Família Pantaleão/Portugal e Brasil

Este tópico está classificado nas salas: Pessoas | Famílias | Regiões | Brasil

Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124213 | Elcidia | 03 Ago 2006 19:10

Desejo encontrar as origens, saber quem foram os antepassados.
A família do meu pai é do interior de Minas Gerais/Brasil, estavam na região de Moeda, Belo Vale e Casa Grande.
Ele era MARINHO PEREIRA PANTALEÃO, filho de Ignácio de Azevedo Pantaleão e Izabel Pereira da Anunciação (Eram tio e sobrinha por parte de um dos progenitores) e que nasceram provavelmente nos idos de 185.... Tinha 13 irmãos e deles, acho que somente mais 2 ou 3 tinham o sobrenome Pantaleão, ou outros, só Pereira.
Os nomes dos irmãos do meu pai eram, João, Francisco(chico), Renato, Dimas, Anisio, Idalino, Aramita, Juca (apelido), Mariquinha (apelido)....
Minha avó paterna faleceu em Maio/1969, residindo na cidade de Conselheiro Lafaiete, em Minas Gerais, aos 89 anos. Meu avô, bem antes....
Sei que exixtem muitos Pantaleão em Portugal e gostaria de tentar descobrir se a origem é a mesma. Há alguns anos fiz uma pesquisa na Internet e acabei chegando à idéia de uma origem judaica (judeus convertidos): meu pai enquanto estava vivo sempre falou disso, mas nunca demos atenção.
A primeira referência que encontrei do nome PANTALEÃO na história foi na GRÉCIA, SÉCULO IV, SÃO PANTALEÃO, que era médico e foi esquartejado aos 23 anos.....depois FREI PANTALEÃO DE AVEIRO que por volta de 1.500 e alguma coisa, fez uma longa viagem, chegando até Jerusalém.......
Aguardo contatos

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124262 | rmfrp | 03 Ago 2006 23:29 | Em resposta a: #124213

Cara Elcidia:

Como já teve oportunidade de verificar nas suas pesquisas, Pantaleão é originalmente um nome próprio. O que provavelmente aconteceu no caso da sua família e de outras que o utilizam como apelido foi que, tal como sucedeu com outros nomes próprios invulgares, os filhos de um "Pantaleão" (de nome próprio) começaram a ser conhecidos ou distinguidos pelo nome do pai. Da alcunha ao apelido vai um pequeno passo. Eu próprio tenho na minha família casos da passagem a apelido dos nomes próprios Faustino, Custódio e Águeda, entre outros.

Quanto à possibilidade de origem judaica: não acredite. Encontrará essas alegadas "origens" para qualquer nome que pesquise na internet. É possível que existam judeus em alguns ramos da sua ascendência (como na de qualquer pessoa), mas não é pelos nomes de família que se pode tirar qualquer conclusão a esse respeito.

Com os melhores cumprimentos,

Rui Pereira

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124305 | Elcidia | 04 Ago 2006 15:21 | Em resposta a: #124262

Caro Rui,

Muito obrigada por sua manifestação.
Mas a minha idéia da origem judia é porque, muito antes dessa pesquisa, meu pai falava disso. Depois que fiz a pesquisa e não há nada relacionando nosso sobrenome aos judeus, fui ler sobre os judeus, sobre seu comportamento, hábitos e etc. As semelhanças de hábitos com o que meu pai relatava da família dele é incrível, nos menores detalhes!!! Para lá disso, li sobre a explusão dos judeus da Espanha para Portugal e de Portugal para cá; sobre a necessidade de se "converterem", adotarem nomes cristãos e em geral tinha a ver com o lugar onde moravam, com nome de árvores frutíferas e etc, etc. Um exemplo é Pereira. Muitos só se convertiam "de fachada" e sempre praticaram seus rituais, suas crenças clandestinamente. Há relatos históricos sobre a chegada dos primeiros ao Brasil... que se estabeleceram em Minas Gerais, Bahia e Paraíba, num primeiro momento..
Mas o meu principal interesse, minha maior curiosidade é no nome/sobrenome já que não é comum, nem"vulgar, além de ser um nome muito forte, todos me dizem isso. Por si só já carrega uma energia forte, ainda mais não fosse pelo seu significado, que vem do grego. Meu desejo é conhecer alguns dos meandros que trouxeram esse nome do século IV na Grécia para tão longe....Se ele não "morreu" como tantos outros, gostaria de encontrar alguma explicação, se ela é possível......E como famílias mineiras são muito grandes, minha avó paterna teve 19 filhos e destes, 13 sobreviveram e ficaram adultos.......sei que devo ter muitos parentes espalhados por aí, ainda que não carreguem esse sobrenome e gostaria de saber quem são e onde estão....Se há algum ascendente direto em Portugal...

Um abraço.

só por curiosidade....de que país vc., é? Brasil? Pelo seu português, deve ser, já que o de Portugal é um pouco diferente.

