 2º casamento de Estevão Andrez de Lima.


Quanto á variação de nomes de Maria (Estevens, da Conceição ou da Esperança) deverá ser a mesma uma vez que sendo solteira, ora assume o apelido da mãe (Estevens) ora o nome religioso.

Já quanto à data de nascimento de Graça, parece-me um pouco tardio para ser irmã da Maria, nascida em 1663.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Estevão Andrez de Lima - Alferce

#177088 | nunoinacio | 19 Dez 2007 00:10 | Em resposta a: #177007

Mais uma vez boa noite, cara Melisa

De facto estes casais poderão ter sido os mesmos. Faltam-nos um dado muito importante, que é a idade da Margarida Estevens quando casou. Tendo a primeira filha conhecida nascido em Dezembro de 1663 e a última em 1691, temos um intervalo de c. de 27 anos entre irmãos. Se a Margarida Estevens tivesse 16 anos quando casou, teria 43 anos quando nasceu a última filha, o que seria perfeitamente possível.
Nesse caso, tendo falecido em 1710, teria 62 anos de idade, o que era perfeitamente normal para a época.
No entanto, sempre teremos duas irmãs Maria a coexistir, o que é estranho apesar de não ser inédito.

Terei, então, que reformular os dados da árvore geral do Alferce.

Relativamente à Margarida Estevens, irmã do Estêvão Andrez, que amadrinha em 1681, tenho quase a certeza de que será a que veio a casar com Gaspar Martelo, pais de um Vicente, nascido em 02.03.1691. Digo isto, porque todas as outras Margaridas Estevens que tenho registadas têm filhos em dadas anteriores à que esta amadrinha (1681).

O "meu" Domingos Andrez casou em 14.11.1711 em São Marcos da Serra, com Ana Francisca, filha de Manuel Luís e Maria Francisca.
Foram pais de José Andrez, natural de São Marcos da Serra, que casou em 15.10.1736, no Alferce, com Maria da Conceição, dos Matos - Monchique filha de Matias Andrez e de Margarida Lopes, dos Matos e já defuntos.
Estes foram pais de Inácio Duarte, nascido no Alferce em 10.11.1748, casado com Ana Maria, filha de João Duarte e Maria Teresa
Voltam a ter outro filho com o nome de Inácio Duarte, nascido em 13.07.1793, casado em 18.10.1814, no Alferce, com Maria Joaquina, nascida em 21.12.1794.
Estes são pais de um meu trisavô paterno, pela linha paterna, de nome José Inácio, nascido em 22.04.1836 e de uma tetravó paterna pela linha materna, de nome Maria Inácia, nascida em 22.01.1825, esta casada com José António Canelas, descente dos Canelas da Senhora do Verde.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#178389 | salen | 01 Jan 2008 21:10 | Em resposta a: #158399

Cara M. Elisa,
Fico-lhe grato pela sua intervenção num outro tópico, esclarecedora sobre a pessoa do compositor e da sua relação com Tim Maia, cantor que apesar do estilo grandiloquente, eu aprecio(-ava).
Enternecedora a história da canção de Edson Trindade.
Edson Trindade: afinal era mais que um ilustre desconhecido (como aliás, o eram todos os que viveram até hoje ...).
Certo de que navegamos em ondas próximas, despeço-me com amizade e até o próximo encontro nestas páginas.
Ah, e os melhores votos para 2008.
Do Victor Ferreira

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#178717 | melisa | 03 Jan 2008 22:36 | Em resposta a: #178389

Caro Victor Ferreira

O que o Fórum nos traz de bom é dar-nos a possibilidade de a propósito da genealogia irmo-nos * "conhecendo" uns aos outros.

Embora não leia todos os tópicos, normalmente não perco nenhuma das suas intervenções que além de didáticas primam por um humor mordaz que muito me agrada.


Faço votos que o 2008 lhe traga tudo o que deseja, e aproveito para convidá-lo a estar presente no próximo encontro de genealogistas do Algarve a realizar brevemente.

M.Elisa


* Se bem me lembro não gosta de hífenes, mas foi assim que aprendi ... :-)

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#178886 | salen | 05 Jan 2008 01:25 | Em resposta a: #178717

Oh minha caríssima, quem sou eu, mero biscateiro destas lides para participar num encontro de genealogistas ...
E para que conheça melhor, vou lhe* dizendo (assim, no gerúndio, à algarvia) que não tenho nada contra os hífens ... certos, como por exemplo o seu 'irmo-nos'. O problema é quando eles aparecem caíos do céu aos trambolhões, mal usados ou simplesmente inexistentes (mas não é o seu caso certamente).
Vou ponderar esse convite, mas só se me permitir ficar sentado a um canto a ouvir os especialistas, ou então, a servir o acompanhamento das batatas assadas ao pernil de porco. Logo falaremos.
Cumprimentíssimos
Victor Ferreira

(*) não estranhe. Como sabe não é 'vou-lhe dizendo', por que é 'vou dizento a si', e por isso quando muito seria 'vou dizendo-lhe', com o pronome ligado ao verbo transitivo e não ao adjuvante. Mas fica feio.