Elcidia

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124321 | rmfrp | 04 Ago 2006 22:05 | Em resposta a: #124305

Cara Elcidia:

Muito obrigado pelos seus comentários.

A sua intervenção toca num ponto muito importante - a alegada existência de nomes característicos de cristãos-novos, cujo exemplo clássico são os nomes de árvores, e em particular "Pereira". Digo alegada porque não passa de uma fantasia sem fundamento. Não existem nomes característicos de cristãos-novos nem nomes característicos de cristãos-velhos. Muitos cristãos-novos tinham nomes de árvores? Claro que sim. Mas, de igual modo, muitos cristãos-velhos tinham nomes de árvores. Muito antes da conversão forçada dos judeus e da adopção de nomes cristãos (século XV) já existiam em Portugal famílias Carvalho, Pereira, Oliveira e Silva, por exemplo, como poderá comprovar consultando a base de dados do Genea Portugal.

Pode parecer estranho, mas um nome de família português não dá muita informação genealógica para além disso - de ser um nome de família que é ou foi usado por pessoas que falam português. O nome, por si só, não dá informação da etnia de família de onde ele provém (cristãos-velhos? judeus? escravos? índios?). A hipótese que me parece mais forte é, como já referi, que a um antepassado seu, português ou já brasileiro (e que podia ser de qualquer etnia), tenham posto o nome de Pantaleão, talvez por ter um padrinho chamado Pantaleão ou por ter nascido a 27 de Julho, dia de São Pantaleão. Ele poderia chamar-se, por exemplo, Pantaleão da Silva e ter um filho chamado Manuel da Silva que, para se distinguir de outros Manuéis da Silva que viviam na mesma aldeia ou cidade, começou a ser chamado Manuel da Silva Pantaleão.

Penso que o nome Pantaleão nunca foi comum em Portugal. Raramente o encontro nas minhas pesquisas. A base de dados do Genea Portugal, com mais de meio milhão de nomes, contém cerca de 50 homens chamados Pantaleão, sempre como nome próprio, e apenas uma pessoa (relativamente recente) de apelido Pantaleão. Nos casos de nome próprio não há qualquer razão para pensar que exista parentesco com os seus, da mesma forma que não há qualquer razão para pensar que o cantor Roberto Carlos e o futebolista Roberto Carlos são da mesma família apenas por usarem o(s) mesmo(s) nome(s) próprio(s). O mesmo se aplica a Frei Pantaleão de Aveiro.

Neste momento, para tentar chegar ao primeiro Pantaleão da sua família, deve pesquisar recuando geração a geração até onde lhe for possível, utilizando principalmente os registos de baptismo e casamento dos seus antepassados em Minas Gerais e eventualmente outros documentos em que eles sejam referidos.

Regressando ao tema dos cristãos-novos: os cristãos-novos de Portugal nunca foram expulsos em massa para o Brasil. Muitos foram de Portugal para o Brasil, como foram também os cristãos-velhos, em busca de uma vida melhor, e alguns também com a intenção de se distanciarem do perigo da Inquisição (nem sempre com sucesso). Um número relativamente pequeno de cristãos-novos moradores em Portugal e condenados pela Inquisição foi degredado para o Brasil (muitos foram degredados para outros locais, como as cidades portuguesas do norte de África, Angola e as regiões fronteiriças de Portugal). Outros viajaram para outras partes do mundo. Mas muitos cristãos-novos, e seus descendentes, ficaram em Portugal até hoje.

Relativamente à sua pergunta final, não, não sou brasileiro. Sou mesmo português e ao escrever a minha mensagem anterior não fiz qualquer esforço para parecer brasileiro. Espero que isso tenha significado que o meu texto estava compreensível... :-)

Com os melhores cumprimentos,

Rui Pereira

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124451 | Elcidia | 07 Ago 2006 13:31 | Em resposta a: #124321