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#178897 | melisa | 05 Jan 2008 02:13 | Em resposta a: #178886

Caro Victor Ferreira


Encontro de genealogistas foi o nome dado ao primeiro realizado o ano passado.

Se fosse eu a baptizá-lo, chamar-lhe-ia talvez um encontro de pessoas amantes da Genealogia que a pretexto da dita e acompanhado de um bom jantar aproveitam para se conhecerem pessoalmente.

Provavelmente realizar-se-á lá mais para a Primavera.

Embora não tenha nascido nem estudado no Algarve as minhas raízes estão cá e como tal adoro gerúndios.

Raramente estou a ler, a comer, a passear, a nadar, mas sim lendo, comendo, passeando ou nadando.

E a propósito de nadar: em Monchique e Olhão as pessoas não tomam banho: dão banho !
Se for a Monchique e subir a serra não irá por um caminho ou vereda mas por uma "carreleira".

E já agora se se referir a vila de Alvor, nunca diga O Alvor, como de alguns anos a esta parte tenho ouvido a muito boa gente.

Alvor é povoação muito antiga que nunca usou o artigo antes do seu nome, como poderá comprovar entre outros escritos , nas crónicas a propósito da morte de D.João II.

Enfim, desabafos próprios da hora tardia!

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

Alvor

#179014 | salen | 05 Jan 2008 21:39 | Em resposta a: #178897

Cara MElisa
'O Alvor'? Cruzes! Há quem diga isso?
É curioso mas há localidades para as quais o artigo ou a sua não necessidade saem intuitivamente. E se há uma delas é Alvor.
Há mais de vinte anos que passo lá férias (nos Montes) e sempre ouvi dizer 'ir 'ó Alvor', 'estar a viver no Alvor', 'gostar muito do Alvor', pelo que não me admiro que o discurso aceite um 'o Alvor é que está a dar' de vez em quando.
Se o ágape for por aquelas bandas, como tenho lá poiso, talvez lá apareça.
'Tá a ver? Já me pôs a fazer planos. A MElisa tem jeito para promotora de eventos ...
Mais uma vez os meus cumprimentos e via os portuguesíssimos gerúndios.
Victor Ferreira

Resposta

Link directo:

RE: Alvor

#179361 | melisa | 07 Jan 2008 20:30 | Em resposta a: #179014

Caro Victor Ferreira

Quer dizer que, pelo menos nas suas férias, somos quase vizinhos.

Com que então nos Montes!

Quanto ao encontro não sei onde será, mas no Algarve tudo fica tão próximo que não será a mais de uma horita de caminho, Levará menos tempo a chegar do que ir à Costa da Caparica.

Cumprimentos alvoreiros

M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#187900 | zmcm | 11 Mar 2008 22:58 | Em resposta a: #158399

Cara Maria Elisa:
Volto a maça-la com Alcantarilha: procuro o casamento que tudo me leva a crêr ter sido em Alcantarilha cerca de 1675-1682 do Capitão Manuel Martins Cabrita filho de ( ??) com Inês de Oliveira filha de Francisco Gonçalves de Oliveira e de Margarida Coelho.
Será que nas suas pesquisas de Alcantarilha encontrou este registo?? ando atrás dos pais do Cap. Manuel Martins Cabrita e ainda não encontrei este casamento.

agradeço a ajuda possível,
Miguel Cabrita Matias

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#187906 | zmcm | 11 Mar 2008 23:17 | Em resposta a: #187900

Esqueci-me de dizer que a dita Inês de Oliveira era viúva de Domingos Martins.

cump
MCM

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#187912 | melisa | 12 Mar 2008 00:03 | Em resposta a: #187900

Caro Miguel Cabrita Matias

Nºao há registos de casamentos para essas datas em Alcantarilha.
Aliás não existem num intervalo entre 1622 e 1693.

Do capitão Manuel Martins Cabrita com Inês de Oliveira tenho o registo de bapatismo em Alcantarilha das filhas Josefa ( 30/12/1685) e Ana ( 7/7/1689).