Caro Rui,

Mais uma vez agradeço sua manifestação e seus esclarecimentos.
Como pôde perceber, há uma grande "nuvem" pairando sobre essas questões, ao menos para mim.
Mesmo aqui, fica difícil estabelecermos onde há laços, por causa das questões que apontei em relação à utilização do sobrenome. De 13, dos irmãos do meu pai, apenas 2 ou 3 tinham o sobrenome do pai (Pantaleão) no nome;todos os outros carregaram apenas Pereira da mãe.
Perdoe-me se incorri em erros históricos, já que não sou estudiosa no assunto e sei que nem sempre o que encontramos como informação não está 100% correto.
Quando falo dos Pantaleão em Portugal, sei que podem não ter nenhum laço de sangue conosco. Encontrei como sobrenome, muitas pessoas na lista telefônica online de Portugal. Em São Paulo, há poucos, relativamente ao tamanho da população. Creio mesmo que tenha sido um nome que acabou se tornando sobrenome. Sei que no passado, uma prima de meu pai iniciou a tarefa de montar a árvore genealógica da família, mas infelizmente um "susto" e o preconceito a fizeram parar as pesquisas, pois a certa altura, encontrou um negro, o que é perfeitamente natural, num país formado a partir da miscigenação, graças a isso é que somos como somos....
Todos temos grande fascínio por Portugal e meu irmão esteve aí em Lua-de-mel no ano de 2001.
Em 2002, através de um site de relacionamento, "conheci", meu namorado. Esta história já dura 4 anos e meio. Ele esteve 4 vezes no Brasil, sendo que das 2 últimas passou 1 mês inteiro. No ano passado, obtivemos para ele, o direito à permanência definitiva e no início deste ano, foi emitido o documento brasileiro. Ainda está em Portugal, pois tem pendências a resolver. Felizmente, se tudo correr como esperamos, ainda este ano ele vem definitivamente para o Brasil. Ainda não conheço Portugal, mas se Deus quiser, terei o prazer em breve.
Seu texto estava perfeitamente compreensível, apenas, não encontrei nenhuma particularidade, como há nos e-mails que meu namorado envia e que fizesse alusão ao fato de ser um português escrevendo. Vês que acabei de utilizar um tempo verbal não utilizado no português-mãe ? O gerúndio....vocês escreveriam ....."um português a escrever".
Meu namorado é aposentado e vive no Porto.
É um grande prazer estabelecer essa correspondência consigo.

Um abraço e mais uma vez, muito obrigada

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124593 | bonitao | 09 Ago 2006 13:51 | Em resposta a: #124213

cara Elcidia .. Tenho um amigo em Belo Horizonte, cujo nome eh Pantaleao, nao tenho o numero do telefone dele .. se vc olhar na lista telefonica de BH, possivelmente vai encontrar a pessoa e podera contacta-la.

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124595 | bonitao | 09 Ago 2006 14:05 | Em resposta a: #124213

Cara elcidia .. estou a procura da naturalidade de meu avo Antonio Jose Ferreira - O Antonio Casa Grande - Pressupondo ter ele nascido na Cidade de Casa Grande-MG. num texto seu, vc mencionou as cidades Moeda, Belo Vale e Casa Grande. nao sei se vc tem algum conhecido ou mesmo parente na cidade de Casa Grande, se tiver, gostaria que se posssivel, fazer contato, e, ver se alguem ja ouviu falar do Antonio Casa Grande- Ele trabalhou em uma mineradora nessa regiao e tinha um cargo de Apontador , uma especie de chefe de pessoal.
Desculpe-me pela a abordagem. e obrigado.

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124601 | Elcidia | 09 Ago 2006 14:54 | Em resposta a: #124595

Caro "bonitão",

Obrigada por sua mensagem. Esqueci de mencionar outra cidade, que é Lagoa Dourada, onde meu pai de fato nasceu. Sei que há parentes, ao menos em Belo Vale e Casa Grande, mas como nós, os filhos nunca estivemos lá e, infelizmente meu pai já é falecido, não sei quem são e exatamente onde estão. A família, como todas as mineiras, é muito grande...de 3 irmãos, meu pai teve 28 sobrinhos....Como na família, havia o hábito de se casarem entre os parentes, provável e comprovadamente há muitas misturas de sobrenomes...minha avó era sobrinha de meu avô, por parte de um dos progenitores...é de se admirar que nenhum de seus descendentes diretos tenha apresentado defeitos congênitos, deficiências físicas ou mentais, graças a Deus.
Minhas origens despertam por parte de meu pai, despertam em mim muita curiosidade, pois, comprovadamente, ao menos eu e meu irmão (os mais velhos), muito herdamos do que a família dele era.
Para uma família vivendo num ambiente simples e humilde, sem estudos, um dos filhos ter pensado em ser médico e infelizmente não ter realizado o desejo, é algo surpreendente para um tempo sem acesso a muita informação, sem televisão e etc.
Outro tio, mal tendo aprendido a ler e escrever, fazia o trabalho de engenheiro nas fazendas e deve ser muito conhecido em Minas Gerais. João Pereira chegava numa fazenda, olhava o terreno, calculava e construia hidrelétricas...muitas vezes esteve no interior de São Paulo, enquanto eu e meu irmãos éramos crianças, para comprar os equipamentos necessários à consturção das usinas, e foram muitas ao longo de suas vidas, muitas vezes declarou errados os cálculos dos engenheiros e depois se comprovou que ele estava certo! Isso, na minha opinião, só se explica por algo herdado, algo que já fazia parte da família...uma inteligência bem apurada, conhecimentos adquiridos através da leitura (meu pai tinha como fiel companheiro, um dicionário)....
Perdoe-me, se me estendi nos comentários. Se souber de algo a respeito do nome do seu avó, informarei.
Ontem enviei um e-mail ao Cartório de Moeda pedindo levantamento das possíveis certidões de nascimento de meu avó e minha avó e também da do meu pai, onde deve constar o nome dos avós.
Moeda, ontem eu soube, assim chama porque nela se estabeleceram portugueses que cunhavam moedas clandestinamente...

Estou em São Paulo/Capital, mas pretendo, assim que puder, visitar essa região. Como as cidades são pequenas. exceto Conselheiro Lafaiete onde meu pai morou a partir da adolescência, não seria difícil encontrar as pessoas certas.

Um abraço,

Obrigada por sua mensagem.

Quanto ao seu amigo de BH, qual o primeiro nome dele?

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124638 | bonitao | 10 Ago 2006 00:02 | Em resposta a: #124601

Cara Elcidia
Na realidade esse meu amigo eh casado com minha prima... vou contacta=la e te passo o nome dele tao logo seja possivel. Nao esta tao facil, porque estou morando em Londres. obrigado por responder minha mensagem.

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124683 | rmfrp | 10 Ago 2006 22:29 | Em resposta a: #124451

Cara Elcidia:

Não tem que agradecer.

Existe por vezes a ideia de que para se fazer uma pesquisa genealógica é preciso que a própria família já saiba muito. Essa ideia está errada. É claro que a informação que a família possa dar vai ajudar a começar. Mas é só isso para isso: começar.

A pesquisa genealógica deve assentar em provas documentais, avançando geração a geração. Sem documentos qualquer pesquisador fica perdido. Os principais documentos são os registos de nascimento (baptismo, em datas mais recuadas), casamento e óbito. Outros documentos podem ajudar, especialmente numa fase mais adiantada, mas esses são os principais e será com esses que poderá talvez um dia descobrir qual a origem do seu nome.

É muito mais fácil investigar os antepassados de uma pessoa do que os descendentes, porque os pais são sempre dois, o pai e a mãe, e em princípio serão indicados em documentos relativos a essa pessoa, enquanto os filhos podem variar em número de zero até dezenas, como sucede em alguns dos casos que referiu, e raramente existem documentos que dêem a lista dos filhos. É particularmente difícil investigar descendências "recentes" (século XX) devido ao aumento da mobilidade que ocorreu no último século.

A actual regra portuguesa de formação dos nomes como "nomes próprios + apelidos da mãe + apelidos do pai", pela ordem indicada, é bem recente. Até aos finais do século XIX era comum nas famílias portuguesas os irmãos terem apelidos diferentes entre si, usando alguns deles um apelido do pai, outros um apelido da mãe, outros um apelido de um avô (e que não era usado pela pessoa intermédia entre o avô e o neto), e assim sucessivamete.

Diz que já existiu anteriormente um estudo, ou pelo menos início de estudo, da sua família. Tem alguma possibilidade de aceder à informação que a sua prima reuniu? Seria certamente uma boa ajuda.

Por último, posso dizer que em Portugal também se usa o gerúndio, embora não tanto como no Brasil. Aliás, se reler esta mensagem vai encontrar um gerúndio. :-)

Desejo-lhe muito boa sorte, e continuo à disposição para esclarecer as suas dúvidas.

Com os melhores cumprimentos,

Rui Pereira

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#124727 | BDEMAIS | 11 Ago 2006 21:19 | Em resposta a: #124213

cara elcidia
dias atras mandei-lhe uma mensagem falando sobre um amigo..casado com minha prima.. nao consegui falar com ele,mas, dei uma olhadela na lista de Belo Horizonte, encontrei uma duzia ou mais de PANTALEAO. Para localiza-los, usei o site PROCURA atraves do GOOGLE, bastando vc introduzir os dados: UF/ MG, CIDADE/BELO HORIZONTE, NOME/PANTALEAO.
BOM! Essa eh uma parcela da ajuda que posso te dar no momento, uma vez localizados, tem a etapa seguinte... que fica a seu criterio.
Desejo-lhe sucesso no alcance do seu objetivo,se, de alguma forma eu puder ajuda-la, coloco-me ao seu dispor,

uma vez mais, sucesso.



D

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126289 | adnanrefa | 29 Ago 2006 01:03 | Em resposta a: #124601

Gostaria de dizer que sou filha de uma Pantaleão e também gostaria de saber mais informações da família, que meu avó João Pantaleão, filho de Maximiliano Pantaleão, dizia ser de origem portuguêsa.
Desde já, agradeço!

Maria Fernanda

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126330 | Elcidia | 29 Ago 2006 15:21 | Em resposta a: #126289

Maria Fernanda,

Que prazer receber sua mensagem!