Os padrinhos da primeira foram:Padre António de Sousa e Laurência da Rocha , solteira, fª do capitão João Galego, morador na Armação.

Da segunda foram padrinhos Afonso Lurenço e Isabel gonçalves casada com Diogo Martins Guieiro.

Encontrei também em Alcantarilha o casamento de seu filho Manuel Martins Cabrita a 1/8/1711 com Maria Neta Santos.

Num casamento em Pera a 4/6/1685 a apadrinhou um Manuel Martins Cabrita que é dado como de Porches.

Não sei se será o mesmo pois já em 30/12/1685 em Alcantarilha Manuel Martins Cabrita e s/ m.er Inês de Oliveira baptizam a sua filha Josefa.

Alguma ligação terá no entanto com Porches pois foi testemunha do casamento em 1711 em Alcantarilha de Manuel da Silva , natural de Porches, filho de Pedro da Silva e de Maria CABRITA, moradores em Porches.

Não sei se tera alguma ligação com um seu contemporâneo o Alferes João Martins Cabrita natural de Porches, fº de Domingos Martins Matos cc Domingas Cabrita, moradores em Porches,sendo este à data já falecido e que casou em Pera aos 26/11/1685 com Catarina Alves,natural de Pera , fª do capitão João Neto e de s/ m.er Maria Rodrigues.

Lamento não ter mais dados.

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#187932 | rafael | 12 Mar 2008 04:01 | Em resposta a: #187912

Cara M.Elisa

Este cap. João Galego será o que casou em 1634-Portimão com sua parente em 3.º grau de cons. Maria Fernandes - dos GALEGOS que foram governadores da fortaleza de Armação de Pera.Ele casou 2.ªa vez , em 1646 com Ines Dias tb. sua parente, em Portimão. E de ambos os casamentos houve muitos filhos.
Desta família foi o sargento-mor Pedro Galego Soromenho ,n. de Silves com carta de brasão:Soromenhos,Andrades,Pimenteis e Vabos.

Cumprimentos
Rafael Carvalho

Resposta

Link directo:

RE: Famílias de Pera e Alcantarlha

#187940 | zmcm | 12 Mar 2008 09:35 | Em resposta a: #187912

Cara Maria Elisa:
Muito obrigado pela sua resposta.
Tem de facto ligação com Porches já que o Cap. Manuel Martins Cabrita casado com Inês de Oliveira era natural de Porches e tio do Alferes João Martins Cabrita que menciona ( irmão da mãe).
Tinha uma leve esperança que o casamento tivesse sido realizado em Alcantarilha e houvesse registo.
Inês de Oliviera era natural de Albufeira o que dificulta bastante pois não existem registos como sabemos.

cump.
MCM

Resposta

Link directo:

Procura casamento Alcantarilha

#193041 | judiaria | 18 Abr 2008 15:00 | Em resposta a: #158551

Cara Melisa

Gostava de saber se encontrou o seguinte casamento, afim de verificar se tem o nome dos ancestrais:
José Rodrigues Semedo que casou com Domingas Gonçalves de Alcantarilha por volta de 1670/80.


Muito grato

Cumprimentos

Joaquim Reis

Resposta

Link directo:

RE: Procura casamento Alcantarilha

#193056 | melisa | 18 Abr 2008 16:45 | Em resposta a: #193041

Caro Joaquim Reis

Por essas datas não existem registos de casamento em Alcantarinha.

No entanto segundo informação do nosso confrade Miguel Cabrita MatiaS, casou em S.Bartolomeu de Messines uma Domingas Gonçalves de Alcantarilha aos 8/1/703 com Manuel Vieira, viúvo de Maria Coelho.

Este Domingas Gonçalves era nesse casamento dada como viúva de JOÃO RODRIGUES SEMEDO
http://www.geneall.net/P/forum_msg.php?id=133207#lista

Tudo o que tenho está ali

Cumprimentos
M.Elisa

Resposta

Link directo:

RE: Mendonças, Alcantarilha, Silves

#206784 | Óbidos Soberano | 31 Ago 2008 00:48 | Em resposta a: #158654

Caríssimos Confrades,

Gostaria de saber se algum dos senhores investigou a familia Mendonça, da freguesia de Alcantarilha, concelho de Silves.Pouco ou quase nada sei acerca destes Mendonças. Meus Quartos Avòs, Nicolau Francisco Canivari (n.+/-1820) e Dª Jerónima Maria de Mendonça, tiveram 2 filhos, respectivamente Dª Rosa Amélia Canivari e Nicolau Canivari (n.1857).