Você está no Brasil? Em que lugar? Sabe o local no Brasil, onde seus antepassados se estabeleceram? Acho que essas informações são importantes para tentarmos saber se há alguma ligação entre nossas famílias. Como disse na primeira mensagem, a familia de meu pai, se estabeleceu no interior de Minas Gerais. Não sei se alguém veio de Portugal, mas acho que é muito provável.
Estavam na região de Moeda, Lagoa Dourada, Casa Grande e depois, Conselheiro Lafaiete. Escrevi ao cartório de Moeda, para localizar as certidões de Nascimento de minha avó e meu avô, na tentativa de orientar a busca, mas não me responderam. Na primeira oportunidade, vou telefonar e assim que puder, pretendo ir até lá, fazer uma busca.
Se pudermos trocar informações sobre nossas famílias, creio que será interessante para tentarmos saber se há ligação, se é a mesma...
Existem características muito peculiares....meu pai comentava que eram, lá no principio, judeus convertidos e pelo que li sobre os costumes judeus na época, há grande semelhança com o comportamento dos familiares de meu pai, na história deles. Será interessante mantermos contato. Esse assunto me interessa muito, porque sinto que grande parte do que sou, gostos e características que herdei, vêm do meu pai e consequentemente dessa linhagem dos Pantaleão e por isso minha curiosidade a respeito.

Um abraço.

Fico aguardando notícias suas.

Elcidia Pantaleão.
São Paulo- Brasil

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126331 | Elcidia | 29 Ago 2006 15:26 | Em resposta a: #126289

Maria Fernanda,

Que prazer receber sua mensagem!

Você está no Brasil? Em que lugar? Sabe o local no Brasil, onde seus antepassados se estabeleceram? Acho que essas informações são importantes para tentarmos saber se há alguma ligação entre nossas famílias. Como disse na primeira mensagem, a familia de meu pai, se estabeleceu no interior de Minas Gerais. Não sei se alguém veio de Portugal, mas acho que é muito provável.
Estavam na região de Moeda, Lagoa Dourada, Casa Grande e depois, Conselheiro Lafaiete. Escrevi ao cartório de Moeda, para localizar as certidões de Nascimento de minha avó e meu avô, na tentativa de orientar a busca, mas não me responderam. Na primeira oportunidade, vou telefonar e assim que puder, pretendo ir até lá, fazer uma busca.
Se pudermos trocar informações sobre nossas famílias, creio que será interessante para tentarmos saber se há ligação, se é a mesma...
Existem características muito peculiares....meu pai comentava que eram, lá no principio, judeus convertidos e pelo que li sobre os costumes judeus na época, há grande semelhança com o comportamento dos familiares de meu pai, na história deles. Será interessante mantermos contato. Esse assunto me interessa muito, porque sinto que grande parte do que sou, gostos e características que herdei, vêm do meu pai e consequentemente dessa linhagem dos Pantaleão e por isso minha curiosidade a respeito.

Um abraço.

Fico aguardando notícias suas.

Elcidia Pantaleão.
São Paulo- Brasil

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126358 | adnanrefa | 29 Ago 2006 19:07 | Em resposta a: #126331

Estou no Brasil sim, moro em Fortaleza atualmente, mas minha mãe e a maioria de nossa família Pantaleão, mora em São José do Rio Preto/SP.
Meu avó João Pantaleão, nasceu em Mococa e depois se mudou para Amparo e depois para São José do Rio Preto.
Sei que meu bisavó Maximiliano Pantaleão, foi fazendeiro, criador de gabo e café.
No mais, preciso pesquisar com a família.
Qualquer coisa, me mande um email para trocarmos mais idéias.
Até mais.
Abraços carinhosos...
Maria Fernanda

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126361 | Elcidia | 29 Ago 2006 19:48 | Em resposta a: #126358

Em Amparo, sei que há até um bairro e uma estação de trem com o nome Pantaleão.
Acho que se houver alguma ligação, só poderemos descobrí-la através dos nomes.
Sabe o ano de nascimento do seu avô? As datas também podem nos ajudar.
Assim que tiver mais informações, repassarei para você e espero que vc também.

Até mais

Um grande abraço

Elcidia

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126389 | adnanrefa | 29 Ago 2006 21:57 | Em resposta a: #126361

Meu avó nasceu no ano de 1898 e sua vida foi marcada com uma trajédia, a mãe dele, minha bisavó, Anna Emília da Silveira Pantaleão, matou com um tiro, o pai dele, meu bisavô Maximiliano Pantaleão, depois de todos os filhos criados e muitos anos de convivência.
Acho que aos poucos, vamos juntando nossas informações e quem sabe vamos descobrindo a história da família Pantaleão.
Abraços
Maria Fernanda

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126476 | Elcidia | 30 Ago 2006 13:46 | Em resposta a: #126389