Desconheço a filiação da referida Dª Jerónima Maria de Mendonça, apenas sei que era natural de Alcantarilha, Silves e que poderá ter nascido por volta de 1820.


Se me puderem ajudar, fico-lhes muito grato.

Cumprimentos,

CARLOS PINTO MACHADO

carlospintomachado.pt@gmail.com

Resposta

Link directo:

RE: Mendonças, Alcantarilha, Silves

#208448 | PRIMAVERA | 16 Set 2008 16:10 | Em resposta a: #206784

Procuro informação sobre a família de José dos Santos Medeira, que deverá ter nascido por volta de 1970/1875. Sei apenas que nasceu no povo d'Armação, Freguesia de Alcantarilha e era filho de João Rozendo dos Santos e Ana Joaquina, todos de Alcantarilha. Casou cou Maria José dos Santos, também d'Armação, Alcantarilha.

Agradeço caso alguém disponha de informação sobre esta família.

Obrigada

IB

Resposta

Link directo:

RE: Mendonças, Alcantarilha, Silves

#222982 | rafael | 06 Mar 2009 01:29 | Em resposta a: #208448

Cara Melisa

Já perguntei ao Nuno Inácio por si, porque admiro-me de há muito tempo não a "encontrar" por estas paragens e a sua colaboração é sempre útil.

Gostaria de saber se na sua BD figura algum JOÃO DE SOUSA, de Pera.

Um avô meu BENTO de SOUSA cc aa minha avó MARIA de SOUSA (de Benafim ? e prov. prima dele ) nasceu em Paderne.

Acontece que tenho um BENTO que suponho seja este meu avô q n. aos 23.3.1709 em Paderne e foi b. aos 26.3.1709 filho de MANUEL de SOUSA e de INÁCIA dos RAMOS e neto Paterno de J O Ã O de S O U S A, de PERA e de MARIA GONÇALVES.

Foram pads Gaspar da Ponte e Joana Gonçalves mulher de João da Ponte. O pároco Frei João Simões Pato

Gostaria de saber se tem na sua BD o JOÃO de SOUSA, de PERA , acima referido,porque nada sei da ascendência destas pessoas de minha família,como penso.

Julgo que a Melisa não leverá a mal por aproveitar esta msg. para pedir tb mais infs. sobre esta gente a quem souber e quiser colaborar .

Um bom fim de semana. Os meus melhores cumprimentos.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE:esquecimento

#222985 | rafael | 06 Mar 2009 02:25 | Em resposta a: #222982

Faltou perguntar-lhe se tem na sua BD o cas.º de

ANTONIO AFONSO VALARINHO cc APOLONIA VIEIRA - são de PERA.
E se tem a asc. e desc. deles.

Obrigado.
Rafael

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240208 | S.R.S. | 25 Set 2009 00:35 | Em resposta a: #161577

Caros Confrades,

Desculpem só agora "dar á costa", mas alguém sabe algo mais sobre esta gente de Pêra:

MARIA THEREZA CORREIA, nascida a 23.2.1723 na freg. de Pêra, filha de ALIFONSO (sic) CORREIA e de sua mulher MARIA NOBRE, moradores nos Montes do Raposo, paroquianos e recebidos na freguesia de Pêra a 21.08.1718, ele filho de DOMINGOS CORREIA e de MARIA DIAS, moradores na Aldeia dos Mestres, Almôdovar, ela filha de DOMINGOS GONÇALVES e de MARIA VIEIRA, moradores nos Montes do Raposo.

Ao que sei, de Almodôvar vão para o Algarve, mas mais tarde, um filho desta MARIA TEREZA, de nome MAANUEL CORREIA fixará residência e casará c.g. em Santa Luzia, Ourique.

Agradeço a ajuda,
SRSilva

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240222 | nunoinacio | 25 Set 2009 09:18 | Em resposta a: #240208

Caro SRSilva

Lamento, mas não tenho qualquer informação sobre as pessoas que procura.
São freguesias que nunca pesquisei e a informação que tenho deriva das pesquisas de outras freguesias.

Cumprimentos

Nuno Inácio

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240273 | roberto lopes | 25 Set 2009 20:30 | Em resposta a: #240208

Caro SRSilva:

Consulte a descendência do casal que procura em: www.genealogiadoalgarve.com


Sou descendente da Maria Teresa (Correia) cc Sebastiao dos Santos.

Os paroquiais de Almodovar como se encontram no Arq. Distrital de Beja acabei por nao averiguar as ascendências do Alifonso Correia.

Com os melhores cumprimentos,

Roberto Lopes

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240366 | S.R.S. | 26 Set 2009 21:03 | Em resposta a: #240273

Caros Roberto Lopes e Melissa,

Obrigado pela pronta resposta! Quando tiver mais informações sobre os Correias de Almodovar avisarei.