Minha avó paterna nasceu por volta de 1880 e faleceu em maio de 1969 em Conselheiro Lafaiete/MG, não me lembro bem se com 83 ou 89 anos. O marido, meu avô, era Ignácio de Azevedo Pantaleão e minha avó, por parte de um dos progenitores, era sobrinha dele. Tiveram 19 filhos, sendo que destes, 6 morreram ao nascer, nenhum apresentou os problemas físicos ou mentais, que a proximidade sanguínea poderia produzir (esses casamentos eram muito praticados entre os judeus da época). De todos os filhos, apenas 2 ou 3, incluindo o meu pai, carregaram o sobrenome Pantaleão, os outros, apenas o Pereira da minha avó, que era Isabel Pereira da Anunciação.
Você sabia do bairro e da estação de Trem em Amparo, com o nosso sobrenome?
Já pesquisou algo sobre a origem do nome?
Nas pesquisas que fiz há uns 4 anos na Internet (infelizmente após o falecimento de meu pai há 5 anos e meio), a primeira referência ao nome Pantaleão (era um nome, que foi adotado como sobrenome) é no século IV da nossa era, na Grécia Antiga, durante o Império Romano, no reinado do Imperador Maximiano, um médico de 23 anos que foi esquartejado e virou São Pantaleão, cujo dia é no final de Julho (não lembro se dia 29). Já li algo sobre a tradição do Nhoque da Sorte (todo dia 29 de cada mês), ser ligada a esse Santo. Depois, aparece um Frei Pantaleão de Aveiro(Portugal) do qual não se sabe data de nascimento e falecimento, mas que por volta de 1530 fez uma longa viagem a Jerusalém, da qual escreveu um diário.
Continuemos a troca de informações...é um assunto fascinante, não?!!!!

Abraços

Elcidia

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126519 | mmpantaleao | 30 Ago 2006 18:17 | Em resposta a: #126476

Gostaria de oragnizar melhor tantas informações, acho que conseguiremos descobrir muita coisa.
Sou casada com Álvaro Luiz Pantaleão, filho de Joaquim Pereira Pantaleão (nascido em Caçapava), neto de José Cassuta Pantaleão e Lidia Pereira. O bisavô do meu marido era João Pantaleão, ele tinha uma grande fazenda na região de Araras (próximo a Amparo).
Descobri alguns dados interessantes:
Existem muitos membros da família Pantaleão que ainda moram e possuem terras em Caçapava. Quando se iniciou o ciclo do café no Brasil, havia na região de Caçapava uma grande fazenda da família Pantaleão. Quando surgiu a crise do café na região do Vale do Paraíba, surgiram dois novos "focos" da família: Um na Capital Paulista, aproveitando a expansão do comércio, de pequenas indústrias e, principalmente, de Prestação de Serviços. Houve, por exemplo, uma grande e conceituada "Pharmácia Pantaleão". O outro "foco" que observei, continuou o caminho do café, indo para o Oeste Paulista. Tudo leva a crer que as duas fazendas de café (de Amparo e de Araras) eram de uma só família. Pode-se observar isso pelo trajeto da linha férrea (naquela época diversas linha férreas foram construídas pelos cafeicultores, de forma até desordenada, com o objetivo de facilitarem o transporte do café até a linha férrea principal, que seguia em direção ao porto de Santos). Lembro também que, quando o café foi, cada vez mais, tomando o Oeste de São Paulo acabou chegando também ao Sul de Minas.
Espero estar ajudando. Se conseguirmos reunir mais informações, conseguiremos descobrir que possivelmente existe uma enorme família Pantaleão no Brasil.
Quero ressaltar que todos os "Pantaleão que mencionei, não tinham o Pantaleão em seu primeiro nome, sempre como sobrenome.

Só uma observação curiosa: é impressionante o número de membros das famílias que seguiram a área de saúde. Só na família do meu marido: O Avô era framacêutico (e assumia a função de quase "médico" da cidade de Caçapava); dos seus 7 tios, 3 foram médicos e sua tia era voluntária na área da saúde; ele e seu irmão tanbém médicos; dos seus primos em 1º grau (ainda não conegui informação de todos) 4 médicos; dos poucos primos em 2º grau que localizei, 5 médicos. Curioso, não?

Abraços

Mônica

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#126565 | Elcidia | 30 Ago 2006 21:14 | Em resposta a: #126519

Mônica,

Agora estou um pouco atarefada com o trabalho, mas amanhã te respondo com calma. Estou interessadíssima nesse assunto e manteremos contato.
Só p/ te adiantar. Apesar de, nem meu pai, nem meus tios terem estudado muito, sempre foram muito inteligentes. Um tio quis muito ser médico, mas infelizmente não realizou o desejo. Meu tio João Pereira, apenas alfabetizado, chegava nas fazendas no interior de Minas, olhava o terreno, fazia seus cálculos, dizia o que era necessário, viajava para Limeira no interior de S.Paulo, comprava o material necessário e construia hidrelétricas nas fazendas!!! Se algum engenheiro tivesse passado por lá e o projeto estivesse errado, ele dizia, não vai dar certo, e quem insistia era pagar para ver, e via. Herdamos do meu pai o gosto pela música clássica, mas me pergunto, como que alguém que não teve acesso a isso, senão na vida adulta, morando em São Paulo, desenvolveu esse gosto apurado?
Isso me fascina.....
Falaremos mais e mais e mais. Realmente nessa época que vc menciona, o nome já havia sido adotado como sobrenome, que é o caso de minha família. O que descobri como nome é bem antigo, porque tinha curiosidade em relação à palavra cuja origem é grega, algo como "mais forte que o leão", mas vou verificar o significado exato para te dizer....

Bjs

Elcidia

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#269435 | lucieneapaz | 29 Jan 2011 04:43 | Em resposta a: #126289

Tb sou uma Pantaleão de sangue, mas não carrego o sobre nome..Minha familia em Portugal já localizei, são do distrito de Vila Real, pela certidão do meu avô, pude observar que alguns levaram o sobre nome Pantaleão e outros, principalmente as mulheres, levaram Ferreira, que tb ai no Brasil, não sei se por erro ortográfico na época, colocaram como PEREIRA, mas na verdade são Ferreira.

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#306480 | RodrigoGrecco | 22 Mai 2012 16:24 | Em resposta a: #269435

Bom dia! Sou parente da Maria Fernanda. Meu avô é tio dela. Ele me conta que aqui em São José do Rio Preto -SP, o avô dele, Maximiliano Pantaleão tinha muitas terras na zona norte, onde hoje existem muitos loteamentos e bairros. Ele foi assassinado pela esposa Anna Emília com uma arma de porte pequeno e ela, logo depois, foi internada numa casa de repouso próximo a São Paulo. Saiu de lá e foi para Campinas, pois os filhos acharam melhor Anna Emília não voltar à Rio Preto. Sempre contavam essa história mas com a versão de que Anna teria matado Maximiliano com uma machado, já que teria indícios indígenas na família. Mas tal dedução foi exaurida quando um primo que trabalha no Fórum de Rio Preto achou os registros de internação de Anna Emília, onde descrevia a tal arma de porte pequeno (garruchinha). Sonho em ver uma foto de Maximiliano, que ostentava um belíssimo e longo bigode... Quase impossível. Nenhum parente tem alguma foto dele. Sei também sobre São Pantaleão. O dia dele é comemorado todo dia 27 de julho (meu aniversário). Nesta data seu sangue, que foi guardado em sua morte, coagula. Muito interessante. Mas gostaria de saber mais sobre isso também. Busco muito sobre nossas raízes. Meu avô também conta que existe outra família Pantaleão aqui em Rio Preto, mas que não pertence a nossa! Pode?!
Achei neste site: http://www.arvore.net.br/Paulistana/Camrg_4.htm o seguinte item: 6-1 Maximiano Pantaleão casado com Anna Emilia f.ª de Francisco Modesto da Cunha Franco e de Anna Francisca da Silveira. Neste site tem uma árvore genealógica muito rica, mas um tanto complexa... Mas vale a pena dar uma olhada.
Abraços!

Rodrigo - www.rodrigoposhspice.blogspot.com

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#306662 | RodrigoGrecco | 24 Mai 2012 12:45 | Em resposta a: #306480

Bom dia! Estive pesquisando e pelos traços dos nomes e sobrenomes, parece que meus antepassados são de Portugal. Vejam:
Antonio Joaquim da Cunha Pantaleão casado com Izabel da Silveira, f.ª de Jacintho Antonio da Silveira e de Brigida Marciana. Tiveram:
Maximiano Pantaleão casado com Anna Emilia, f.ª de Francisco Modesto da Cunha Franco e de Anna Francisca da Silveira e Adolpho Pantaleão casado com Maria do Carmo, f.ª de Luiz Gonzaga da Silveira e de Escholastica da Silveira. Só achei que Maximiliano Pantaleão foi escrito erroneamente no site que pesquisei...

Abraços!

Rodrigo Grecco - www.rodrigoposhspice.blogspot.com

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#307364 | Limão | 03 Jun 2012 01:58 | Em resposta a: #124727

Cara Elcídia,
Tenho dois "Pantaleões", na família portuguêsa, mas que podem têr estado no Brasil. As casas são de origem brasileira.
Reza assim: "Senhores do Prazo da Cobiça Paços Fafe Portugal":

I - Francisco Gonçalves, casou com Antónia Rodrigues, cerca de 1590, vendem campos em Golães, e Leiras em Paços. Em 1588, fazem em sede de Tablionato, uma confissão de dívida, a Fernão Gonçalves, das Quintãs Travassós Fafe, Lavrador rico, e a Salvador Gonçalves, Alfaiate de Sâo Torcato Guimarães. Tiveram:

II - Catarina Francisca Rodrigues, que casou com Fernão Gonçalves. Tiveram:

III - Pantaleão de Passos (Paços), que casou com Maria Lourenço. Tiveram:

IV - Ângela de Paços, casou com Francisco Antunes, natural da Quinta das Maranhas, Atães Guimarâes. Foi baptizado a 01 de Fevereiro de 1634, filho de António Gonçalves, natural do Casal de Gondizalves, e de sua mulher Helena Antunes, natural do Casal de Sendim.
Segue-se depois a descendência da família Antunes, até aos dias de hoje.