Melhores cumprimentos

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240490 | jramos | 28 Set 2009 12:23 | Em resposta a: #240208

Caro confrade,

Tenho antepassados com os mesmos apelidos, também do concelho de Silves.

Domingos Nobre, natural de Pera, casou com Lourença Coelho, natural de S. Bartolomeu de Messines,
Tiveram em S. Bartolomeu de Mesines:
- António Correia, batisado em 1725,
- José Correia,
- Manuel Correia.

Existem uma série de semelhanças com os dados que disponibilizou. Será que são familiares?

Desponivel para qualquer troca de informação.

Cumprimentos

João Ramos

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240515 | roberto lopes | 28 Set 2009 16:35 | Em resposta a: #240490

Caro Joao Ramos:

Nao me parece que estas familias tenham qualquer relaçao, apesar de aparentemente serem da mesma freguesia, mas como nunca se sabe...

O que lhe posso adiantar é que o seu Domingos Nobre era filho de Manuel Gonçalves e de Catarina Nobre cc S.B. Messines a 30/05/1720 Laurência (e nao Lourença!) Coelha, filha de Domingos Lourenço e de Margarida Coelha, moradores em Messines. Foram pais para além dos filhos que faz mencao de :

- Maria Nobre cc S.B. Messines 09/10/1749 Miguel Lourenço, filho de pai incógnito e de Maria Lourenço.

Nada mais sei sobre estas gentes.

Com os melhors cumprimentos,

Roberto Lopes

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240542 | jramos | 28 Set 2009 19:33 | Em resposta a: #240515

Caro Roberto Lopes,

Muito obrigado pela informação. Efectivamente o nome que encontrei é Laurência Coelho, que eu intrepretei como Lourença.

Os três filhos do casal que mencionei casaram na freguesia de Santo Amador - Moura (Alentejo), onde têm descendentes até hoje.

Dos ascendentes do casal Domingos Nobre - Laurência Coelho, sabe mais alguma coisa?

Cumprimentos

João Ramos

Resposta

Link directo:

RE: Pera Alcantarilha e Alferce

#240549 | roberto lopes | 28 Set 2009 19:48 | Em resposta a: #240542

Caro Joao Ramos:

Se pesquisar pelo apelido Nobre em: www.genealogiadoalgarve.com verá que existem varias pessoas com origem em Sao Marcos da Serra e Sao Bartolomeu de Messines assim como em Silves, seria importante averiguar se os seus Nobre sao realmente naturais de Pêra!

De qualquer modo nao constituia impedimento a distância, porque tenho vários antepassados de Pera a casar com gente de Messines.

Eu optaria por pesquisar primeiro o casamento do casal Manuel Gonçalves cc Catarina Nobre na freguesia de Pêra, se a pesquisa se revela infrutifera, sguiria o mesmo procedimento para Alcantarilha, Silves e Messines, mas antes tentaria averiguar a naturalidade do casal em questao.

Com os melhores cumprimentos,

Roberto Lopes

Resposta

Link directo:

RE: vários

#246597 | nunoinacio | 28 Dez 2009 01:41 | Em resposta a: #161876

Caro Rafael

O João Mialha 00 Josefa de Jesus casaram em Porches e a ascendência de ambos já consta da base de dados de www.genealogiadoalgarve.com. Poderá aceder ao casamento usando a senha antiga que lhe dei.

Um abraço

Nuno Campos Inácio

Resposta

Link directo:

RE: vários

#246724 | rafael | 29 Dez 2009 21:59 | Em resposta a: #246597

Caro Nuno

OS meus agradecimentos.Acontece porém tenho tido alguma dificuldade em tirar mais poveito desta Base de Dados tão preciosa.
Não consigo encontrar o casamento do João Mialha c/ Josefa de Jesus.Assim, terei de enviar-lhe mail para me elucidar convenientemente,desculpe a maçada,devida à minha aselhice.
Gosto de usar o gmail, que ainda não descarreguei. Por isso,se me enviar e-mail agradeço que o faça para:

bernardogusmao@netcabo.pt ou bernardogusmao1@hotmail.com

Um abraço
Rafael Carvalho

Resposta

Link directo:

Mensagens ordenadas por data.
A hora apresentada corresponde ao fuso GMT.
Hora actual: 29 Jan 2023, 15:11

Enviar nova mensagem

Por favor, faça login ou registe-se para usar esta funcionalidade

Settings / Definiciones / Definições / Définitions / Definizioni / Definitionen