Outro Pantaleão:

Da Família Ribeiro, Vila Fria Felgueiras Porto Portugal.

I - Dª Maria Ribeiro, nascida a 29 de Janeiro de 1623, filha de João Ribeiro, e de Isabel Rodrigues, moradores no Lugar do Ribeiro, Vila Fria Felgueiras, faleceu a 03-08-1651.

II - Dª Francisca Ribeiro, filha de Isabel de Sousa, Viúva de Pantaleão Dias Ribeiro, casou a 09-03-1674, com Gaspar Monteiro.

III -Dª Ana Ribeiro, natural de Vila Fria, têve oito filhos de D. Luís de Melo Pereira de Sampaio, (Comendador de Pombeiro de Ribadevizela) Felgueiras:
1 - Fernando, nasceu a 12-04-1650. Padre.
2 -Filipe, nasceu a 15-08-1653. Faleceu a 23-10-1718, em Jugueiros Felgueiras.
3 -Bento, n. a 29-09-1655.
4 -Luísa, n. a 26-11-1656.
5 -Joaquina, n. a 13-07-1659.
6 -Maria, n. a 19-05-1663.
7 - Francisca, n. a 01-06-1665.
8 - António de Melo Pereira, Capitão, n. a 03-09-1668.
Este "Pereira", vem de Dona Maria Pereira, filha de Dona Maria de Menêses, casada com D. Álvaro Pereira. Filha de D. João Afonso Telo de Menêses, 1º Conde de Viana do Alentejo, Portugal.
Muitas destas famílias estiveram emigradas no Brasil, região de M.G.
É tudo o que me apraz registar, na esperança de poder ajudar.
Saudações fraternas,
A. Melo Lopes da Costa

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#307419 | AntonioGonçalves | 03 Jun 2012 21:53 | Em resposta a: #307364

Sobre Pantalião


Há possibilidades do nome de pantalião, se dever a, alguém, ser natural do lugar de Pantalião, freguesia de S. João da Balança, Terras de Bouro, pois os padres, ao passar documentos de identidade, tinha o costume de passar, por exemplo: - "Manoel Gonçalves de Pantalião, mas o último nome dizia respeito ao lugar de onde eram originários, mas distantes do lugar passava a nome.


- Mas só entroncado é que poderão ter a certeza de onde advém o nome de Pantalião. Se pretender consultar a dita freguesia de S. João da Balança, poderão servir-se do blog: http://origenshc.blogspot.com

Melhores cumprimentos

Antonio Gonçalves

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#307540 | Limão | 05 Jun 2012 19:35 | Em resposta a: #307419

Caro António
Neste caso, tanto um como outro são nomes próprios. pode-se dar o facto de terem nascido no dia daquele Santo, e ser costume dar--lhe o nome de baptismo, penso que pode ser o caso, mas não posso confirmar,porque não tenho datas. Guardei estes dois, por um pertencer á ascendência de minha esposa, que entronca nos "Castros de Leao" de Monforte, que foram Reis do Perú.
O outro, pertence á minha própria família, dos (Senhores de Melo e Sampaio, de Vila Flor e Chacim). Por D. Luís de Melo Pereira de Sampaio, Comendador de Pombeiro de Ribadevizela, meu 8º Avô Paterno, após a viuvez, de Dª Maria de Azevêdo, de quem não houve filhos, se ter amancebado com Dª Maria Ribeiro, do casal do Ribeiro Vila Fria Felgueiras, de quem teve vasta geração, e que foi por ele legitimada.
Tanto uns como outros, constam na Geneal-Net, que pode consultar sempre que queira.
Envio cordiais saudações,
Agostinho de Melo Lopes da Costa.

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#310321 | J.R. | 17 Jul 2012 07:50 | Em resposta a: #307540

Caros confrades bom dia

Ai vai uma pequena ajuda .sobre a familia Pantaleão de Vale de Cambra . http://www.geneall.net/P/per_page.php?

id=1246465

Saudações genealógicas

Resposta

Link directo:

RE: Família Pantaleão/Portugal e Brasil

#310322 | J.R. | 17 Jul 2012 07:51 | Em resposta a: #310321

http://www.geneall.net/P/per_page.php?id=1246465

Resposta

Link directo:

Mensagens ordenadas por data.
A hora apresentada corresponde ao fuso GMT.
Hora actual: 25 Dez 2014, 18:31

Enviar nova mensagem

Por favor, faça login ou registe-se para usar esta funcionalidade

Settings / Definiciones / Definições / Définitions / Definizioni / Definitionen